Planalto busca acervo da Presidência dos governos Lula e Dilma desaparecido

 

Uma investigação aberta pelo Palácio do Planalto apura o paradeiro de 712 itens registrados no acervo da Presidência da República que teriam desaparecido durante os governos dos ex-presidentes petistas Lula e Dilma Rousseff. A informação foi publicada pelo jornal O Globo, que aponta que o caso já está em apuração há dez dias.

A lista de objetos desaparecidos inclui obras de arte, utensílios domésticos, peças de decoração, material de escritório e computadores, além de "documentos bibliográficos e museológicos recebidos pelos presidentes da República em cerimônias de troca de presentes com chefes de Estado”.

Pelas regras, os objetos recebidos em cerimônias de troca de presentes com chefes de Estado e de governo e documentos recebidos por presidentes em função do cargo devem permanecer no Palácio do Planalto, em Brasília, ou serem direcionados para o Arquivo Nacional e o Museu da República, no Rio de Janeiro.

<< Leia a reportagem do jornal O Globo na íntegra

A reportagem relembra que, em 2016, quando o presidente Michel Temer (MDB) assumiu o governo, assessores fizeram um levantamento nos bens da Presidência. O resultado tornou-se objeto de julgamento do Tribunal de Contas da União (TCU), que determinou as buscas das peças desaparecidas. Na época, cerca de 4,5 mil itens do patrimônio da Presidência tinham paradeiro desconhecido.

As buscas foram determinadas a partir de uma lista de presentes recebidos por Lula e Dilma em eventos oficiais durante seus mandatos. No dia 7 deste mês, o Planalto abriu a investigação para ir a campo localizar as peças que estariam em poder dos ex-presidentes.

A operação vai começar pelos locais onde foram guardados os bens pessoais do ex-presidente Lula. O Planalto vai utilizar um avião da Força Aérea Brasileira para resgatar 144 artigos ligados a Dilma Rousseff que já foram separados pelos assessores da ex-presidente.

De acordo com o jornal, um grupo de servidores vem vasculhando centenas de caixas guardadas no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo, onde estão localizados os bens pessoais de Lula, em busca de 568 objetos desaparecidos, 390 peças foram reencontradas e serão reintegradas ao patrimônio presidencial.

<< OAS paga R$ 1,3 milhão para armazenar objetos de Lula

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!