PF indicia Lula e Marisa em processo sobre tríplex na Lava Jato

Protocolado na Justiça Federal, documento acusa citados por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Também foram indiciados o ex-presidente da OAS, José Adelmario Pinheiro Filho; o arquiteto Paulo Gordilho e o presidente do Instituto Lula Paulo Okamotto

A Polícia Federal (PF) indiciou nesta sexta-feira (26) o ex-presidente Lula, a sua esposa, Marisa Letícia, o ex-presidente da OAS, José Adelmario Pinheiro Filho – mais conhecido como Léo Pinheiro, o arquiteto Paulo Gordilho e o presidente do Instituto Lula Paulo Okamotto. Todos são acusados por corrupção ativa, passiva e lavagem de dinheiro. Este é o primeiro indiciamento de Lula na Operação Lava Jato.

Protocolado no sistema eletrônico da Justiça Federal no Paraná, o documento aponta irregularidades na aquisição do apartamento tríplex em Guarujá e em reforma realizada nas dependências da unidade no Edifício Solaris. De acordo com a PF, Lula e Marisa receberam "vantagens ilícitas" da construtora OAS. A força-tarefa afirma ainda que o valor alcança R$ 2,4 milhões.

"Foi possível apurar que o casal Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia Lula da Silva foi beneficiário de vantagens ilícitas, por parte da OAS, em valores que alcançam R$ 2.430.193,61 referentes as obras de reforma no apartamento 164-A do Edifícios Solaris, bem como no custeio de armazenagem de bem do casal”, destaca o delegado federal Márcio Adriano Anselmo, que assina o documento.

Acervo Lula

A PF também investiga a OAS pelo pagamento, entre 2011 e 2016, de um depósito para armazenar bens do ex-presidente da República. Por mês, a construtora repassava R$ 21,5 mil para a Granero, responsável pelo espaço. As informações da PF avaliam que cerca de R$ 1,3 milhão foram gastos com o transporte do acervo de Lula em Brasília no fim do seu mandato.

"Curiosamente, ao invés de realizarem o ato por intermédio do Instituto Lula, buscou-se a ocultação do real titular do contrato mediante a 'contratação direta' pela OAS, beneficiária direta do esquema de desvios de recursos no âmbito da Petrobras", escreveu Anselmo.

Acusações

Lula e Okamotto são acusados por corrupção passiva, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro. Léo Pinheiro passa a responder por corrupção ativa, falsidade ideológica e lavagem de dinheiro; ele já foi condenado no âmbito da Lava Jato a 16 anos e quatro meses de prisão por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e organização criminosa. O arquiteto Paulo Gordilho vai responder por corrupção ativa e lavagem de dinheiro.

A esposa do ex-presidente foi acusada por corrupção passiva pelo recebimento de vantagens indevidas por parte de Léo Pinheiro e Gordilho; e por lavagem de dinheiro. A PF avalia que Maria dissimulou o recebimento das vantagens através das obras realizadas no tríplex.

Mais sobre Lula

Mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!