Partidos cobiçados por Dilma crescem com janela

PP, PTN e PR estão entre as legendas que mais se beneficiaram com o troca-troca partidário e estão na mira do governo para tentar barrar o impeachment de Dilma. Veja a lista dos deputados que mudaram de legenda

A Câmara deve votar na segunda-feira (04) um projeto de resolução (PRC 133/16) que muda as regras de composição das comissões da Casa. Formulada pela Mesa Diretora, a proposição determina que as indicações para a presidência e demais postos de comando do colegiado, bem como a escolha de seus membros, devem seguir o princípio da proporcionalidade das legendas, baseado no número de representantes das bancadas após o fechamento da chamada janela partidária.

A regra em vigor leva em consideração o tamanho das bancadas eleitas ou dos blocos parlamentares no dia da posse. No entanto, com a promulgação da PEC 91/2016, que abriu o prazo de 30 dias para que os deputados pudessem trocar de partido sem o risco de perder o mandato, a configuração atual das bancadas sofreu alterações em relação ao início da legislatura. A princípio, o PT detinha o maior número de deputados, 68. Hoje o partido tem 57 parlamentares e perdeu a liderança para o PMDB, que na última terça-feira (29) rompeu oficialmente com o governo.

O PSDB continua com a terceira maior bancada até o momento, com 51 deputados. Em seguida vem o PP, com 49 parlamentares. Ao todo, a Secretaria-Geral da Mesa (SGM) registrou que 91 deputados mudaram de legenda, além de quatro parlamentares que não estão em exercício. O número pode ser ainda maior, uma vez que muitos parlamentares informaram à Justiça Eleitoral a mudança dentro do prazo (que acabou no dia 19 de março), mas demoram a comunicar à SGM.

Ganhos

Até o momento, o Partido Progressista foi o que mais se beneficiou do troca-troca partidário. Recebeu 12 novos parlamentares e perdeu dois, deixando a legenda com um saldo positivo de dez novos integrantes. Além de obter vantagem com a nova regra para a composição das comissões permanentes, o partido de Paulo Maluf (SP) tem sido cortejado pela presidente Dilma Rousseff depois da debandada do PMDB da base aliada.

Partido com o maior número de políticos investigados pela Operação Lava Jato (32 dos 51), o PP já ocupa o Ministério da Integração Nacional, com Gilberto Occhi, e está cotado para assumir o ministério da Saúde, atualmente chefiado pelo peemedebista Marcelo Castro. O objetivo é reunir votos suficientes para conseguir barrar o processo que tramita na Comissão Especial de Impeachment. Mas a negociação não será fácil, pois setores favoráveis à saída de Dilma do Palácio do Planalto também vêm tentando seduzir a quarta maior bancada da Câmara a romper com o governo. O diretório nacional do partido vai se reunir nos dias 11 ou 12 para decidir se permanecerá na base aliada.

Outro partido que se beneficiou com a janela partidária e que também está na mira do governo para fortalecer o grupo contrário ao impeachment é o PTN. O partido que contava com apenas quatro deputados no início da legislatura hoje soma 13 parlamentares. O líder da legenda na Câmara, deputado Aluisio Mendes (MA), avalia que a janela de troca partidária foi uma conquista para os parlamentares. De acordo com ele, os partidos pequenos "dificilmente" têm espaço para discutir matérias.

A partir desta realidade, com a janela, Aluisio contou ao Congresso em Foco que conversou com parlamentares que também integravam partidos menores sugerindo a união. Com a nova disposição da bancada, o PTN tem a prerrogativa, inclusive, de presidir uma comissão.

"Hoje o PTN é um partido com 13 parlamentares que tem realmente espaços nobres nas comissões e voz ativa na Casa. O PTN foi um dos partidos que mais cresceu, e com uma vantagem, sem os argumentos ideológicos utilizados pelos outros partidos", avaliou. O líder destacou ainda que hoje a legenda é maior que bancadas consideradas de peso na Câmara. "Nós consolidamos uma bancada representativa maior que o PCdoB, que o PPS, e maior que vários partidos que têm história na Casa", acrescentou.

Tabuleiro

O PR e o DEM se beneficiaram igualmente com seis novos parlamentares cada. Eleito com 34 deputados, hoje o Partido da República se consolida como quinta maior bancada, com 40 representantes, e está no radar do governo para resguardar o mandato da presidente. O partido já comanda o Ministério dos Transportes, com Antônio Carlos Rodrigues, e pode vir assumir o Ministério de Minas e Energia, hoje chefiado pelo peemedebista Eduardo Braga, um dos ministros do PMDB que ainda resistem a desembarcar do governo.

