Papa diz que Evangelho destrói o mal e a violência

Dilma e outros presidentes participam de missa em que Francisco diz que “a força de Deus derruba as barreiras do egoísmo, da intolerância e do ódio”, no encerramento da Jornada Mundial da Juventude

O papa Francisco celebrou neste domingo (28) a Missa de Envio, um dos últimos eventos da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro. Em discurso, ele afirmou que os jovens devem levar o evangelho de Jesus, anunciando a fé em Cristo. O objetivo, disse Francisco, é “extirpar e destruir o mal e a violência” para “construir um mundo novo”.

Estiveram presentes à missa vários políticos como as presidentes Dilma Rousseff, Cristina Kirchner (Argentina) e Evo Morales (Bolívia), além do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e do prefeito da cidade, Eduardo Paes.

Na missa, Francisco anunciou a próxima Jornada, que acontecerá em 2016, em Cracóvia, na Polônia.

O papa destacou que, ao evangelizarem, os jovens carregam uma força divina. “Levar o Evangelho é levar a força de Deus, para extirpar e destruir o mal e a violência; para devastar e derrubar as barreiras do egoísmo, da intolerância e do ódio; para construir um mundo novo. Jesus Cristo conta com vocês!”

Francisco ainda afirmou que a fé é para todos, não só para as pessoas mais receptivas e acolhedoras. “Não tenham medo de ir e levar Cristo para todos os ambientes”, afirmou.

Alegrias

Falando em português, Francisco fez uma saudação aos jovens no encerramento da missa. “Agradeço a vocês, queridos jovens, por todas as alegrias que me deram. Obrigado”, afirmou, recebendo aplausos em seguida. Carismático, ele ainda interagiu com o público mais uma vez antes de se despedir.

A participação do papa na missa se encerrou pouco depois do meio-dia. A presidente Dilma Rousseff deve retornar a Brasília na tarde de hoje. A JMJ se encerra às 18h deste domingo.

Mais sobre Jornada Mundial da Juventude

Outros textos sobre igrejas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!