PM-SP revista jornalistas da Folha por “atitude suspeita”

Motivo da revista policial: foram confundidos com um grupo de manifestantes do Movimento Passe Livre, que organizaram um protesto contra o aumento da tarifa naquela região da cidade

Os jornalistas da Folha de S. Paulo Anna Virgínia Balloussier e Rodolfo Viana foram obrigados pelo Polícia Militar de São Paulo a ficarem ajoelhados, de rosto contra a parede e mãos  entrelaçadas para trás numa rua próxima à sede do jornal, na capital paulista, na noite dessa quinta-feira (21).

Motivo da revista policial: foram confundidos com manifestantes do Movimento Passe Livre, que organizaram ontem um protesto contra o aumento da tarifa. A manifestação foi próxima à redação do periódico, na região central da cidade.

"'Perguntamos por que estávamos sendo enquadrados. 'Atitude suspeita', respondeu a policial feminina. De quê? 'Vandalismo'", afirmam os jornalistas.

Ao fazer uma pausa para o cigarro, os repórteres viram a correria de manifestantes e tentaram filmar o que estava havendo. Após a revista, tiveram o celular tomado pela polícia e só foram liberados após outro funcionário da Folha confirmar que eles trabalhavam no jornal. O celular, um IPhone 5S, foi devolvido após ser apreendido.

Confira o vídeo feito pela repórter da Folha de S. Paulo

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!