Popularidade de Dilma cai, mas ela ainda venceria eleição

Segundo pesquisa CNT, avaliação positiva baixou de 36,4% para 32,9% entre fevereiro e abril, enquanto intenção de voto reduziu-se de 43,7% para 37%. Aécio subiu para 21,6% e Campos chegou a 11,8%

Pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) divulgada nesta terça-feira (29) mostra queda na popularidade e na intenção de voto da presidente Dilma Rousseff. Entretanto, se as eleições fossem hoje, ela seria reeleita, segundo os dados do instituto MDA.

Segundo o levantamento, avaliação positiva de Dilma baixou de 36,4% para 32,9% entre fevereiro, data da última pesquisa, e abril. Já a avaliação negativa aumentou de 24,8% para 30,6%.

A intenção de voto de Dilma caiu. Se as eleições fossem hoje, ela teria 37% dos votos. Em fevereiro, esse índice era de 43,7%. Ao contrário, os principais adversários do PT na corrida presidencial subiram suas intenções de voto. O senador Aécio Neves (PSDB) passou de

Aécio subiu de 17% para 21,6%. Já o ex-governador Eduardo Campos (PSB) oscilou positivamente de 9,9% para 11,8%, dentro da margem de erro de 2,2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Num eventual segundo turno, Dilma venceria. Mas a distância entre ela e seus principais oponentes diminui. Num cenário contra Aécio Neves, Dilma tinha 46,6% contra 23,4% de Aécio em fevereiro. Agora, a presidente teria 39,2% e o tucano, 29,3%.

Contra Eduardo Campos, a disputa ficaria em 41,3% para a petista e 24% para o ex-governador de Pernambuco. Em fevereiro, o cenário indicava Dilma com 48,6% e Campos com 18%.

Mais sobre eleições

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!