PF abre inquérito para investigar Palocci

Suspeita da PF é que Palocci tenha recebido R$ 2 milhões fruto do esquema de desvio de recursos da Petrobras. Em delação premiada, Paulo Roberto disse que o ex-ministro pediu dinheiro para a campanha de Dilma Rousseff

A Polícia Federal (PF) no Paraná abriu inquérito para investigar repasses da ordem de R$ 2 milhões ao ex-ministro chefe da Casa Civil Antônio Palocci. Segundo delação premiada do ex-diretor de refino e abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa o dinheiro foi utilizado na campanha da presidente Dilma Rousseff, em 2010.

A suspeita da PF é que esse dinheiro seja fruto do esquema de corrupção descoberto pela operação Lava Jato. A abertura de inquérito foi determinada no início da noite desta segunda-feira (15) pelo juiz Sérgio Moro.

Segundo a delação de Paulo Roberto Costa, o dinheiro sairia da “cota do PP” no esquema de desvios da Petrobras. O ex-diretor contou que acionou o doleiro Alberto Youssef para providenciar o repasse, mas ressaltou que não tinha certeza se o dinheiro havia sido transferido. Palocci, no entanto, sempre negou as irregularidades.

As investigações contra Palocci foram iniciadas no Supremo Tribunal Federal (STF) mas o ministro Teori Zavascki determinou o encaminhamento do processo à primeira instância já que Palocci não tem mais foro privilegiado.

Saiba mais sobre Operação Lava Jato

Continuar lendo