Parlamentares justificam suas ausências

O que diz quem se ausentou de mais de um terço das sessões

Deputados

João Lyra (PSD-AL)
“O deputado teve um problema otológico (ouvido) e, por determinação médica, ficou impedido de se locomover por meio de aeronaves, o que motivou suas ausências justificadas em 2012. João Lyra seguiu realizando seu trabalho parlamentar a partir de seu gabinete de apoio em Maceió.”

Aníbal Gomes (PMDB-CE)
“O deputado foi submetido, em fevereiro, a uma cirurgia na coluna e tirou licença médica. No entanto, no decorrer do ano ele sentiu muita dor e teve de se ausentar para fazer fisioterapia.”

Nice Lobão (PSD-MA)
A deputada, que está com 77 anos, fez, pela terceira vez, uma cirurgia na coluna em outubro. “Foram apresentados os relatórios e atestados médicos. A deputada não tem por que abdicar do mandato, pois foi eleita e tem o direito de ficar até o final.”

Sérgio Guerra (PSDB-PE)
“As faltas do deputado Sérgio Guerra em 2012 se justificam por conta de problemas com sua saúde”, diz a assessoria do presidente nacional do PSDB.

José Priante (PMDB-PA)
“O deputado se ausentou em função de missões oficiais do partido e da campanha eleitoral, como candidato a prefeito de Belém”, explica a assessoria.

Antônia Lúcia (PSC-AC)
O gabinete atribui as faltas aos compromissos da deputada como candidata à prefeitura de Rio Branco.

Ricardo Tripoli (PSDB-SP)
“As ausências do deputado se devem a missões parlamentares em São Paulo. Foram 30 ausências justificadas no atendimento de obrigações relacionadas ao mandato e à plataforma ambiental que ele representa no Parlamento”, informa a assessoria.

Manuela D’Ávila (PCdoB-RS)
“A maior parte das faltas ocorreu por causa do atendimento de obrigações partidárias ou licença médica”, diz a assessoria da deputada, que concorreu à prefeitura de Porto Alegre.

Procurados pela reportagem, os demais deputados que faltaram a mais de um terço das sessões de 2012 não retornaram o contato.

Senadores

Clóvis Fecury (DEM-MA)
A assessoria informou que o senador se ausentou para cumprir obrigações políticas e que, regimentalmente, não precisa revelar que atividades desenvolveu fora da Casa.

Antonio Russo (PR-MS)
Segundo a assessoria do senador, ele teve de se ausentar para tratar de um acidente vascular cerebral sofrido em julho. “Mesmo com o problema de saúde, ele ficou no mandato para apresentar suas propostas e emendas. No fim do ano, no entanto, preferiu se licenciar”, explica o gabinete.

Mário Couto (PSDB-PA)
“Em 2012, minhas atividades parlamentares foram intensas no Pará por causa das eleições municipais. Somos oposição no Congresso e precisamos nos fortalecer cada vez mais para melhor combater aquilo de que discordamos na política petista. A ausência do Senado em nada representa ausência de trabalho. É quando mais arregaçamos as mangas”, afirma o senador.

Lobão Filho (PMDB-MA)
“A atividade parlamentar é ampla e também se exerce no estado. Em 2012, o senador teve 21 licenças por motivos pessoais, oito por motivos de saúde e oito faltas não justificadas, de acordo com dados do quadro de comparecimento da Secretaria-Geral da Mesa do Senado”, informou o gabinete.

Procurado pela reportagem, Jader Barbalho (PMDB-PA) não retornou o contato.

Compre e assine a Revista Congresso em Foco

Quem faltou a mais de um terço das sessões
Cresce a bancada dos mais ausentes no Congresso
Tudo sobre assiduidade

Curta o Congresso em Foco no Facebook
Siga o Congresso em Foco no Twitter

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!