Planalto não tem voto para projetos importantes, analisa Maia

Presidente da Câmara disse em entrevistas que, se Eduardo Cunha estivesse no comando, Michel Temer poderia ter caído

O presidente da Câmara afirmou, em entrevista à Folha de S.Paulo, que o Palácio do Planalto não tem votos para aprovar projetos importantes no Congresso. A afirmação acontece um dia depois de o presidente Michel Temer escapar da abertura de mais um processo criminal no Supremo Tribunal Federal, mas com menos apoio dos deputados, obtendo menos votos (251) do que o necessário para ser aprovado um projeto de lei complementar, por exemplo.  “Agora o governo tem que ter paciência, porque ele não tem votos para aprovar matérias importantes”, disse em entrevista ao colunista Bernardo Mello Franco.

<< Leia a entrevista à Folha

Maia disse ao que o Planalto ficou "fragilizado" e "desgastado" depois de barrar as denúncias. Reclamou novamente que os assessores de Temer, que precisa melhorar sua relação com os congressistas, "falam demais". "O Jaburu virou um lugar aonde ninguém quer ir”, acrescentou.

“Pacificar a base é mais inteligente que buscar culpados. E tem que tomar cuidado para não buscar o culpado errado.”

Ele lembrou que Temer cometeu “erros” na conversas secretas com o dono da JBS, Joesley batista, reveladas graças ao gravador do empresário. “A denúncia existe, frágil ou não. Mas tem erros cometidos pelo presidente na conversa com o Joesley.”

Em outra entrevista, para o jornalista Josias de Souza, do UOL, Maia fez uma espécie de alerta. Afirmou que, se Eduardo Cunha – o ex-presidente da Câmara aliado de Temer e hoje preso pela Operação Lava Jato – estivesse no comando da sessão, o destino do presidente da República poderia ser outro. “Pode ser que sim”, respondeu.

<< Leia a entrevista ao UOL

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!