Nos jornais: Repasses a Demóstenes são citados em gravação

O contraventor Carlinhos Cachoeira pode ter entregue R$ 3 milhões ao senador, informa O Globo

O GLOBO

 

Repasses a Demóstenes são citados em gravação

Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso por exploração de jogos ilegais em Goiás, pode ter repassado mais de R$ 3 milhões ao senador Demóstenes Torres (DEM-GO). Gravações da Polícia Federal revelam que Cachoeira, o contador Giovani Pereira Silva e o sócio Cláudio Abreu conversaram ano passado sobre várias cifras e, em meio à contabilidade, fizeram referências a supostos repasses ao senador. Trechos dos diálogos foram divulgados pelo "Jornal Nacional" ontem.

As conversas foram interceptadas ano passado, no começo da Operação Monte Carlo. Cachoeira, Abreu e Silva estão fazendo contas de movimentação financeira da organização. Num determinado momento, Abreu pergunta a Cachoeira quanto ele reteve. "Um milhão do Demóstenes", responde Cachoeira. Na sequência da conversa, Cachoeira menciona outras cifras e relaciona os números ao senador. Seriam R$ 1,5 milhão, mais R$ 600 mil e mais R$ 1 milhão. Essa última cifra teria sido o valor a ser retido, segundo noticiou o "JN".

A soma daria, nos cálculos de Cachoeira, R$ 3,1 milhões. Abreu corrige o sócio e diz que parte do dinheiro já vinha sendo retida desde a eleição do Demóstenes por recomendação do próprio Cachoeira. A conversa dura cinco minutos, e os três mencionam o nome "Demóstenes" seis vezes. Nos trechos divulgados pela TV não estão claras as circunstâncias e nem os objetivos da suposta movimentação financeira.

Está nas mãos do líder do PMDB , Renan Calheiros (AL), e do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), recompor o Conselho de Ética do Senado, acéfalo desde setembro do ano passado, para que tramite a representação contra Demóstenes, apresentada ontem pelo PSOL. O documento pede abertura de processo disciplinar para investigar quebra de decoro parlamentar, com punições que vão até a perda do mandato, pelas suspeitas relações do senador com Carlinhos Cachoeira.

Senador tentou afastar agente da PF

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) usou de seu prestígio político para tentar remover um dos principais agentes de uma das investigações sobre a exploração ilegal de máquinas caça-níqueis e videopôquer chefiada por Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Numa reunião com o ex-secretário nacional de Justiça Pedro Abramovay, Demóstenes pediu que o agente da Polícia Federal José Luiz da Silva fosse transferido de Anápolis, centro da investigação, para Goiânia.

O senador fez o pedido no segundo semestre de 2009, no auge da investigação, que resultou no relatório sobre as ligações de Demóstenes e outros parlamentares com Cachoeira. No pedido de afastamento do policial, o senador alegou que Silva estaria ameaçando de morte um ex-namorado de sua própria filha, de 13 anos de idade. A PF abriu uma investigação preliminar e descobriu que a versão da ameaça tinha sido contada pela metade. O policial teve, de fato, um entrevero e até atirou no rapaz. Mas o caso acontecera em 2001, oito anos antes da queixa do senador.

'Eu não sou mais o Demóstenes'

Sob suspeita de envolvimento com o contraventor Carlinhos Cachoeira, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) tem impressionado os colegas pelo seu estado de espírito. A um deles fez um desabafo:

- Eu não sou mais o Demóstenes.

Nesta conversa, aparentou estar depressivo, constrangido e envergonhado com as revelações recentes. Nos últimos dias, o senador que costumava decorar as paredes de seu gabinete com reportagens em que aparecia como protagonista da defesa de valores éticos tem revelado que não consegue mais dormir. A insônia produziu olheiras profundas que chamam atenção dos seus poucos interlocutores.

Até para amigos mais próximos, Demóstenes tem sido lacônico quando perguntado sobre o teor de suas conversas telefônicas com Cachoeira:

- Não sei.

Essa insegurança sobre o conteúdo das conversas tem afastado os antigos aliados. Demóstenes avalia que só lhe resta a defesa do mandato. Mas seus amigos já não descartam a renúncia.

