Petrolão: as suspeitas que recaem sobre os políticos

Veja o que sustenta o pedido de abertura de inquérito contra cada uma das 49 pessoas que serão investigadas no Supremo Tribunal Federal no âmbito da Operação Lava Jato

Um esquema de desvio de recursos públicos que envolvia repasses mensais e até quinzenais para políticos. Um caso que arrastou o governo Dilma Rousseff e a cúpula do Congresso Nacional para uma das maiores crises das últimas décadas e desvalorizou vertiginosamente o valor de mercado de uma das maiores empresas do planeta. A abertura de inquéritos da Operação Lava Jato contra políticos, autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), traz a fase mais aguardada daquela que é, segundo o Ministério Público Federal, “a maior investigação de corrupção da história do país”.

O Congresso em Foco reproduz abaixo a íntegra desses pedidos, com as respectivas suspeitas que recaem sobre os personagens do escândalo político que sacode a República, como os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Também publicamos as justificativas dos arquivamentos dos casos considerados frágeis pelos procuradores, como as citações envolvendo os senadores Aécio Neves (PSDB-MG) e Delcídio do Amaral (PT-MS) e o ex-deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

Baseados nas delações premiadas do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef, principal operador do esquema, os pedidos narram suspeitas que, a partir de agora, serão investigadas. Ainda não há acusação formal contra nenhuma das 49 pessoas que serão investigadas. Entre elas, 47 políticos (12 senadores, 22 deputados, uma ex-governadora e 12 ex-deputados), o tesoureiro do PT e um lobista apontado como intermediário do PMDB no esquema. O STF também arquivou casos contra sete políticos por falta de indícios de prática de crime, conforme recomendação da Procuradoria-Geral da República.

Paulo Roberto contou que agia para beneficiar políticos do PP, responsáveis por sua indicação, e do PMDB, que o ajudaram a se manter no cargo. Mas contou que também prestou serviços para políticos do PT. Os ex-diretores Nestor Cerveró, apontado como peça-chave na parte do esquema que envolve o PMDB, e Renato Duque, citado como operador do PT, não aceitaram a delação premiada, mecanismo que prevê a redução da pena em troca da colaboração efetiva com as investigações. Os dois negam participação no esquema.

Clique no inquérito ou petição para ler a investigação:

Inquérito 3883 – lavagem de dinheiro
Fernando Collor (PTB-AL) – senador

Inquérito 3963
Antonio Anastasia (PSDB-MG) – senador

Petição 5252corrupção e lavagem de dinheiro
Edison Lobão (PMDB-MA) – senador
Roseana Sarney (PMDB-MA) – ex-governadora

Petição 5254 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Aníbal Gomes (PMDB-CE) – deputado
Renan Calheiros (PMDB-AL) – presidente do Senado

Petição 5255 corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Edison Lobão (PMDB-MA) – senador, ex-ministro

Petição 5256 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Humberto Costa (PT-PE) – senador

Petição 5257 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Gleisi Hoffmann (PT-PR) – senadora

Petição 5258 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Lindbergh Farias (PT-RJ) – senador

