Petrobras abriu licitações sem ter projeto para obras, diz Folha

Auditoria interna mostra que estatal realizou licitações no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) antes mesmo da conclusão dos projetos básicos que permitiriam estimar os custos das obras

Uma auditoria interna iniciada logo após a deflagração da Operação Lava Jato mostra que a Petrobras realizou licitações no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) antes mesmo da conclusão dos projetos básicos que permitiriam estimar os custos das obras. Em um dos casos, o projeto só ficou pronto um ano e meio após a abertura da concorrência. As informações são da Folha de S. Paulo.

Segundo a reportagem, a estatal estuda o que fazer para cobrar os prejuízos causados pelas irregularidades constatadas. O relatório, concluído em novembro, indica que as empreiteiras foram favorecidas nas licitações e obtiveram reajustes indevidos no valor dos contratos. “Empresas que não atendiam critérios técnicos e regras definidas pela própria estatal nas licitações foram contratadas mesmo assim”, diz a matéria.

As apurações vão ao encontro do que disse o ex-diretor de Abastecimento da empresa Paulo Roberto Costa, que colabora com as investigações em troca da redução da pena. Ele contou à Justiça que executivos pagavam propina a políticos, diretores e funcionários da Petrobras em troca de contratos para tocar grandes empreendimentos da Petrobras, entre eles, o Comperj. A estatal informou que não se manifesta sobre o relatório.

Leia a íntegra da reportagem da Folha

Mais sobre Petrobras

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!