- O destino está nas mãos dele - disse o presidente do DEM , senador José Agripino Maia (RN).

Congresso aprova a nova previdência para servidor

Numa vitória do Planalto, o Senado aprovou a criação do Regime de Previdência Complementar do Servidor Público da União. Pelas novas regras, o funcionário, assim como é hoje para o trabalhador da iniciativa privada, terá que contribuir para um fundo complementar se quiser receber aposentadoria acima do teto do INSS - atualmente de R$ 3.900. O projeto autoriza a criação de até três fundos de previdência complementar, um para cada poder. A mudança afetará apenas os novos servidores civis da União. O projeto vai a sanção da presidente Dilma, que planeja criar imediatamente o fundo do Executivo para que as contratações deste ano já sejam pelo novo regime. O objetivo da mudança é zerar, até 2047, o déficit da previdência pública, que já chega a R$ 60 bilhões. A oposição votou pela proposta do governo, mas cobrou ajustes. Na Câmara, foi aprovada a Lei Geral da Copa de 2014

Governo se reaproxima da base e ameniza crise

Ao mesmo tempo em que articulou pesado para evitar ontem a aprovação de requerimentos de convocação de vários ministros e autoridades, o governo pôs em prática a estratégia de reaproximação com sua base aliada. Na estreia, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, convidou líderes aliados para um café da manhã com seu staff e a ministra Ideli Salvatti e, num gesto de cortesia, antecipou a eles que o governo anunciará, na próxima semana, medidas para a economia.

O ministro disse que quer estreitar os laços com o Parlamento e até fez um mea-culpa, admitindo que muitos projetos e medidas provisórias foram enviados ao Congresso sem uma conversa prévia com os aliados. E que a partir de agora será diferente. Mantega arrancou elogios dos líderes que participaram do encontro.

A relação do governo com seus aliados está mais distensionada, e o encontro foi elogiado inclusive por Henrique Eduardo Alves, líder do PMDB, que mais tarde ocupou a tribuna para reclamar do tratamento dado pela imprensa. Candidato à presidência da Câmara em 2013, Alves defendeu as emendas parlamentares e o pleito de cargos por partidos aliados, que ajudaram a eleger o governo.

TJ-SP veta benefício, mas anistia valores já pagos

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) decidiu ontem, por unanimidade, suspender o pagamento de licença-prêmio aos desembargadores que, para receberem o benefício, contaram o tempo trabalhado como advogados. Quem já recebeu, porém, não terá de devolver os valores. O pagamento da licença-prêmio com a contagem de tempo fora do serviço público foi condenada pela Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

A licença-prêmio é um benefício concedido a servidores: a cada cinco anos trabalhados, eles têm direito a três meses de descanso. No TJ-SP, ela foi convertida em dinheiro.

Um quinto dos 353 desembargadores do TJ-SP é oriundo da advocacia ou do Ministério Público. A contagem do tempo anterior ao exercício da função de desembargador, porém, beneficia exclusivamente os que exerciam a advocacia. Vinte e dois desembargadores teriam usufruído dessa vantagem . Em alguns casos, a contagem na advocacia gerou créditos de 450 dias.

Papa pede liberdade em Cuba

Diante de 300 mil pessoas na Praça da Revolução em Havana, o Papa Bento XVI defendeu a busca da "liberdade autêntica" pelo povo cubano. E cobrou do governo condições para maior participação da Igreja no país. Antes de deixar Cuba, condenou o embargo dos EUA e esteve meia hora com Fidel, que lhe perguntou o que faz um Papa e pediu sugestão de livros. O Pontífice negou reunião com dissidentes.

Obituário

O legado de Millôr Fernandes, homem que militava no jornalismo, no humor, no teatro e nas artes gráficas. Criador do "Pasquim", ele morreu ontem, aos 88 anos, de falência múltipla dos órgãos, em sua casa, em Ipanema.

Brasileiro lê 4 livros no ano e só termina 2

Brasileiros estão lendo cada vez menos, mostra o Instituto Pró-Livro. Cada pessoa lê quatro livros por ano - em 2007, eram 4,7 -, mas termina 2. Cerca de 75% dos brasileiros nunca foram a uma biblioteca.

