Nos jornais: PT diz que prisão é ‘casuísmo’ e volta a negar mensalão

Em nota, presidente nacional do partido criticou a decisão do STF em executar as penas dos condenados no mensalão. Em entrevista a O Globo, ex-ministro José Dirceu diz: "Estão querendo me fuzilar"

O Globo

PT diz que prisão é ‘casuísmo’ e volta a negar mensalão

A direção do PT classificou de “casuísmo jurídico” a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de executar imediatamente as penas dos condenados no julgamento do mensalão. Segundo o partido, a decisão foi tomada antes de os embargos infringentes terem sido julgados.

“A determinação do STF para a execução imediata das penas de companheiros condenados na Ação Penal 470, antes mesmo que seus recursos (embargos infringentes) tenham sido julgados, constitui casuísmo jurídico e fere o princípio da ampla defesa”, diz nota emitida ontem pelo partido.  Ainda segundo o PT, na nota assinada pelo presidente do partido, Rui Falcão, o julgamento do mensalão é “injusto, nitidamente político e alheio às provas dos autos”.

‘Estão querendo me fuzilar’, diz Dirceu

Cercado por toda a família, Dirceu disse em entrevista ao GLOBO que, como não bastasse ter sido condenado a ir para a cadeia injustamente, sente estar diante de um fuzilamento público. "Querem me fuzilar! Não posso exercer sequer o direito a descanso", afirmou, referindo-se ao fato de ter sido fotografado em companhia da sua filha caçula de quase quatro anos de idade, na praia de Itacaré, na Bahia. José Dirceu estava na companhia das filhas, Antônia, Camila e Joana, do filho, deputado Zeca Dirceu, e das ex-mulheres, na sua casa de campo em um condomínio, na cidade de Vinhedo, a 100 km de São Paulo. Falou ao GLOBO antes de receber a intimação.

Em carta, ex-ministro critica julgamento

Em documento intitulado “Carta Aberta ao Povo Brasileiro divulgado minutos depois de ter seu mandado de prisão expedido pelo STF, o ex-ministro José Dirceu reiterou sua inocência, disse ser vítima de uma condenação injusta e que, assim como José Genoino, se considera “preso político de uma democracia sob pressão das elites”. Segundo ele, o julgamento da Ação Penal 470 caminha para o fim, como começou: “Inovando e violando garantias individuais asseguradas pela Constituição e pela Convenção Americana dos Direitos Humanos, da qual o Brasil é signatário”.

Do céu do Planalto ao inferno da prisão

Um anfíbio. Assim o ex-ministro José Dirceu se definiu em uma entrevista ao falar sobre sua trajetória, a adolescência como office-boy, as múltiplas funções na carreira pública, a militância política e a vida na clandestinidade durante a repressão. O termo pode explicar também como o ex-chefe da Casa Civil, que, segundo amigos e inimigos, aspirava suceder ao então presidente Lula, despencou do céu do Planalto para o inferno da condenação a dez anos e dez meses de prisão.

Genoino alega inocência e que será ‘preso político’

Assim que soube do seu pedido de prisão, o deputado federal José Genoino (PT-SP), ainda em casa, distribuiu nota oficial alegando ser inocente das acusações envolvendo seu nome no escândalo do mensalão, disse se considerar vítima de uma “operação midiática” e que, portanto, vai para a cadeia na condição de “preso político”. Genoino passou o dia em casa, cercado da família e amigos, no bairro do Butantã. Ainda na nota, o ex-presidente do PT reiterou que não existem provas contra ele.

Oposição comemora prisões dos réus

Por um lado os governistas e petistas reagiram com indignação às prisões do mensalão, líderes políticos da oposição comemoraram o desfecho do caso, argumentando que a justiça foi feita e que a condenação comprova que os crimes do mensalão existiram. O governador de Pernambuco e pré-candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB), postou em seu Twitter que o dia de ontem, feriado da Proclamação da República, era uma oportunidade ideal para a sociedade se perguntar em qual país gostaria de morar nos próximos anos.

‘Ser a presidente significa combater a corrupção', diz Dilma

Ontem pela manhã, enquanto os condenados do mensalão ainda aguardavam o cumprimento de seus mandados de prisão, a presidente Dilma Rousseff postou uma mensagem dizendo que o papel da presidente da República é combater a corrupção. O texto foi publicado no twitter de Dilma por ocasião do dia da Proclamação da República, que se comemora  nesta sexta-feira.

