PF vai investigar Paulinho da Força por suspeita de corrupção

Ministro Gilmar Mendes mandou o caso para a Polícia Federal, que deve apurar suposta venda de "cartas sindicais". Parlamentar é suspeito de corrupção passiva

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou a instauração de inquérito contra o deputado Paulo Pereira da Silva (SD-SP). Conhecido como Paulinho da Força, o parlamentar é suspeito de corrupção passiva. Ele é candidato à reeleição.

A pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), Gilmar Mendes mandou o caso para a Polícia Federal, que abrirá o inquérito. No STF, o procedimento está sob o número 3901.

De acordo com o despacho assinado nesta semana pelo ministro, o crime a ser apurado consiste na venda de “cartas sindicais, [documentos] indispensáveis ao registro de sindicatos”. As cartas são autorizações do Ministério do Trabalho para a criação de sindicatos.

Em 2011, a revista IstoÉ publicou reportagem sobre suposto esquema de cobrança de propina para liberação de "cartas sindicais". Paulinho da Força presidia a Força Sindical. Na época, o deputado disse que a reportagem era "fantasiosa" e uma “tentativa de criminalizar o movimento sindical".

 

Metade dos congressistas tem pendências criminais

Mais sobre processos

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!