Polícia Militar do DF desmente boato sobre paralisação da corporação

Repassado pelas redes sociais, comunicado pede que população não saia às ruas a partir desta sexta-feira (10). PM-DF afirma que boato é “irresponsável e busca aterrorizar população”

Foto Divulgação
 

Desde que a polícia do Espírito Santo cruzou os braços gerando uma onda de violência no estado, falsos comunicados atribuídos às corporações em diversos outros estados do país estão sendo veiculados pelas redes sociais e pelos grupos de WhatsApp. Em Brasília, um comunicado com emblema da Polícia Militar está sendo repassado com os seguintes dizeres: "População do Distrito Federal, não saia de casa a partir do dia 10/02/2017 - Familiares de policiais estarão impedindo a saída de viaturas dos batalhões assim como no Espirito Santo".

No entanto, a Polícia Militar do DF já divulgou nota oficial em sua página afirmando que não haverá paralisação e que o comunicado é “irresponsável e busca aterrorizar a população”. De acordo com a nota, a corporação está tomando providências para identificar os autores da divulgação, bem como quem recebe e repassa para terceiros.

“Tranquilizamos a população informando que as ações policiais seguem sendo realizadas sem nenhum tipo de interrupção em todo o DF”, diz a PMDF. No Rio de Janeiro, a Polícia Militar do estado também se encarregou de desmentir os boatos.

Ao Congresso em Foco, o coronel Rogério da Silva Leão, presidente da Associação dos Oficias da PM-DF, também  afirmou não existir esse tipo de mobilização em Brasília. Apesar das recentes negociações da PM com o governo do DF, o coronel ressaltou que a questão ainda não levantou o assunto. “Nós nos pautamos na confiança da palavra do governador no que diz respeito a questão salarial da Polícia Militar. Além disso, estamos cientes da nossa responsabilidade com a sociedade. Por parte da associação,  esse assunto de paralisação nunca foi tratado”, disse. O coronel disse ainda que tem recebido diversas ligações de pessoas que receberam a postagem.

Greve no ES

No Espirito Santo, a greve dos PMs foi encabeçada por um protesto de familiares e amigos dos agentes desde a última sexta-feira (6). Além de reajuste salarial, os familiares pedem o pagamento de auxílio-alimentação, periculosidade, insalubridade e adicional noturno, além de reclamarem do sucateamento da frota e da falta de perspectiva dos agentes.

A Justiça do local já declarou ilegal o movimento dos familiares dos PMs. A Constituição não permite que militares façam greve. Desde o início da semana, o presidente Michel Temer autorizou o envio de tropas das Forças Armadas para o Estado a fim de "garantir a lei e a ordem", cerca de 200 homens fazem a segurança.

Desde que o movimento foi deflagrado, casos como ônibus incendiados, arrastões e arrombamento de várias lojas no comércio de rua e em shoppings marcaram o clima de tensão. As ruas estão desertas, lojas foram saqueadas e há um crescente número de assaltos e homicídios.

Leia nota da Polícia Militar na íntegra:

“A PMDF repudia veementemente boatos divulgados nas redes sociais sobre falsa paralisação de policiais militares no próximo dia 10. Essa publicação é irresponsável e busca aterrorizar a população diante dos últimos acontecimentos no Estado do Espírito Santo. A PMDF já está tomando as medidas cabíveis para identificar os autores desta divulgação, assim como aqueles que recebem e encaminham a mensagem para terceiros, para que estes respondam por seus atos. Tranquilizamos a população informando que as ações policiais seguem sendo realizadas sem nenhum tipo de interrupção em todo o DF”.

 

Mais sobre Segurança Pública

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!