Oposição articula para convocar envolvidos na Porto Seguro

Deputados querem garantir quorum em comissão da Câmara para viabilizar votação de requerimento de convocação. Ministro da Justiça estará na Casa semana que vem

Deputados da oposição ao governo Dilma Rousseff na Câmara começaram uma articulação nesta terça-feira (27) para tentar votar requerimento convocando três envolvidos na Operação Porto Seguro, da Polícia Federal. PPS e PSDB já conversam para conseguir garantir o quorum na sessão da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) e tentar incluir o pedido na pauta da sessão de amanhã (28).

O requerimento protocolado pelo PPS hoje pela manhã (27) pede a convocação da ex-chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha, o ex-adjunto da Advogacia Geral da União (AGU), José Weber Holanda, e o auditor do Tribunal de Contas da União (TCU), Cyonil da Cunha Borges de Farias Júnior. Rosemary foi demitida pela presidenta Dilma Rousseff no sábado.

Dilma afasta servidores envolvidos na Porto Seguro

A sessão de amanhã da CFFC está marcada para 9h e tem na pauta a votação de emendas ao Orçamento 2013. Os deputados pretendem apresentar o requerimento para votação fora da pauta. Para isso, contam com um quorum baixo de governistas. Ao mesmo tempo, tentam viabilizar integrantes para poder votar o pedido. O PPS, por exemplo, vai indicar um substituto ao deputado Roberto Freire (PPS-SP), que estará viajando.

"Se já negaram no Senado, imagina o que eles vão fazer aqui", lamentou o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR). A intenção dos senadores era ouvir os indiciados pela Polícia Federal e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Hoje, foi aprovado no Senado convite ao advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, o diretor-presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Marcelo Guaranys, e o diretor-geral da Agência Nacional de Águas (ANA), Vicente Andreu Guillo.

Porto Seguro: senadores querem ouvir indiciados pela PF e ministro
Senado nega manobra na aprovação de diretor de agência

Na próxima semana, José Eduardo Cardozo deve participar de uma audiência pública na Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Casa. A presença dele já estava marcada para a próxima terça-feira (4). Inicialmente, a pauta era para tratar da violência em São Paulo. Porém, o presidente da CSPCCO, Efraim Filho (DEM-PB) fez um acordo com o líder do PT, Jilmar Tatto (SP), e com o próprio Cardozo para usar o espaço para falar da operação da PF.

A operação teve o objetivo de desarticular uma organização criminosa infiltrada em sete órgãos federais para a obtenção de pareceres técnicos fraudulentos em benefício de interesses privados.

Saiba mais sobre o Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!