Os parlamentares que resistem à corrupção

Fábio Góis

Três deputados e dois senadores são, na opinião de jornalistas que cobrem as atividades da Câmara e do Senado, os parlamentares que mais se destacam no combate à corrupção no Congresso. São eles, em ordem alfabética: Antonio Carlos Biscaia (PT-RJ, deputado), Demóstenes Torres (DEM-GO, senador), Flávio Dino (PCdoB-MA, deputado), Gustavo Fruet (PSDB-PR, deputado) e Pedro Simon (PMDB-RS, senador).

Os cinco são os grandes finalistas da nova categoria da edição deste ano do Prêmio Congresso em Foco 2008, Promoção de Justiça e Combate à Corrupção, que teve 32 congressistas (veja quem foram os votados) mencionados por repórteres, editores, colunistas, produtores de TV e congêneres, de 53 dos principais veículos de comunicação do país, em três dias de votação.

De terça (16) a quinta-feira (18), a urna itinerante do site percorreu as dependências do Congresso e de redações da capital em busca da opinião dos profissionais da notícia. Além de apontar os parlamentares que mais se destacam na defesa do combate à corrupção, a consulta também resultou na indicação dos congressistas que, na avaliação dos jornalistas, têm exercido da melhor maneira o seu mandato neste ano.

A partir da próxima segunda-feira (22) será iniciada a segunda etapa de votações, na qual o leitor poderá escolher os parlamentares de sua preferência, a partir da pré-seleção de 26 deputados e 16 senadores feita por 204 profissionais de imprensa credenciados nas duas casas legislativas. Na votação eletrônica, que se estenderá até 20 de novembro, o internauta também poderá eleger, entre os cinco finalistas, o congressista que atua de forma mais eficaz no combate à corrupção.
 
Os vencedores em cada categoria serão premiados em 1º de dezembro, em Brasília. Conforme noticiou ontem (19) este site (leia mais), o deputado Gustavo Fruet e o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) também serão homenageados por terem sido os mais votados pelos jornalistas.

Todo o processo de votação e apuração dessa primeira fase foi acompanhado pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Distrito Federal (SJPDF), que apóia a iniciativa, assim como a Ordem dos Advogados do Brasil. O Prêmio Congresso em Foco 2008 tem o patrocínio da Petrobras e da Brasil Telecom.

Desafio
 
Os parlamentares que receberam dos profissionais de imprensa a chancela de combate à corrupção falaram ao Congresso em Foco sobre a indicação de seus nomes na nova categoria. Os cinco mais votados foram procurados para comentar o resultado da consulta. Apenas o senador Pedro Simon, por motivos pessoais, não pôde atender à reportagem.
 
Demóstenes Torres atribuiu a indicação de seu nome entre os finalistas ao seu esforço para tentar endurecer a punição dos criminosos.

“Fico muito feliz, isso me envaidece muito. Meu foco é melhorar mesmo a legislação sobre o assunto, alcançar um patamar de civilidade decente, o cumprimento da lei”, disse o senador, ex-procurador-geral de Justiça de Goiás. “Os jornalistas são pessoas extremamente politizadas, ficam atentas à nossa atuação. Fico magnificamente honrado, no sentido de dar continuidade a esse trabalho.”
 
Demóstenes acha que falta “esforço” dos parlamentares para que proposições contra a corrupção sejam aprovadas no Congresso. “Nós temos projetos interessantes”, declarou. Mas, para ele, o trabalho poderia ser mais frutífero se fosse feita uma compilação dessas matérias e houvesse um direcionamento para que essas proposições avançassem com celeridade. “O que falta é um esforço para que essas matérias sejam votadas”, observou. 

Questão de foco

Um dos idealizadores da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção, o deputado Antonio Carlos Biscaia disse que a indicação para o prêmio serve de estímulo para continuar sua linha de atuação parlamentar contra a corrupção. Ex-secretário nacional de Justiça, Biscaia também acredita que falta ao Congresso direcionar o foco para a aprovação de matérias anticorrupção.
 
“Algumas medidas são tomadas muitas vezes com caráter para certo fato, e acabam não avançando. As propostas não têm atingido os reais objetivos, algumas são usadas como forma de promoção pessoal, acabam ficando fora da realidade”, disse Biscaia, lembrando a “indignação” da sociedade em relação aos corruptos.
 
Para o petista, as iniciativas contra a corrupção deveriam incidir na origem do problema. “Acho que a medida mais importante, a que precede a todas, é a que combate a corrupção do processo eleitoral. Todas recorrem dessa”, destacou.

Na avaliação do deputado Gustavo Fruet, ser lembrado por jornalistas quando o assunto é a luta contra a corrupção representa, ao mesmo tempo, uma honra e um desafio. “A grande importância disso [o resultado da votação] é que não tem vinculação partidária ou regional, os jornalistas têm uma visão crítica do que eles cobrem.”

Fruet acredita que a população brasileira está cada vez mais “antenada” em relação à política nacional, e que o Prêmio está em consonância com essa tendência. “O que percebo é que cada vez mais as pessoas não se iludem, está vindo um público cada vez mais crítico e bem informado.”

Momento propício
 
O deputado Flávio Dino vê no atual cenário econômico do país uma boa oportunidade para que o Congresso inclua o combate à corrupção entre suas prioridades. “Com a retomada da economia, é importante focar outras questões da política nacional, que também influem na qualidade de vida do povo”, disse o parlamentar maranhense.                      
 
Ex-juiz federal, Dino ressaltou a importância do Prêmio. “É relevante a criação dessa categoria especial. Quanto mais corrupção, menos servi&ccedi

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!