‘Economist’ diz que condenados não terão a ‘jabuticaba' dos recursos

A imprensa internacional tratou o tema do mensalão nos últimos dias como o esperado fim de um longo processo envolvendo altas autoridades do governo do internacionalmente conhecido Luiz Inácio Lula da Silva.  A primeira publicação de relevância internacional a comentar o tema após o início das prisões foi a revista britânica “The Economist”.

No blog voltado para o continente americano, a revista comparou os infindáveis recursos no julgamento do mensalão com a jabuticaba, uma fruta que “só cresce no Brasil’ Mas, disse o blog, “ao menos para alguns mensaleiros não haverá mais jabuticabas”.  No caso dos condenados em regime semiaberto, a revista debochou do aparente avanço da Justiça brasileira. Sobre Pedro Henry, a publicação disse:  “talvez ele possa combinar seu trabalho atual como legislador com sua nova função como presidiário.

Caso de propina atinge assessores de Mantega

Uma ex-funcionária da empresa Partnersnet, de Belo Horizonte , que presta serviços de assessoria de imprensa, afirmou que há um esquema de pagamento de propina a assessores especiais do Ministério da Fazenda. Segundo a revista “Época” deste fim de semana, Marcelo Fiche , chefe de gabinete do ministro da pasta, Guido Mantega, e Humberto Alencar , chefe de gabinete substituto, teriam recebido R$ 60 mil em dinheiro.

De acordo com a reportagem , ocaso tem ligação com o contrato assinado entre a Fazenda e a empresa em dezembro do ano passado, de R$ 4,4 milhões, pelo serviço de assessoria de imprensa. A reportagem aponta falhas no contrato, como superfaturamento, jornalistas fantasmas e problemas na prestação de contas .

PIB fraco não afeta lucro de empresas

Em mais um trimestre de desafios na economia — com a atividade econômica em declínio de 0,12% entre julho e setembro, de acordo com o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC -Br) — o lucro líquido das companhias brasileiras de capital aberto avançou 12,1% no terceiro trimestre, em comparação com o mesmo período do ano passado , chegando a R$ 41,676 bilhões. São R$ 4,485 bilhões a mais, segundo estudo da consultoria Economatica, feito a pedido do GLOBO.

Folha de S. Paulo

Estou tranquilo, mas indignado, afirma ex-ministro petista

No dia em que se apresentou à Polícia Federal para começar a cumprir pena de prisão, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu divulgou nota na qual se define como um "preso político de uma democracia sob pressão das elites".

Dirceu chegou à sede da Superintendência da PF em São Paulo, no bairro da Lapa, por volta das 20h20 de ontem. O petista diz que pedirá a revisão criminal e apelará às cortes internacionais contra a decisão do Supremo.

No Twitter, o filho de Dirceu, deputado Zeca Dirceu (PT-PR), disse que se despediu do pai com o "abraço mais difícil e forte" de seus 35 anos de vida.

Genoino é saudado por militantes e grita 'viva o PT' ao chegar à PF

O ex-presidente do PT José Genoino foi o primeiro dos réus do mensalão a se apresentar à Polícia Federal. Ele chegou à Superintendência da PF em São Paulo pela porta da frente, acompanhado da mulher, Ryoko Kayano, após ter divulgado nota em que se define como "prisioneiro político".

O STF concluiu que Genoino participou da organização do mensalão negociando acordos com os partidos que apoiaram o governo Lula e assinando alguns dos empréstimos do Banco Rural que ajudaram a financiar o esquema.

Marcos Valério e mais seis se entregam em MG

Integrantes do chamado núcleo operacional e financeiro do mensalão condenados pelo Supremo Tribunal Federal se apresentaram ontem na sede da Superintendência da Polícia Federal em Belo Horizonte (MG). Operador do esquema, o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza apresentou-se pouco antes das 21h.

PF deve levar presos a Brasília até amanhã

Dez dos 12 condenados que tiveram a prisão determinada pelo Supremo Tribunal Federal já se entregaram à Polícia Federal e devem ser levados a Brasília até amanhã.

Ainda faltavam se entregar os petistas Delúbio Soares e Henrique Pizzolato. Delúbio afirmou, por meio de seu advogado, que vai se apresentar hoje pela manhã à PF. Pizzolato avisou que fará o mesmo.

