PGR pede ao Supremo inquérito contra deputado Rodrigo Bethlem

Procurador indicou que parlamentar fluminense deve ser investigado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Suposto esquema envolvia ONGs

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta quarta-feira (6) ao Supremo Tribunal Federal (STF) a abertura de investigação contra o deputado federal Rodrigo Bethlem (PMDB-RJ) por suspeita de envolvimento em caso de corrupção. O peemedebista teria recebido dinheiro para beneficiar a organização não governamental (ONG) Casa Espírita Tesloo quando era secretário na prefeitura do Rio de Janeiro (RJ) e teria uma conta na Suíça não declarada à Justiça eleitoral.

No pedido, o procurador indicou que o parlamentar deve ser investigado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Após o caso vir à tona, Bethlem retirou sua candidatura à reeleição. Ele aparece em gravações de áudio de vídeo, divulgadas pelas revistas Época e Veja, admitindo receber propina quando secretário e ter uma conta na Suíça. As gravações foram feitas pela ex-mulher do parlamentar, Vanessa Felippe – ela discordava do valor da pensão após o divórcio.

Nas gravações, Bethlem falou sobre o esquema num diálogo com a ex-mulher, em 2011. De acordo com as reportagens, pelo esquema, ele recebia até R$ 85 mil por mês (fora do salário) a partir do desvio de dinheiro de contratos firmados pela prefeitura. Também há a suspeita de que o esquema incluía uma empresa que fornecia refeições para ONGs. O parlamentar nega as acusações.

 

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!