Olheiro de Temer em reunião do PSDB leva ao Planalto notícia de que partido continua na base

“O importante são as reformas. O resto é secundário”, disse Rohnelt ao Congresso em Foco, ao deixar o encontro de cúpula e ir ao Palácio do Planalto encontrar Temer

 

O presidente Michel Temer tem um espião na reunião da cúpula do PSDB.  Trata-se do ex-deputado Elton Rohnelt, ex-deputado federal nos anos 1990 e início dos anos 2000. Membro do Diretório Nacional do PSDB de Roraima, o tucano foi nomeado em maio como assessor especial de Temer e trabalha lado a lado do presidente no Palácio do Planalto.

Leia também:
Vice-líder do PSDB defende rompimento com Temer, mas tucanos resistem

Sua função é azeitar o relacionamento do governo com o Congresso, diante de um vácuo deixado por nomes como Geddel Vieira Lima, José Yunes e Tadeu Filippelli, todos eles alvos de investigações como a Operação Lava Jato e já desligados do governo. O ex-parlamentar foi vice-líder do governo Fernando Henrique Cardoso e agora ajuda Temer em sua mais grave crise desde a posse na Presidência da República, em 31 de agosto do ano passado.

Elton Rohnelt participou da reunião dos tucanos e saiu com a notícia para repassar ao presidente de que o partido vai continuar no governo. “O importante são as reformas. O resto é secundário”, disse Rohnelt ao Congresso em Foco, ao deixar o encontro de cúpula e ir ao Palácio do Planalto encontrar Temer.

O olheiro de Temer é conhecido como o “homem da pistola de ouro”. Militar da reserva pela Aeronáutica, ele serviu na Região Norte e ganhou o apelido quando passou a atuar como garimpeiro do minério nobre na Amazônia.

Mais sobre crise na base

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!