O primeiro a se apresentar foi o ex-presidente do PT José Genoino. Até a conclusão desta edição mais oito se entregaram à PF --que recebeu os mandados na tarde de ontem e deflagrou a operação para prender os condenados.

Dilma discursa por mais de uma hora, mas não cita prisões

Em sua única aparição pública após o início das apresentações dos condenados do mensalão à Polícia Federal, a presidente Dilma Rousseff falou por mais de uma hora, mas não fez nenhuma referência às prisões de integrantes da antiga cúpula do PT.

Ela discursou durante o 13º Congresso do PC do B, em São Paulo, na noite de ontem. Defendeu medidas do governo, como o programa Mais Médicos e o leilão do campo de Libra, e louvou a aliança com a sigla comunista.

Execução das penas fere ampla defesa, diz PT

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmou ontem, por meio de nota, que as prisões imediatas dos "companheiros" condenados no processo do mensalão são um "casuísmo jurídico" e ferem o "princípio da ampla defesa", já que o STF (Supremo Tribunal Federal) ainda não analisou os últimos recursos a que eles têm direito.

Venezuela anuncia prisão de mais de cem empresários por elevar preços

O governo da Venezuela deteve ao menos "cem burgueses" acusados de manipular preços, anunciou o presidente Nicolás Maduro, que disse que as lojas do país devem reduzir em ao menos 50% os valores de venda.

Maduro, que deu as declarações na noite de anteontem, não detalhou quem são os "capitalistas" detidos. "Eles são bárbaros, esses parasitas capitalistas!", afirmou. "Temos mais de cem burgueses atrás das grades no momento", disse.

Ainda anteontem, Maduro criticou o empresário Hakim Raffai, da cidade de "El Tigre", a 450 km de Caracas, preso por ordem do Ministério Público acusado de inflar preços de eletrodomésticos.

Entrevista - Marcos Nobre
Do ponto de vista político, o caso do mensalão acabou

Para o filósofo Marcos Nobre, pesquisador do Cebrap e ex-colunista da Folha, o mensalão não existe mais como fato político. Ele diz que as condenações de figuras políticas importantes foi algo "excepcional" e diz que as penas foram mais duras que o convencional, mas não ilegítimas.

O ministro Joaquim Barbosa, diz, representa uma novidade "ambígua". "Deu vazão a um sentimento social de rejeição à política", mas não oferece nada como alternativa.

Suíça condena ex-executivo da CPTM por lavar dinheiro

A Justiça da Suíça condenou o ex-diretor da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) José Roberto Zaniboni por lavar dinheiro proveniente de propina no país europeu.

A informação, divulgada ontem pelo "Jornal Nacional", da Rede Globo, foi confirmada à Folha por um integrante do Ministério Público Federal que acompanha as investigações no Brasil.

As autoridades suíças pedem ainda que o Ministério Público Federal investigue Zaniboni e o esquema de suborno em troca de contratos com o governo do Estado de São Paulo.

Procurador de SP é exonerado por suposta ligação com máfia do ISS

A Prefeitura de São Paulo anunciou ontem a exoneração do procurador do município Silvio Dias, que foi secretário-adjunto de Finanças na gestão Gilberto Kassab (PSD) entre 2008 e 2011. Dias foi citado por uma testemunha em depoimento ao Ministério Público sobre a fraude no ISS, segundo reportagens da revista Veja e do jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com as publicações, uma testemunha protegida (identificada como "Alpha") disse ter ouvido do ex-subsecretário da Receita municipal Ronilson Bezerra Rodrigues que ele participou da quebra do sigilo fiscal municipal de uma empresa do então ministro da Casa Civil, Antonio Palocci.

Futura presidente do PC do B cobra apoio do PT

A deputada federal Luciana Santos (PE) deve ser confirmada hoje como a próxima presidente do PCdoB, no encerramento do congresso do partido, em São Paulo. Sua posse, no entanto, só acontecerá em 2015.

O rito da legenda prevê que, após os delegados referendarem seu nome no encontro, terá início um ano de transição, no qual Renato Rebelo, no comando da legenda desde 2001, começará a lhe passar o bastão para um mandato de quatro anos.

PDT cogita apoiar Campos em 2014, diz presidente do partido

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, evita fechar questão agora sobre o apoio do seu partido para o projeto de reeleição da presidente Dilma Rousseff. "O processo político é dinâmico, é rico" e os pedetistas consideram também a hipótese de vir a apoiar a pré-candidatura a presidente de Eduardo Campos, do PSB, afirma.