Petições 5260, 5276, 5277, 5279, 5281, 5289 e 5293 – quadrilha, corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Afonso Hamm (PP-RS) – deputado
Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) – deputado e ex-ministro das Cidades
Aline Corrêa (PP-SP) – ex-deputada
Aníbal Gomes (PMDB-CE) – deputado
Arthur Lira (PP-AL) – deputado
Carlos Magno (PP-RO) – ex-deputado
Ciro Nogueira (PP-PI) – senador
Dilceu Sperafico (PP-PR) – deputado
Eduardo da Fonte (PP-PE) – deputado
Fernando Antônio Falcão Soares – apontado como operador do PMDB no esquema
Gladson Cameli (PP-AC) – senador
Jerônimo Goergen (PP-RS) – deputado
João Pizzolatti (PP-SC) – ex-deputado
João Leão (PP-BA) – ex-deputado, é vice-governador da Bahia
João Vaccari Neto – tesoureiro do PT
José Linhares (PP-CE) – ex-deputado
José Otávio Germano (PP-RS) – deputado
Lázaro Botelho (PP-TO) – deputado
Luiz Argôlo (SD-BA) – ex-deputado
Luiz Carlos Heinze (PP-RS) – deputado
Luiz Fernando Faria (PP-MG) – deputado
Mário Negromonte (PP-BA) – ex-deputado, é conselheiro do TCM-BA
Missionário José Olímpio (PP-SP) – deputado
Nelson Meurer (PP-PR) – deputado
Pedro Corrêa (PP-PE) – ex-deputado, cumpre pena do mensalão
Pedro Henry (PP-MT) – ex-deputado, cumpre pena do mensalão
Renan Calheiros (PMDB-AL) – presidente do Senado
Renato Molling (PP-RS) – deputado
Roberto Balestra (PP-GO) – deputado
Roberto Britto (PP-BA) – deputado
Roberto Teixeira (PP-PE) – ex-deputado
Romero Jucá (PMDB-RR) – senador
Sandes Junior (PP-GO) – deputado
Simão Sessim (PP-RJ) – deputado
Valdir Raupp (PMDB-RO) – senador
Vilson Covatti (PP-RS) – ex-deputado
Waldir Maranhão (PP-MA) – deputado

Petições 5261 e 5288 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Eduardo da Fonte (PP-PE) – deputado

Petição 5262 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Valdir Raupp (PMDB-RO) – senador

Petição 5264 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Vander Loubet (PT-MS) – deputado
Cândido Vaccarezza (PT-SP) – ex-deputado

Petição 5265 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
José Otávio Germano (PP-RS) – deputado

Petições 5266 e 5294 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Nelson Meurer (PP-RS) – deputado

Petição 5267 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
João Pizzoatti (PP-SC) – deputado

Petições 5268 e 5285 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Arthur de Lira (PP-AL) – deputado
Benedito Lira (PP-AL) – senador

Petição 5269 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Simão Sessim (PP-RJ) – deputado

Petição 5274 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Aníbal Gomes (PMDB-CE) – deputado
Renan Calheiros (PMDB-AL) – presidente do Senado

Petição 5278 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Eduardo Cunha (PMDB-RJ) – presidente da Câmara

Petição 5280 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
João Pizzolatti (PP-SC) – ex-deputado

Petição 5282 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
José Mentor (PT-SP) – deputado

Petição 5284 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Arthur Lira (PP-AL) – deputado
Benedito de Lira (PP-AL) – senador

Petição 5290 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
João Pizzolatti (PP-SC) – ex-deputado

Petição 5291 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
João Pizzolatti (PP-SC) – ex-deputado
Roberto Teixeira (PP-PE) – ex-deputado

Remetidos à Justiça Federal

Petição 5263
Antonio Palocci (PT-SP) – ex-ministro e ex-deputado

Petição 5273
Cândido Vaccarezza (PT-SP) - ex-deputado

Petição 5286 – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
João Pizzolatti (PP-SC) – ex-deputado
Pedro Corrêa (PP-PE) – ex-deputado

Protocolo 34996
Cândido Vaccarezza (PT-SP)

Casos arquivados

Petição 5253
Delcídio do Amaral (PT-MS) – senador

Petição 5259
Romero Jucá (PMDB-RR) – senador

Petições 5261 e 5288
Ciro Nogueira (PP-PI) – senador
Observação: investigações continuam em relação ao deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), arrolado nas mesmas petições

Petição 5271
Alexandre Santos (PMDB-RJ) – ex-deputado

Petição 5272
Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) – ex-deputado e ex-presidente da Câmara

Petição 5283
Aécio Neves (PSDB-MG) – senador, ex-candidato à Presidência da República

Petição 5287 (arquivado e remessa dos autos ao STJ) – corrupção passiva e lavagem de dinheiro
Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) – deputado
Ciro Nogueira (PP-PI) – senador

Mais sobre a Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!