Os 11 motivos que levaram ao afastamento de Eduardo Cunha

Presidente da Câmara é acusado de constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com o objetivo de "embaraçar e retardar investigações” da Lava Jato

 

Na decisão de afastar o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do mandato, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki avalizou os 11 argumentos apresentados pela Procuradoria-Geral da República para justificar o pedido de suspensão do peemedebista. Basicamente: constranger, intimidar parlamentares, réus, colaboradores, advogados e agentes públicos com o objetivo de "embaraçar e retardar investigações”.

Íntegra da decisão de afastamento de Cunha


Veja quais são os 11 pontos listados pelo procurador-geral, Rodrigo Janot:

Apresentação de requerimentos, por meio de aliados, para cobrar pagamento de propina do grupo Mitsui e dirigentes de empresas de petróleo;
Requerimentos e convocações na Câmara a para pressionar donos do grupo Schahin, com apoio do doleiro Lúcio Funaro;
Atuação para convocar a advogada Beatriz Catta Preta à CPI da Petrobras para "intimidar quem ousou contrariar seus interesses";
Contratação da empresa de espionagem Kroll pela CPI da Petrobras, "empresa de investigação financeira com atuação controvertida no Brasil";
Utilização da CPI da Petrobras para pressionar o Grupo Schahin e convocar parentes do doleiro Alberto Youssef;
Abuso de poder para impedir que um colaborador corrija ou acrescente informações em depoimentos prestados anteriormente;
Retaliação a quem contraria seus interesses, como o ex-diretor de informática da Câmara Luiz Eira, exonerado sob a “acusação” de ter revelado a autoria de requerimentos feitos por aliados de Cunha;
Recebimento de vantagens indevidas para aprovar medida provisória de interesse do banco BTG, de André Esteves;
Uso de “manobras espúrias” para evitar investigação no Conselho de Ética Câmara, com obstrução da pauta com intuito de se beneficiar;
Ameaças ao deputado Fausto Pinato (PP-SP), ex-relator do seu processo de cassação;
Novas ameaças e oferta de propina a Fausto Pinato.

 

Veja também:

Paulinho da Força prega rebelião da Câmara contra o STF

Sucessor de Cunha na Câmara é investigado por corrupção

Mais sobre a Operação Lava Jato

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!