Fundão já tem processo de revitalização

A chegada de 36 empresas em edifícios futurísticos e um plano diretor que prevê investimentos da ordem de R$ 86 milhões até 2020 ajudam a revitalizar a Cidade Universitária, há décadas abandonada, na Ilha do Fundão.

STJ: só sangue e bafômetro podem provar embriaguez

A 3ª Seção do Superior Tribunal de Justiça decidiu que só o teste do bafômetro e o exame de sangue servem como prova de embriaguez em processos contra motoristas flagrados dirigindo após beber.

Dilma evita "tsunami" mas ataca os ricos

Em Nova Délhi, na reunião de países emergentes, a presidente Dilma atacou as "novas e perversas formas de protecionismo" de países ricos, mas evitou a expressão "tsunami monetária" prevista no discurso.

Após alta, Lula anuncia volta às atividades políticas

 

 

FOLHA DE S. PAULO

 

Tribunal livra de prisão quem recusar bafômetro

O STJ (Superior Tribunal de Justiça) decidiu, por 5 votos a 4, que imagens e relatos de testemunhas, incluindo o de policiais, não poderão mais ser aceitos para fundamentar processo criminal contra o motorista que dirige embriagado.

A decisão esvazia a lei seca, já que o teste do bafômetro ou o exame de sangue não são obrigatórios - ninguém pode ser coagido a produzir prova contra si.

Tumor de Lula desaparece e ele diz que está de volta a política

Exames revelaram que Lula não tem mais tumor na laringe. Após cinco meses de tratamento, ele anunciou que voltará a vida política por achar que "o país precisa continuar crescendo".

Para petistas, em breve, o ex-presidente deve se envolver mais com a eleição.

Após prometer verba, Dilma obtém vitórias no Congresso

Mesmo depois de a presidente Dilma Rousseff ter dito que não compactuaria com a política do "toma lá dá cá", o governo prometeu liberar emendas de parlamentares e conseguiu amenizar a crise com a base no Congresso.

Com isso, conseguiu ontem aprovar dois projetos de seu interesse: a criação do Funpresp (Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal), no Senado, e a Lei Geral da Copa, na Câmara dos Deputados.

Antes da declaração de Dilma, o novo líder no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), chegou a dizer que iria inaugurar uma fase de "novas práticas", sem tratar da liberação de emendas "no varejo".

Ontem, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) negou que as vitórias no Congresso tenham se dado graças à liberação de emendas.

"Foi um pedido legítimo, nós levamos essa situação do ano atípico por causa da lei eleitoral para a área econômica do governo e estamos sim iniciando um processo para fazer um levantamento das prioridades dos parlamentares para iniciar o processo de empenho. Vai ser uma coisa homogênea, vamos fazer um tratamento."

Gravação da PF complica situação de Demóstenes

O nome do senador Demóstenes Torres (DEM) aparece em conversas, gravadas pela Polícia Federal, em que o empresário de jogos clandestinos Carlinhos Cachoeira e integrantes do seu grupo mencionam cifras milionárias ligadas ao nome do político.

A informação foi divulgada ontem pelo "Jornal Nacional". Anteontem, a Procuradoria-Geral da República abriu investigação contra Demóstenes por sua relação com Cachoeira.

De acordo com a reportagem, na conversa, gravada há um ano, o empresário discute a contabilidade da organização com seu contador e com um sócio. Não fica claro o contexto das conversas gravadas pela PF nem para quem seria destinado o dinheiro.

Catecismo

Bento 16 e Fidel Castro, durante encontro em que o líder cubano quis saber qual a missão de um papa; segundo o Vaticano, o pontífice tratou da situação dos dissidentes do regime em conversa com Raúl Castro.

Millôr Fernandes (1923-2012)

‘Agente só morre uma vez. Mas é pra sempre’. Escritor, desenhista, jornalista e dramaturgo morre aos 88 anos.

TJ-SP põe fim a verba ilegal, mas valor já pago não será devolvido

O Tribunal de Justiça de São Paulo pôs fim ao pagamento a desembargadores de licenças-prêmios que contabilizam períodos em que eles trabalharam como advogados, antes de ingressarem no serviço público.