Em entrevista na quinta-feira à Folha e ao UOL, Lupi fez várias ressalvas dizendo que a "tendência" é o PDT apoiar a reeleição da presidente Dilma. Mas afirma, ao mesmo tempo, que até o ano que vem poderá "conversar e ver avanços possíveis nas políticas que eles propõem". No caso, "eles" são Campos e o tucano Aécio Neves, ambos pré-candidatos de oposição.

Motoristas gastam até 13 horas para chegar ao litoral

Antes do descanso na praia no feriado, motoristas chegaram a ficar mais de 13 horas nas estradas paulistas. Os que usaram a rodovia Oswaldo Cruz, que leva ao litoral norte, passaram a madrugada no trânsito e "implantaram" uma operação descida forçada, usando a contramão, para tentar escoar o tráfego.

Em alguns trechos da via, que liga Taubaté a Ubatuba, todas as faixas de rolamento e os acostamentos foram tomados pelos carros em um só sentido, o do litoral. Oficialmente, segundo o DER (Departamento de Estradas de Rodagem), das 10h às 16h de ontem, todos os 94 km da Oswaldo Cruz estavam congestionados.

Reforma na China afrouxa política do filho único

Em um pacote de várias reformas, o Partido Comunista da China anunciou ontem o relaxamento da controversa lei do filho único, lançada no final dos anos 70 e que visa a evitar a superpopulação.

No fim de outubro, após especulações, o governo havia negado que a lei, alvo de duras críticas dentro e fora do país. sofreria mudanças.

Pela nova regra, casais que vivem em cidades e nos quais um dos cônjuges é filho único serão autorizados a ter dois filhos. Até agora, o casal só poderia ter o segundo filho se os dois cônjuges fossem filhos únicos. As regras do filho único são diferentes para casais de áreas rurais.

O Estado de S. Paulo

Penitenciária da Papuda abrigará parte dos detidos

O Complexo Penitenciário da Papuda, que abrigará parte dos condenados no mensalão em um primeiro momento, já tem "know-how" para receber réus "ilustres". O centro - que agora deverá ser o destino do ex-presidente do PT José Genoino, do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e do ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares - é hoje endereço do deputado federal Natan Donadon (sem partido-RO), que cumpre pena de mais de 13 anos de prisão por desvio de recursos da Assembleia Legislativa de Rondônia, da qual era diretor financeiro.

Instalado a cerca de meia hora da Esplanada dos Ministérios, o Complexo Penitenciário da Papuda foi - e é -, em seus 40 anos de existência, destino de uma lista de políticos e criminosos perigosos e conhecidos.

Ex-ministro se diz alvo de 'sentença espúria' do STF

Após gritar "viva o PT", o ex-presidente da sigla José Genoino foi o primeiro condenado do julgamento do mensalão a se entregar ontem, na sede da Polícia Federal em São Paulo. Duas horas depois, o ex-ministro José Dirceu, considerado o chefe da quadrilha, chegou ao local. Os petistas passaram o dia de ontem na expectativa de que o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, expedisse os mandados de prisão, o que aconteceu por volta das 17h.

Lula telefona: ‘Estamos juntos’

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva telefonou ontem para o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu e para o ex-presidente do PT José Genoino logo após saber da expedição dos mandados de prisão contra os dois ex-dirigentes do partido, ambos condenados no processo do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal. "Estamos juntos", disse Lula aos antigos companheiros.

Apesar de manifestar solidariedade aos petistas que tiveram ordem de prisão decretada ontem, a estratégia acertada entre Lula e a presidente Dilma Rousseff para não prolongar o desgaste é a lei do silêncio sobre os desdobramentos do mensalão e a condenação e prisão dos ex-dirigentes petistas. "Nós temos um acordo de não falar sobre esse assunto", admitiu ontem o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho.

Prender 'já é uma pequena revolução'

Grande conhecedor do período republicano do Brasil, o historiador e cientista político mineiro José Murilo de Carvalho acha que "tem tudo a ver" a coincidência entre a prisão dos condenados do mensalão, ontem, e o 124º aniversário da República. Depois de avisar que "ainda resta ver o resultado final", ele lembra que "prisão para o andar de cima já é alguma coisa" - mesmo em regime semiaberto - mas prender os primeiros em regime fechado "já é uma pequena revolução". Mas o historiador se pergunta, também, "o que vai acontecer" quando terminar a presidência de Joaquim Barbosa no Supremo.

