Odebrecht pagava propina desde governo Sarney

Documentos internos da empreiteira nos quais o portal UOL teve acesso mostram que o pagamento de propina a agentes públicos é feito desde 1985

O esquema de pagamento de propina da Odebrecht para agentes públicos, revelado pela 26ª etapa da Operação Lava Jato deflagrada na última terça-feira (22), funcionava desde a época do governo Sarney (1985-1990). A informação foi divulgada pelo portal UOL neste sábado (26).

Segundo a apuração, documentos internos da Odebrecht nos quais o UOL teve acesso mostram que os procedimentos de desvio de verba e o pagamento de propinas já aconteciam desde 1985. Ao todo, 516 pessoas, entre agentes públicos, empresários, empresas, instituições e políticos estão envolvidos nas operações, segundo os documentos.

Entre os nomes que aparecem nas listas da empreiteira estão o deputado federal Antonio Imbassahy (PSDB), o prefeito de Manaus Arthur Virgílio (PSDB), o senador Jader Barbalho (PMDB), o ex-ministro de Minas e Energia, senador Edison Lobão (PMDB), o senador Fernando Collor de Mello, além dos filhos de Sarney, Fernando, José Filho e Roseana Sarney.

A empreiteira não comentou as revelações e os políticos ouvidos pela reportagem negaram envolvimento no esquema.

 

Leia a íntegra da reportagem

Mais sobre a Lava Jato

Antônio Imbassahyarthur virgilioEdison LobãoFernando Collor de MeloFernando SarneyJader BarbalhoJosé Filho SarneyLava-JatoOdebrechtoperação lava-jatopetrolãoRoseana SarneySarney