Mesmo considerados ilegais, os valores já pagos não serão restituídos aos cofres, pois foram recebidos pelos magistrados de boa-fé, decidiu o tribunal.

Aula de reforço será opcional, afirma agora governo de SP

A Secreta ria da Educação do Estado de São Paulo afirmou ontem que o reforço fora do horário regular será oferecido, mas apenas em escolas que fizerem o pedido. Elas deverão ter salas e professores disponíveis para a atividade. Na semana passada, porém, a pasta afirmará que esse reforço seria extinto devido à baixa presença de alunos.

Tabela de pontos definirá desconto no IPI de carros

Uma tabela de pontuação para montadoras instaladas no país definirá o valor do IPI de carros - quanto mais pontos acumulados, maior a redução no imposto. O principal critério para pontuar será o conteúdo regional (do Mercosul), informa Clovis Rossi, de Nova Deli. O anúncio oficial do pacote deve ocorrer em abril.

Brasil tem de gastar mais para evitar atrasos na Copa, diz Fifa

 

 

 

O ESTADO DE S. PAULO

 

Lei seca só vale se motorista passar por bafômetro, diz STJ

O motorista que se recusar a fazer o teste do bafômetro ou o exame de sangue não poderá ser punido por dirigir embriagado, mesmo que haja sinais de embriaguez. Por decisão do Superior Tribunal de Justiça, só é possível processar o motorista se houver comprovação, por meio de bafômetro ou exame de sangue, de que ele dirigia tendo concentração de álcool no sangue superior a 0,6 grama por litro. Na prática, a decisão esvazia a lei seca, porque o motorista não é obrigado a produzir provas contra si. "A norma surgiu recheada de dúvidas", comentou o ministro Og Fernandes. Só o Supremo Tribunal Federal poderá alterar essa decisão - os processos que passaram pelo STF até o momento, no entanto, confirmam a necessidade de exame de sangue ou do bafômetro. Um projeto de lei já votado no Senado e que está na Câmara pune o motorista por qualquer quantidade de álcool e permite comprovar a embriaguez de outras formas, como a avaliação da autoridade de trânsito ou o depoimento de testemunhas.

Mano Menezes na blitz

O técnico da seleção, Mano Menezes, foi parado anteontem numa blitz da lei seca na zona sul do Rio. Ele se recusou a fazer a teste do bafômetro foi multado em R$ 957,70 a levou 7 pontos na carteira.

Lula tem alta e está liberado para atividade política

O médico Roberto Kalil Filho informou que o tratamento de combate ao câncer na laringe do ex-presidente Lula foi “100% um sucesso". Lula recebeu alta e, nos próximos anos, será submetido a avaliações para verificar se houve cura definitiva da doença. “Vou voltar à vida política porque eu acho que o Brasil precisa continuar crescendo", afirma o petista em mensagem.

Órgão da Presidência investiga convênio da Secretaria dos Portos

A Secretaria de Controle Interno da Presidência (Ciset) iniciou inspeção para verificar a regularidade de contratos, parcerias e outros atos de gestão da Secretaria de Portos da Presidência (SEP). Entre outras tarefas, os auditores vão investigar convênio com a Fundação Ricardo Franco, que vem servindo de "guarda-chuva" para a contratação de pessoal administrativo.

Como mostrou o Estado em fevereiro, a secretaria firmou em outubro parceria de R$ 20 milhões com a entidade, ligada ao Instituto Militar do Exército (IME). O objetivo é prestar um pacote de serviços técnicos na área de engenharia, entre eles monitorar ações do PAC e acelerar obras estratégicas. A fundação, entretanto, é usada como intermediária para fornecer recepcionistas e secretárias a diversos setores da secretaria, entre eles o gabinete do secretário executivo, Mário Lima Júnior. Da lista de terceirizados, constavam até parentes de servidores, prática enquadrada como nepotismo.

