Partido de Bolsonaro vai tirar deputados de várias siglas, dizem aliados

Decidido a sair do PSL, o presidente Jair Bolsonaro convocou uma reunião para esta terça-feira (12) com os deputados do PSL que ficaram do seu lado na briga com Luciano Bivar (PSL-PE). A expectativa é que o presidente apresente detalhes do plano de criar um novo partido - plano que já causa burburinho nos corredores da Câmara. Aliados de Bolsonaro explicam que esse novo partido deve atrair deputados da ala bolsonarista do PSL e também deputados de outros partidos. Os mais otimistas dizem até que a sigla de Bolsonaro terá a maior bancada da Câmara já no próximo ano.

> Bolsonaro decide sair do PSL e fundar novo partido

Nomeado por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) como vice-líder do PSL na Câmara, o deputado Bibo Nunes (RS) diz que já foi procurado por deputados de outros partidos desde que Bolsonaro confirmou nesta segunda-feira (11) a intenção de deixar o PSL. "Deputados de outras siglas também vão aderir ao novo partido", garante Bibo Nunes, dizendo que há parlamentares de vários partidos interessados na sigla do presidente, sobretudo os do PSD e do PSC. "Só não vir os de oposição", afirma o vice-líder do PSL. "Sabemos de vários deputados que têm interesse em ir para o novo partido do presidente", confirmou Carla Zambelli (PSL-SP).

Bibo Nunes arrisca até que, quando for criado, o partido de Bolsonaro deve filiar mais de 30 deputados do PSL e cerca de 20 ou 25 deputados de outras legendas. "Acredito que, quando estiver formado, vamos iniciar com no mínimo 55 deputados. O novo partido do Bolsonaro terá a maior bancada da Câmara", torce o deputado do Rio Grande do Sul, que espera ver essa nova sigla operando já em fevereiro do próximo ano.

Ele explicou ainda que, como se trata de uma nova legenda, os deputados não precisam aguardar a janela partidária para se filiar. "Sendo um partido novo, qualquer parlamentar pode mudar sem perder nada", afirmou Bibo Nunes, que promete ser um dos primeiros integrantes desse novo partido. "Se eu pudesse, saia agora do PSL", disse o deputado, que, assim como Bolsonaro, rompeu com a ala bivarista do partido.

Os deputados bolsonaristas admitem, por sua vez, que ainda não há muitos detalhes sobre essa nova sigla. Nem o nome, Aliança pelo Brasil, está confirmado. Os detalhes devem ser mesmo discutidos nesta terça-feira. Mais de 40 parlamentares devem participar da conversa com Bolsonaro, segundo os aliados do presidente. Da bancada do PSL, só não foram convidados quem entrou em choque direto com Bolsonaro nas últimas semanas, como Luciano Bivar, Joice Hasselmann (SP), Delegado Waldir (GO) e Júnior Bozzella (SP).

> Lula é alvo de pedidos de prisão preventiva

Campanha do Congresso em Foco no Catarse

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!