Parlamentares denunciam Rachel Sheherazade e SBT na PGR

Bancada do Psol e dois deputados do PT assinam representação contra jornalista e emissora por causa de comentários sobre ação de "justiceiros" contra menor infrator agredido e amarrado nu em poste no Rio

A bancada do Psol no Congresso e dois deputados petistas entraram, nesta terça-feira (11), com uma representação na Procuradoria-Geral da República contra a jornalista Rachel Sheherazade e o SBT por apologia ao crime, à tortura e ao linchamento. O grupo foi recebido esta tarde pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a quem caberá dar andamento à denúncia. Janot se comprometeu a designar um procurador para investigar o caso.

 

“A violência é feita em palavras pela Sheherazade tentando justificar uma violência absurda. E ela diz isto num meio de comunicação que é uma concessão”, afirmou o líder do Psol na Câmara, Ivan Valente (SP). “A liberdade de imprensa, que é importante e necessária, não poder ser refúgio de declarações irresponsáveis”, acrescentou o deputado.

Além de Ivan Valente, também assinam a representação os deputados Chico Alencar (Psol-RJ), Jean Wyllys (Psol-RJ), Erika Kokay (PT-DF) e Renato Simões (PT-SP), além do senador Randolfe Rodrigues (Psol-AP) e da representante do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação Beatriz Barbosa. Também participaram do encontro com o procurador-geral o jornalista Jonas Valente, do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal, e o deputado Domingos Dutra (SDD-MA), ex-presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Preso nu no poste

Na edição do último dia 4 do jornal SBT Brasil (veja o vídeo), ela exaltou o comportamento de um grupo de pessoas que resolveu punir a seu modo um adolescente de 16 anos acusado de cometer furtos no bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro (RJ). O rapaz foi preso nu a um poste, com o pescoço acorrentado por uma trava de bicicleta, teve parte da orelha cortada e só foi libertado depois que uma moradora da região chamou os bombeiros para soltá-lo.

O garoto disse à polícia ter sido agredido por cerca de 15 pessoas. Após a exibição da reportagem, Rachel disse que era “compreensível” a ação dos chamados “justiceiros” por causa do clima de insegurança nas ruas e da ausência de Estado. Ela também criticou a atuação de entidades e militantes dos direitos humanos. “Faça um favor ao Brasil. Leve um bandido para casa.”

Em nota, o SBT diz que o comentário é de inteira responsabilidade da apresentadora de seu telejornal. Em artigo publicado na Folha de S. Paulo nesta terça, Rachel defendeu-se: “Em meu espaço de opinião no jornal SBT Brasil, afirmei compreender (e não aceitar, que fique bem claro!) a atitude desesperada dos justiceiros do Rio”.

São Paulo

Ontem (10) a presidente da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado, senadora Ana Rita (PT-ES), pediu à Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo que abra procedimento para apurar o conteúdo do comentário de Rachel. Para a senadora, a apresentadora violou os direitos humanos e fez incitação à violência.

Com o ofício, foi encaminhada uma nota de repúdio publicada pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro sobre as violações de direitos cometidas pela jornalista.

Veja o ofício encaminhado pela senadora à Procuradoria-Geral de Justiça de São Paulo:

“Encaminho cópia da nota de repúdio do Sindicato dos Jornalistas e da Comissão de Ética contra declarações da jornalista Rachel Sheherazade do SBT, solicitando a instauração do competente procedimento para investigar e responsabilizar a jornalista  Sheherazade, porquanto violou os direitos humanos, o Estatuto da Criança e do Adolescente e fez apologia à violência quando afirmou achar que ‘num país que sofre de violência endêmica, a atitude dos vingadores é até compreensível’ — Ela se referia ao grupo de rapazes que, em 31/01/2014, prendeu um adolescente acusado de furto e, após acorrentá-lo a um poste, espancou-o, filmou-o e divulgou as imagens na internet.”

Leia mais sobre violência

Nosso jornalismo precisa da sua assinatura

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!