Suíça condena brasileiro no caso Alston

A Suíça condenou por lavagem de dinheiro o engenheiro brasileiro João Roberto Zaniboni, ex-executivo da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) nos governos do PSDB Mário Covas e Geraldo Alckmin. A Justiça em Genebra aplicou multa a Zaniboni e confiscou "seus bens" naquele país europeu. A condenação de Zaniboni foi comunicada ao Brasil na semana passada pelo Ministério Público Federal Suíço.

Os procuradores suíços não informaram o valor da sanção imposta ao engenheiro. Nesse ponto do documento, agora de posse do Ministério Público em São Paulo, eles demonstram descontentamento com a falta de colaboração do Brasil. "Por falta de endereço (de João Roberto Zaniboni) esta multa nunca lhe pôde ser entregue."

'Ele não tem ativos no País', afirma advogado

O criminalista Luiz Fernando Pacheco, que defende o engenheiro João Roberto Zaniboni, afirmou ontem que o ex-diretor da GPTM "não tem nenhum ativo na Suíça". Ele esclareceu que em 2007, Zaniboni encerrou a conta Milmar, no Credit Suisse de Zurique, e transferiu todos os valores para uma conta no Safra National Bank de Nova York, em nome de uma filha dele.

Segundo Pacheco, o dinheiro já foi repatriado. "Em 2013, todos os ativos foram transferidos para o Brasil. A filha do sr. Zaniboni comunicou o deslocamento da quantia e o ingresso em uma instituição financeira e providenciou a retificação do imposto de renda."

Fiscal diz que se ligou a Kassab em 2004

O auditor fiscal Ronilson Bezerra Rodrigues disse em uma conversa gravada com outros dois acusados de desviar impostos em São Paulo que passou a integrar o grupo político de Gilberto Kassab (PSD) nas eleições municipais de 2004, quando o ex-prefeito foi eleito vice na chapa de José Serra (PSDB). Em 2000, o tucano deixou o cargo para disputar o governo paulista e Kassab assumiu a Prefeitura.

No diálogo, ao qual o Estado teve acesso, Rodrigues relata o episódio na mesa de um bar no Tatuapé, na zona leste, para os fiscais Luis Alexandre Cardoso Magalhães e Carlos Augusto di Lallo Leite do Amaral, acusados de integrar a quadrilha. Ele diz aos colegas que não seria capaz de trai-los.

Davos quer ter Dilma e Campos no Fórum Econômico de 2014

O pequeno vilarejo de Davos, na Suíça, pode servir de aquecimento para o debate eleitoral sobre a economia brasileira. Nas primeiras semanas de 2014, o Fórum Econômico Mundial realiza sua reunião anual na estação de esqui da Suíça e, neste ano, os organizadores esperam contar com a participação do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), provável candidato ao Planalto, e da presidente Dilma Rousseff, ausente nos últimos três anos.

MST invade 16 fazendas em SP

Um ano e meio depois de sair da prisão, acusado de desvio de recursos federais, o líder sem-terra José Rainha Júnior voltou a comandar invasões de fazendas no oeste paulista. Integrantes do MST da Base, dissidência do Movimento dos Sem-Terra (MST) sob o comando de Rainha, invadiram ontem 16 propriedades rurais nas regiões do Pontal do Paranapanema e da Alta Paulista. "Nosso país tem mais de cem anos da independência de Portugal, mas continua com um povo escravo", afirma o líder, em nota distribuída à imprensa.

Exercício aéreo expõe limitação da FAB

A Força Aérea Brasileira encerrou seu maior exercício de combate, a Cruzex 2013, com um enorme saldo positivo - oito países participantes, 4.630 militares, 1.240 horas de voo, 92 aeronaves diretamente envolvidas - e a exposição de uma séria limitação, a falta de aviões tanque próprios, jatos, para fazer o reabastecimento de caças no ar.

Durante o ensaio, as tripulações do contingente brasileiro receberam informações a bordo do KG-767 Jupiter da aviação colombiana - o mesmo tipo de equipamento escolhido pelo Comando da Aeronáutica, todavia ainda pendente da assinatura do contrato de compra abrangendo duas unidades usadas, e revitalizadas pela Israel Aerospace Industrie. O negócio é estimado entre US$ 160 milhões e US$ 200 milhões.