Os três auditores da Ciset já começaram a recolher documentos na sede da SEP. Fora a auditoria, a Advocacia-Geral da União (AGU) prepara trabalho de correição, a ser iniciado em abril, para verificar a regularidade dos atos da assessoria jurídica do órgão. A Corregedoria-Geral da AGU informa que o trabalho é de rotina, mas, em função da denúncia, será analisado o convênio com a Ricardo Franco.

Millôr Fernandes: O filósofo debochado

O jornalista, escritor; dramaturgo e cartunista Millôr Fernandes, um dos grandes expoentes do pensamento crítico brasileiro, morreu anteontem à noite, aos 88 anos. O humor sarcástico, em frases e aforismos, era sua marca. Para Glauco Mattoso, se tivesse vivido durante o Iluminismo, Millôr seria uma espécie de Voltaire".

Repercussão

Ziraldo, Cartunista: "Para nó, ele era um deus. Para mim, foi o maior filósofo do Brasil”
Zuenir Ventura, Escritor: "O Brasil e toda nossa geração perdem uma referência intelectual"
Sérgio Augusto: Lá se foi nossa grande inteligência.
Teixeira Coelho: Artista que passou por todos os estilos.

Banco Marka pode dar R$ 24 bi de indenização

A Justiça Federal condenou a BM&FBovespa, o ex-banqueiro Salvatore Cacciola, o BB Banco de Investimento e ex-diretores do Banco Central, entre outros réus, a ressarcir o Estado em dois processos que questionam o salvamento do Banco Marka na época da desvalorização do real, em janeiro de 1999. Em valores atualizados, a causa pode atingir R$ 24 bilhões. A maioria dos denunciados vai recorrer - a BM&FBovespa está tão confiante que não provisionará recurso para cobrir a eventual despesa.

Brasil quer ação dos Brics pelo câmbio

O Brasil vai pressionar os demais países emergentes, incluindo a China, para denunciarem em conjunto o que considera políticas monetárias injustas praticadas pela Europa e pelos EUA.

Pesquisa mostra que País tem menos leitores

 

TJ-SP ignora parecer e paga auxílio a juízes

 

O pontífice e o comunista

Na despedida de Cuba, Bento XVI encontrou Fidel Castro, após missa para 500 mil pessoas. "O que faz um papa? Qual é sua missão?", perguntou Fidel. (Págs. 1 e Internacional Al4)

SP recua e vai manter reforço escolar

Após críticas do governador Geraldo Alckmin, a Secretaria de Educação paulista recuou da intenção de acabar com o modelo de recuperação de alunos fora do período de aula. O secretário Herman Voorwald negou que tenha havido pressão política e disse que a ideia nunca foi abandonar o modelo.

 

CORREIO BRAZILIENSE

 

Fundo vai mudar vida do servidor

O projeto aprovado pelo Senado, que agora segue para sanção presidencial, prevê a criação de até três fundos de previdência complementar, um para cada Poder (Executivo, Legislativo e Judiciário). Quem ingressar no serviço público após a aprovação da lei e com salário acima do teto da previdência (R$ 3,9 mil) só terá aposentadoria integral se aderir ao fundo. Haverá contrapartida da União. Com a aprovação da lei, o governo deve acelerar a realização de novos concursos e nomeações. Em manifestação na Esplanada, servidores cobraram aumento salarial de 22,08%, uma fatura de R$ 25 bilhões para o Planalto.

Millôr

Jornalista, humorista, escritor, tradutor, poeta, dramaturgo... Millôr Fernandes, que morreu ontem aos 88 anos, era muitos. Mas notabilizou-se principalmente como frasista. Sobre jornalismo, cunhou uma definição primorosa: "Imprensa é oposição. O resto é armazém de secos e molhados”.

Pela porta dos fundos do Itamaraty

Uma medida polêmica do Ministério das Relações Exteriores determinou a entrada de 1.700 estagiários, contínuos e terceirizados pelo subsolo do prédio, na Esplanada. Com problema no joelho, a estudante Thabata Norrana foi barrada na portaria e teve que descer a escada até a garagem. O Itamaraty alega questões de segurança.

Lei Seca sofre revés na Justiça

O STJ determinou ontem que o teste do bafômetro e o exame de sangue são as únicas provas que poderão comprovar a embriaguez ao volante. A decisão vai orientar os julgamentos de tribunais em todo o país e dificultar a abertura de processos criminais contra motoristas bêbados.

