Novo ministro do Esporte omitiu da Justiça eleitoral empresa devedora

De acordo com o Correio Braziliense, o deputado George Hilton e sua esposa, de quem é sócio em empresa de locação e transportes, são cobrados na Justiça a pagar dívida de R$ 29 mil com a Fazenda Nacional. Firma não aparece na relação de bens entregue por ele

O futuro ministro do Esporte, o deputado George Hilton (PRB-MG), não informou à Justiça eleitoral que é proprietário de uma empresa alvo de processo de execução por uma dívida com a Fazenda Nacional. De acordo com o Correio Braziliense, a Visão Locação e Transportes Ltda., da qual ele é sócio com a esposa, Gorete Cecílio, é cobrada pela Justiça Federal a pagar um débito de R$ 29,6 mil.

O juiz da 26ª Vara Federal de Minas Gerais, André Gonçalves Salce, tentou duas vezes penhorar os bens do casal e o citou, por edital, em 26 de setembro, depois de não conseguir localizá-lo.  Segundo o magistrado, os dois estavam em “local incerto e não sabido”.

De acordo com os repórteres Eduardo Militão e João Valadares, o deputado não incluiu a empresa na relação de bens que apresentou à Justiça eleitoral. Mas sua relação com a Visão Locação e Transportes, criada em 2004, em Belo Horizonte, fica evidenciada nas certidões judiciais entregues pelo parlamentar. Uma delas aponta para a existência do processo movido pela Fazenda Nacional desde 2011, devido a uma cobrança do Simples.

Segundo a assessoria do futuro ministro, ele estava descansando e só atenderia pedidos de entrevista a partir de hoje. Pastor licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, o deputado não tem histórico de atuação na área esportiva.

Em 2005, lembra o Correio, George Hilton foi flagrado no aeroporto da Pampulha, na capital mineira, com R$ 600 mil em espécie (R$ 976 mil em valores atualizados) em 11 caixas de papelão. Na época, ele era deputado estadual pelo PFL de Minas Gerais, que o expulsou da legenda. O deputado justificou que os recursos eram doações de fieis da igreja no sul do estado. O parlamentar declarou à Justiça eleitoral este ano possuir R$ 669 mil em bens. Em 2006, quando se elegeu pela primeira vez na Câmara, informou possuir R$ 294 mil.

Leia a reportagem do Correio Braziliense

Mais sobre o novo ministério

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!