PGR vai investigar suspeita de fraude na CPI da Petrobras

Denúncia do PSDB diz que investigados combinaram com senadores da CPI o que seria dito nos depoimentos

A Procuradoria da República no Distrito Federal abriu procedimento preliminar para investigar denúncias de que investigados pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras combinaram com senadores do colegiado as perguntas que seriam feitas nos depoimentos. A apuração foi aberta com base em uma representação feita pelo PSDB. A parte criminal do procedimento será encaminhada à Procuradoria-Geral da República (PGR), porque envolve parlamentares, que têm foro privilegiado.

O caso veio à tona com denúncia publicada pela revista Veja. Segundo a publicação, a presidenta da Petrobras, Graça Foster; o ex-presidente da estatal José Sergio Gabrielli e o ex-diretor da Área Internacional Nestor Cerveró "tiveram acesso antecipado às perguntas e foram treinados para responder aos questionamentos“ da comissão.

Após a divulgação da matéria, baseada em um vídeo no qual aparecem três empregados de alto escalão da Petrobras discutindo estratégias para os depoimentos, o Senado instalou uma comissão de sindicância para apurar as denúncias. Os trabalhos devem ser concluídos em 30 dias, que podem ser prorrogados. O presidente da CPI, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), também pediu que a Polícia Federal investigasse as denúncias de combinação entre a estatal e senadores.

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!