Lei da Copa: Desconto em jogos do Brasil

O projeto aprovado na Câmara prevê que 10% dos ingressos mais baratos sejam destinados a beneficiários do Bolsa Família, estudantes e idosos. A venda de bebida nos estádios continua polêmica.

Dilma ataca países ricos

Em discurso contundente na Índia, onde participa da reunião dos Brics, a presidente criticou o uso da guerra cambial contra a crise financeira.

Educação: Lei veta uso de verba

O GDF diz que está impedido legalmente de usar R$ 285 milhões do Fundo Constitucional para dar reajuste a professores. A greve da categoria dura 18 dias.

Das críticas à cortesia

Numa missa para 500 mil pessoas, Bento XVI defendeu os direitos humanos em Cuba. Com Fidel, pai do regime comunista na ilha, o papa manteve uma animada conversa.

 

 

VALOR ECONÔMICO

 

Hidrelétricas se preparam para aumentar capacidade

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) busca a melhor forma para estimular investimentos na ampliação da capacidade de pelo menos 13 hidrelétricas em 5.203 megawatts (MW) - o equivalente à potência instalada das usinas de Santo Antônio (Rondônia) e Teles Pires (na divisa entre Mato Grosso e Pará) juntas. Nove empresas - Cemig, Cesp, Chesf, Copel, Duke, Eletronorte, Emae, Endesa e Tractebel - já comunicaram formalmente à Aneel que querem investir em novas turbinas para aumentar a capacidade de geração em suas usinas.

O objetivo da agência é garantir o atendimento da demanda no sistema interligado nacional durante o horário de pico - de 17h às 20h, mas com variações diárias. Nessa faixa de horário, o uso de eletricidade nas residências dispara, enquanto muitas indústrias ainda mantêm suas máquinas ligadas.

China investe US$ 15 bi em óleo no país

A compra de 30% dos ativos da portuguesa Galp Energia no Brasil pela China Petroleum & Chemical Corporation (Sinopec) eleva para US$ 15,37 bilhões os investimentos de estatais chinesas na exploração e produção de petróleo e gás no Brasil. A Sinopec pagou US$ 4,8 bilhões por todos os blocos em fase de exploração e produção da Galp reunidos na Petrogal Brasil, incluindo 10% do campo de Lula, o mais emblemático do pré-sal na Bacia de Santos. Na operação, ela assumiu dívidas de US$ 360 milhões da Petrogal Brasil com a Galp Energia. É a segunda maior aquisição da Sinopec no país - em 2010 comprou por US$ 7,1 bilhões fatia em uma empresa que também reunia todos os ativos de exploração e produção da espanhola Repsol no país.

Carro com inovação terá IPI menor

Quanto maior o conteúdo de componentes nacionais utilizados num automóvel e mais o fabricante investir em inovação e eficiência no consumo de combustível, menor será o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) cobrado no Brasil. No limite, o IPI poderá ser reduzido a zero, caso a montadora cumpra uma série de requisitos a serem fixados pelo novo regime automotivo, em elaboração no governo.

O regime, que será anunciado nos próximos dias, fixará um sistema de pontuação. Será mantida a elevação de 30 pontos percentuais do IPI, decidida em 2011, mas os carros que obtiverem determinado número de pontos terão direito a reduções progressivas do imposto. Investimentos em ciência e tecnologia começarão a valer pontos a partir de 1% do faturamento da empresa e terão peso maior que o conteúdo nacional.

Mineradoras armam batalha judicial

Mineradoras e Estados se preparam para uma batalha judicial que deve ter início em abril, quando Minas Gerais e Pará começam a cobrar uma taxa de fiscalização sobre o minério produzido em seus territórios. Tanto as companhias do setor quanto os Estados já se municiam com pareceres de juristas para uma possível defesa de suas causas no Judiciário. O Pará contratou pareceres do ministro aposentado do Supremo Tribunal Federal Eros Grau e do jurista Ives Gandra da Silva Martins, que defendem a constitucionalidade das taxas.