Correio Braziliense

A manobra dos condenados

A posição atual do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Superior Tribunal de Justiça (STJ) abre brechas para a estratégia dos condenados do mensalão no regime semiaberto de pedirem a transferência para a prisão domiciliar por eventual falta de vagas nos estabelecimentos penais compatíveis — colônias agrícolas ou industriais ou similares, de acordo com o Código Penal. O entendimento, no entanto, pode mudar.

O STF reconheceu, em junho de 2011, a existência de repercussão geral para a questão em julgamento de habeas corpus com o pedido de prisão domiciliar, devido ao grande número de pleitos com esse objetivo. Isso significa que a questão, que hoje é decidida caso a caso por turmas da Corte, compostas de cinco magistrados cada, vai ser julgada pelo plenário — por todos os 11 integrantes, ainda sem data marcada. Com isso, o posicionamento firmado pela Corte gera efeito vinculante. Ou seja, todos os tribunais inferiores terão que seguir o mesmo entendimento toda vez que julgarem causas semelhantes na primeira e segunda instâncias.

Chances remotas

Embora a jurisprudência atual dos tribunais superiores admita a prisão domiciliar quando não há vagas em estabelecimentos próprios para cumprimento de pena em regime semiaberto, as chances de um preso doente conseguir o benefício são muito pequenas. Isso impedirá que o ex-presidente do PT José Genoino, que está com problemas no coração e em tratamento médico, possa ficar preso em casa.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF) só concedem a prisão domiciliar em casos excepcionais, desde que demonstrada a incapacidade de o detento doente receber o tratamento adequado no estabelecimento prisional. É o caso de quem precisa estar ligado a algum aparelho respiratório e de ajuda constante de terceiros, por exemplo.

Origem no sistema político

A imagem de um ex-ministro da Casa Civil, de um deputado federal e de banqueiros sendo conduzidos para a prisão no dia em que se comemora a Proclamação da República é carregada de simbolismos. Especialmente em um país que, a despeito de superlotar suas cadeias de miseráveis, sempre fez vista grossa quando o malfeito vem de ricos e poderosos. Para que o episódio não se torne apenas um ponto fora da curva, alertam especialistas ouvidos pelo Correio, serão necessárias medidas efetivas de moralização da política e aperfeiçoamento da Justiça criminal.

“Essas prisões não alteram o quadro nacional, pois continua a pleno vapor a privatização da vida política, que se dá principalmente pela lógica de ampla coalização e pelo financiamento privado de campanha, o chamado caixa dois”, afirma o cientista político Francisco Fonseca, que é professor da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV) em São Paulo.

Lula falta a evento do PCdoB e Dilma se cala

Depois de dizer pelo Twitter, horas antes de serem anunciadas as prisões dos mensaleiros, que uma das funções do presidente da República é combater a corrupção, Dilma Rousseff preferiu o silêncio sobre as detenções. Ela participou do 13º Congresso do PCdoB, na noite de ontem, sem comentar o episódio. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que já tinha confirmado presença no evento, onde discursaria, desmarcou o compromisso depois das prisões. Interlocutores de Lula relatam que a notícia o abalou muito.

Dois caciques derrotados

A execução das penas dos condenados no mensalão repercutiu entre aliados, oposicionistas e reuniu claques a favor e contra os presos, ontem, em São Paulo. A partir do momento em que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, expediu os mandados de prisão, nomes de peso da política nacional e participantes menos conhecidos do esquema do mensalão se apresentaram durante todo o dia às superintendências regionais da Polícia Federal, entre xingamentos e palavras de apoio. Aliados e adversários políticos também correram às mídias sociais para se manifestar. Enquanto a oposição apontou o momento como emblemático, petistas voltaram a tocar na tecla da “injustiça” contra os condenados.

Sobrou para o carro oficial

Uma noitada organizada por políticos e assessores parlamentares da Paraíba, em Brasília, acabou em confusão na madrugada de quinta-feira. Enfurecida por supostamente não ter sido paga por serviços prestados, uma garota de programa quebrou os vidros e o retrovisor do carro do deputado federal Wilson Filho (PTB-PB), em frente a um hotel do Setor Hoteleiro Sul. O parlamentar nega qualquer envolvimento no caso. Alega ter emprestado o veículo aos assessores políticos que visitavam a capital e garante que, no momento do alvoroço, estava em casa, dormindo.

Outros temas abordados pelos jornais publicados no Congresso em Foco:

Dez condenados no mensalão se apresentam na PF

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!