O PSD não obteve grandes vantagens com a janela partidária. Ganhou nove e perdeu oito, ficando com um saldo de apenas um novo membro. Com 33 representantes atualmente, o partido do ministro Gilberto Kassab (Cidades) também está em negociação com o governo para definir uma posição em relação ao impeachment.

Veja a lista dos deputados que trocaram de partido:

DEPUTADO UF ORIGEM DESTINO
Abel Mesquita Jr. RR PMB DEM
Adalberto Cavalcanti PE PTdoB PTB
Adelson Barreto SE PTB PR
Ademir Camilo MG PROS PTN
Alberto Fraga DF DEM PP
Alexandre Baldy GO PSDB PTN
Alexandre Serfiotis RJ PSD PMDB
Alexandre Valle RJ PMB PR
Alfredo Kaefer PR PSDB PSL
Altineu Côrtes RJ PR PMDB
André Abdon AP PRB PP
André Fufuca MA PEN PP
Antônio Brito BA PTB PSD
Antonio Carlos Mendes Thame SP PSDB PV
Antônio Jácome RN PMN PTN
Ariosto Holanda CE PROS PDT
Arthur Maia BA SD PPS
Assis Couto PR PMB PDT
Beto Salame PA PROS PP
Brunny MG PMB PR
Cabo Daciolo RJ s/partido PTdoB
Carlos Eduardo Cadoca PE PCdoB s/partido
Carlos Henrique Gaguim TO PMB PTN
Christiane de Souza Yared PR PTN PR
Cícero Almeida AL PSD PMDB
Dâmina Pereira MG PMB PSL
Delegado Edson Moreira MG PTN PR
Delegado Waldir GO PSDB PR
Domingos Neto CE PMB PSD
Dr. Jorge Silva ES PROS PHS
Dr. Sinval Malheiros SP PMB PTN
Edio Lopes RR PMDB PR
Eliziane Gama MA Rede PSB
Erivelton Santana BA PSC PEN
Eros Biondini MG PTB PROS
Expedito Netto RO SD PSD
Ezequiel Teixeira RJ PMB PTN
Fábio Ramalho MG PMB PMDB
Fausto Pinato SP PRB PP
Felipe Bornier RJ PSD PROS
Francisco Chapadinha PA PSD PTN
Francisco Floriano RJ PR DEM
Franklin Lima MG PTdoB PP
George Hilton MG PRB PROS
Geraldo Resende MS PMDB PSDB
Givaldo Carimbão AL PROS PHS
Hiran Gonçalves RR PMB PP
Hissa Abrahão AM PPS PDT
Hugo Leal RJ PROS PSB
Jair Bolsonaro RJ PP PSC
João Campos GO PSDB PRB
José Augusto Curvo MT PDT PSD
José Carlos Araújo BA PSD PR
Jozi Araújo AP PTB PTN
Juscelino Filho MA PMB DEM
Kaio Maniçoba PE PHS PMDB
Laudívio Carvalho MG PMDB SD
Leonidas Cristino CE PROS PDT
Lincoln Portela MG PR PRB
Lindomar Garçon RO PMDB PRB
Luiza Erundina SP PSB PSOL
Macedo CE PSL PP
Mainha PI SD PP
Major Olímpio SP PMB SD
Marcelo Álvaro Antônio MG PMB PR
Marcelo Matos RJ PDT PHS
Marcos Reategui AP PSC PSD
Marcos Rogério RO PDT DEM
Marcos Soares RJ PR DEM
Missionário José Olímpio SP PP DEM
Moses Rodrigues CE PPS PMDB
Nelson Padovani PR PSC PSDB
Odorico Monteiro CE PT PROS
Pastor Eurico PE PSB PHS
Paulo Martins PR PSC PSDB
Professora Marcivania AP PT PCdoB
Raquel Muniz MG PSC PSD
Ricardo Teobaldo PE PMB PTN
Ricardo Izar SP PSD PP
Rôney Nemer DF PMDB PP
Sandro Alex PR PPS PSD
Silas Câmara AM PSD PRB
Sóstenes Cavalcante RJ PSD DEM
Stefano Aguiar MG PSB PSD
Valtenir Pereira MT PMB PMDB
Vicente Arruda CE PROS PDT
Vicentinho Junior TO PSB PR
Victor Mendes MA PMB PSD
Uldurico Junior BA PTC PV
Toninho Wandscheer PR PMB PROS
William Woo SP PV PP

Mais sobre fidelidade partidária

Mais sobre impeachment

Mais sobre crise na base

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!