As companhias começarão a definir agora qual estratégia adotarão na disputa. O setor aguardava a publicação dos decretos que detalham a forma de pagamento do novo tributo, instituído no ano passado por leis estaduais. A expectativa de arrecadação anual de Minas é de R$ 450 milhões. Já o Pará trabalha com um valor menor em relação ao inicial - cerca de R$ 800 milhões anuais -, em razão da redução da taxa para alguns minerais, como calcário e bauxita.

Cervejas da InBev perdem mercado nos Estados Unidos

Luiz Edmond tem uma tarefa importante na maior cervejaria do mundo: convencer os americanos a parar de abandonar as cervejas da empresa. O presidente da operação americana da InBev Anheuser-Busch lidera uma campanha para reconquistar a lealdade dos consumidores às suas marcas, entre elas a Bud Light e a Budweiser, que ocupam, respectivamente, o primeiro e o terceiro lugar entre as cervejas mais vendidas no país. O problema é que elas estão perdendo consumidores para cervejarias menores ou para bebidas destiladas. Neste ano, a Anheuser planeja lançar 19 novos produtos nos EUA, na maior campanha do tipo desde que foi adquirida em 2008 por US$ 52 bilhões pela belga InBev, administrada por brasileiros.

Culinária japonesa desfalcada

Um ano depois da tragédia de Fukushima, as exportações japonesas para o Brasil ainda não se normalizaram. Os restaurantes de comida japonesa no país ainda têm dificuldades em encontrar alguns tipos de peixes, algas e saquês importados. Ingredientes do cardápio foram substituídos por similares dos EUA, Coreia do Sul e China. Após o desastre, o governo brasileiro impôs restrições à importação de alimentos e bebidas do Japão. A liberação das cargas leva dois meses, em média. (Págs. 1 e B6)

TRF da 3ª Região derruba limite para abatimento de gastos com educação no IR

 

Curado, Lula anuncia "retorno" à militância política

 

Funpresp passa no Congresso

O plenário do Senado aprovou ontem o projeto que cria o fundo de previdência complementar dos servidores federais e limita o valor das aposentadorias do setor ao teto da Previdência Social, hoje de R$ 3,9 mil. O texto vai a sanção da Presidência.

Pequenas e Médias Empresas

Prêmio MPE Brasil prova que inovar não é somente lançar novos produtos, mas também melhorar a cada dia, inclusive a partir de mudanças simples em métodos, processos e serviços.

Financiamento Imobiliário

Com a estabilidade macroeconômica e redução dos juros, instrumentos alternativos de crédito para o setor imobiliário podem alcançar pelo menos 20% do estoque de investimentos em renda fixa nos próximos cinco a dez anos, estima Marcelo Michalua, da RB Capital.

Tecnologias na Saúde

Governo federal prepara um programa de estímulo à indústria nacional de materiais e equipamentos de saúde, com incentivos para compras do SUS e benefícios tributários.

Soros mira telefonia 4G no país

O grupo empresarial do megainvestidor George Soros tem manifestado a intenção de participar do leilão de frequências da quarta geração da telefonia celular (4G) no Brasil, previsto para junho.

Expansão da Brazil Pharma

A Brazil Pharma, controlada pelo BTG Pactual, obteve financiamento de US$ 50 milhões da International Finance Corporation (IFC), braço do Banco Mundial para o setor privado, que também assumiu participação no capital. (Págs. 1 e B9)

Terras-raras em Araxá

A MbAC Fertilizantes deverá ser uma das poucas empresas a explorar minerais classificados como terras-raras no Brasil. A companhia canadense conclui em breve pesquisas geológicas promissoras no município de Araxá (MG).

Tecnologia canavieira

O Centro de Tecnologia Canavieira (CTC), principal centro de pesquisa em cana-de-açúcar do mundo, aprovou um aumento de capital de R$ 163 milhões, que será investido em pesquisas para elevar os ganhos de produtividade da cultura.

Juro em queda pressiona aplicador

Quando a Selic chegar a 9%, mais de 1,8 milhão de investidores terão de se mexer para manter competitivas aplicações em fundos de curto prazo e referenciados DI com taxas de administração superiores a 1,5% e que passarão a perder da poupança.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!