Planalto faz críticas a emprego de violência em manifestações

“O país não pode ser palco de atos que só disseminam o medo e a intimidação para as famílias e os cidadãos brasileiros”, declarou o porta-voz da Presidência da República, Alexandre Parola

 

 

O presidente Michel Temer preferiu não falar pessoalmente sobre as manifestações realizadas em Brasília durante toda a tarde desta terça-feira (29). Para isso, o porta-voz do Planalto, Alexandre Parola, foi convocado para comentar os confrontos entre militantes e Polícia Militar. De acordo com Parola, Temer “repudia o vandalismo, a destruição e a violência de um grupo de manifestantes hoje em Brasília”.

Leia mais:
Vídeo: manifestantes capotam dois carros em frente ao Congresso

“A intolerância não é forma de expressão democrática e não pode ser instrumento para pressionar o Congresso”, disse o representante da Presidência da República.

“O governo sempre esteve aberto ao diálogo e defende o direito às reivindicações, mas jamais transigirá com atos de destruição do patrimônio público e privado”, acrescentou o porta-voz.

Durante o pronunciamento, Parola enfatizou ainda que os episódios de violência contra veículos de comunicação durante o protesto é uma afronta à liberdade de imprensa, o qual caracterizou como um “valor central” da democracia.

“O país não pode ser palco de atos que só disseminam o medo e a intimidação para as famílias e os cidadãos brasileiros. O presidente lembra que a mesma Constituição que garante a liberdade de manifestação, protege também a imprensa livre”, ponderou o porta-voz.

* Com informações da Agência Brasil

Mais sobre o Brasil nas ruas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!