Pizzolato se entrega às autoridades italianas

Ex-diretor do Banco do Brasil se apresentou à polícia de Maranelo após tribunal decidir a favor de extradição. Palavra final será dada pelo ministro da Justiça da Itália. Para magistrados, Papuda oferece condições de segurança para condenado

O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato se entregou às autoridades de Maranelo, na Itália, após a Justiça italiana decidir por sua extradição para o Brasil. Condenado no processo do mensalão a 12 anos e sete meses de prisão, Pizzolato fugiu para a Itália em 2013 com documentos falsos. Ele deve aguardar agora decisão do ministro da Justiça italiano, Andrea Orlando, a quem caberá a palavra final sobre o pedido das autoridades brasileiras.

O ex-diretor do Banco do Brasil vivia na cidade de Módena, onde deve permanecer preso na penitenciária de Sant’Anna, informa a Folha de S.Paulo. A Corte de Cassação da Itália, principal tribunal do país europeu, entendeu que o governo brasileiro deu as devidas garantias de que o condenado, que também tem cidadania italiana, não correrá risco de morte no complexo penitenciário da Papuda, em Brasília, onde deverá cumprir sua pena.

Em novembro, a Corte de Apelação de Bolonha havia negado o pedido de extradição sob o argumento de que os presídios do Brasil não ofereciam as mínimas condições de segurança a Pizzolato. Ele foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de lavagem de dinheiro e peculato. Assim que for notificado oficialmente, o Ministério da Justiça da Itália terá 20 dias para tomar a decisão.

Mais sobre mensalão

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!