CAE aprova mudanças no Supersimples

A Comissão de Assuntos Econômicos aprovou hoje (27) o projeto que amplia o enquadramento de empresas no Simples. Votado em plenário, o projeto irá à sanção

Por votação simbólica, os senadores da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), aprovaram hoje (27) o Projeto de Lei Complementar 77/11, que reajusta em 50% as tabelas de enquadramento das micro e pequenas empresas no Simples Nacional (Supersimples), regime especial unificado de arrecadação de tributos e contribuições que permite às microempresas e empresas de pequeno porte o pagamento de diversos tributos por meio de alíquota única. De acordo com o parecer do relator, senador José Pimentel (PT-CE), o reajuste passa a valer a partir de 1º de janeiro de 2012.

A proposta altera os novos limites de enquadramento para as microempresas. A receita bruta anual das empresas para que ingressem no Supersimples passa de R$ 240 mil para R$ 360 mil, e o da pequena empresa sobe de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões. No país, mais de 5,4 milhões de empresas recolhem os impostos por meio desse sistema especial de tributação.

O PLC também permite que os empreendimentos caracterizados no Supersimples possam exportar até o limite máximo de seu faturamento. Ou seja, para exportação, elas poderão exceder em até 100%, desde que esse excesso seja decorrente de vendas para o mercado externo. Para os microempreendedores individuais (MEI), o texto aumenta de R$ 36 mil para R$ 60 mil o teto da receita bruta anual e permite que os negócios sejam alterados ou fechados pela internet, a qualquer momento.

De acordo com o Sebrae, já existem no país cerca de 1,6 milhão de empreendedores individuais, ou seja, pessoas que têm negócios por conta própria. O projeto foi aprovado com a inclusão de apenas quatro emendas de redação. As emendas de mérito, que tratavam da inclusão de novas categorias econômicas no Simples Nacional e que permitiam que o empreendedor individual contratasse um menor aprendiz, foram rejeitadas. Este cuidado foi tomado para que o texto não volte a novo exame da Câmara. Assim, ele pode ir a sanção assim que for aprovado em Plenário.

A intenção do relator é aprovar o projeto até o dia 05 de outubro, quando se comemora o Dia da Micro e Pequena Empresa. A CAE também aprovou pedido de urgência para que o texto siga ao Plenário ainda hoje. Quatro Medidas Provisórias trancam a pauta do plenário, mas de acordo com o líder do governo no Senado, Romero Jucá, já foi feito um acordo para que todas sejam votadas na tarde de hoje, liberando espaço para que outras matérias sejam apreciadas.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!