PP quer obrigar deputados a aprovar impeachment

Base do governo até há duas semanas, partido vai utilizar estatuto para proteger parlamentares ainda em dúvida a votar pelo afastamento de Dilma. Assista ao vídeo do site com o líder da bancada

O Partido Progressista encontrou uma saída para tentar minimizar o constrangimento dos seus deputados na votação do pedido de impeachment, marcado para domingo. Membros oficiais da base de apoio parlamentar da gestão Dilma Rousseff até há duas semanas, os deputados do PP ficaram divididos sobre o afastamento ou não da presidente. Mas a direção nacional pretende “fechar questão” e dar aos parlamentares a desculpa que precisam ( e prevista no estatuto) para votar pelo impeachment: se não votarem pelo afastamento, podem ser expulsos da legenda.

A direção da legenda, e principalmente seu presidente, senador Ciro Nogueira (PI), quer obrigar que todos os 46 deputados da sigla votem a favor do afastamento da presidente Dilma Rousseff. A executiva nacional do PP vai se reunir no final d atarde desta sexta-feira, em Brasília, e deverá exigir dos parlamentares o posicionamento fechado a favor do impeachment.

“Esta é uma decisão extrema, mas teremos que cumprir sob pena de sermos punidos”, disse o líder da bancada, Aguinaldo Ribeiro.

Veja no depoimento ao Congresso em Foco:

 

Ribeiro foi nomeado ministro das Cidades do governo Dilma Rousseff em 2012. Ele substituiu outro deputado do PP, Mário Negromonte, hoje conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia, indicado pelo ex-governador petista Jaques Wagner. Ribeiro deixou o ministério em Março de 2014. Apesar da saída de Ribeiro, o PP ficou como cargo de ministro da Integração, com Gilberto Occhi.

Na comissão processante, Ribeiro encaminhou a votação a favor do impeachment, apesar de ter votado pela não admissibilidade do relatório de Jovair Arantes (PTB-GO), a favor da saída de Dilma. Ribeiro, que faz parte da Executiva Nacional da legenda, avisa que vai cumprir a determinação da direção da sigla. A tendência no partido é a votação pró-impeachment.

Apesar de ter sido ministro do atual governo, deverá votar pela saída da presidente. Outro deputado governista do PP que está esperando ser obrigado pela direção do partido para votar pelo impeachment é Negromonte Junior (BA). Filho do ex-ministro das Cidades, o parlamentar se diz indeciso e aguarda uma desculpa para mudar de posição.

Mais sobre o impeachment

Mais sobre crise na base

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!