Polícia Federal pôs grampo na sala de Cavendish

A situação delicada da Construtora Delta vai além dos contratos firmados com o governo federal. Durante a Operação Monte Carlo, numa ação ousada, cinematográfica e com recursos de alta tecnologia, a Polícia Federal implantou escuta ambiental, com áudio e vídeo, no QG da empreiteira: a sala de Fernando Cavendish, o dono da empresa. Os poucos que sabem do caso já propalam que se a PF ou o Ministério Público vazarem o que têm em mãos, será a CPI das Empreiteiras.

Gravações comprometedoras: os grampos obtidos na sala de Cavendish podem pegar muita gente

Extra
PF plantou escuta na sala de Cavendish

Segredo
Entre as quatro paredes do gabinete do quarto andar do Ed. Central, na Av. Rio Branco, no Centro do Rio, teria desfilado a nata da turma do concreto nacional.

Afastado
A Delta se adiantou e anuncia nesta quarta o afastamento do presidente Fernando Cavendish do cargo. Ele continua proprietário da empresa, mas acompanhando de longe a situação, dedicando-se à sua defesa.

Filme repetido
O script da Delta repete o da Gautama, de Zuleido Veras, em 2006: na mira da PF, depois do CGU e do TCU. Uma vez inidônea, pode sumir do mercado.

Na UTI
A ANS possui apenas 70 fiscais para 45 milhões de contratos de planos de saúde em vigor. Hoje, médicos de 12 capitais não vão atender a consultas de planos em protesto contra as operadoras, que têm atrasado repasses, e quando há. Reclamam também que não há rede hospitalar para a demanda. Em São Paulo, haverá passeata na Av. Paulista.

Boletim médico
Os planos de saúde lucraram R$ 14 bilhões ano passado. O Conselho Federal de Medicina entrega hoje à ANS carta com 15 tópicos nos quais indica mudanças nos contratos entre o médico, para sua preservação, e os planos.

Apagão, só lá fora
No lançamento do PAC da Mobilidade Urbana, a presidente Dilma Rousseff soltou que o governo é modesto. “Poderíamos dizer que temos a melhor matriz energética”. É que o Palácio do Planalto tem gerador. Brasília tem tido apagões toda semana.

Cronômetro do poder
A presidente gastou sete minutos em seu discurso ontem, no lançamento da Mobilidade, apenas para citar as autoridades presentes ao evento.

Tô fora
No furacão das denúncias contra a empreiteira Delta, o governador Sérgio Cabral, do Rio, que tem contratos com a empresa, evitou aparecer em Brasília ontem.

Aniversário de dois anos
O Governo sofre de amnésia. O PAC da Mobilidade lançado por Dilma, ontem, foi lançado no dia 13 de janeiro de 2010 pelo ex-presidente Lula, com a presença dela, como chefe da Casa Civil, no Itamaraty.

Tensão florestal
Enquanto Dilma discursava no segundo andar, foi tensa no terceiro a reunião entre a ministra Ideli Salvatti, das Relações Institucionais, com líderes da base sobre o Código Florestal. A presidente deu recado de que não quer mudanças no texto.

Não e não
A presidente teme que qualquer trégua que dê aos ruralistas agora lhe causa dor de cabeça com ambientalistas na Conferência Rio+20, em junho, onde será a anfitriã e quando o mundo todo voltará os olhos para o Brasil.

Lotação
Candidata do PCdoB à Prefeitura de Porto Alegre, a deputada Manuela D’ávila evitou o elevador do Planalto em que entraria o prefeito José Fortunatti (PDT). Saiu simpática e de fininho pela escada.

Adiamento
A Justiça do Piauí suspendeu a eleição para escolha de conselheiro do TCE, na Assembleia Legislativa. Há 14 candidatos, entre eles a esposa do governador.

Solidariedade
A coluna se solidariza com a família do jornalista Décio Sá, assassinado covardemente em São Luís (MA). É dever da Polícia caçar quem tenta calar a imprensa que denuncia.

Ponto Final
Tiririca foi proibido pelos assessores de jogar no Futebol Beneficente dos Deputados. Sorte do futebol brasileiro.

Com Gilmar Correa
____________________________________

www.colunaesplanada.com.br . contato@colunaesplanada.com.br. Twitter @leandromazzini

Continuar lendo