Nos jornais: principais obras do PAC têm atrasos de até quatro anos

Levantamento do jornal O Globo mostra que em dez megaobras os prazos de conclusão foram revistos. Jornais destacam também crise no DEM e a possibilidade de o senador Demóstenes Torres renunciar ao mandato

O Globo

Principais obras do PAC têm atrasos de até quatro anos

Cinco anos após a criação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), as maiores obras de infraestrutura do país têm atraso de até 54 meses em relação ao cronograma original. É o caso da Ferrovia Norte-Sul e do Eixo Leste da Transposição do Rio São Francisco.

Entre as obras com orçamento acima de R$ 5 bilhões, os atrasos são de, pelo menos, um ano. Levantamento feito pelo GLOBO nos balanços do PAC mostrou que em dez megaobras, que somam R$ 171 bilhões, os prazos de conclusão previstos no cronograma inicial foram revistos.

Ontem, O GLOBO mostrou, a partir de um estudo da ONG Trata Brasil, que o atraso é comum também em grandes obras de saneamento, que beneficiariam cidades com mais de 500 mil habitantes. Apenas 7% de 114 obras estavam concluídas, e 60% apareciam como atrasadas, paralisadas ou não iniciadas.

No caso das grandes obras bilionárias, há exceções, como as plataformas da Petrobras e as hidrelétricas do Rio Madeira, que estão com as obras andando no tempo previsto e, em alguns casos, até antecipadas. As usinas de Jirau e Santo Antônio, porém, colocaram seus cronogramas sob reavaliação por greves em seus canteiros na semana passada.

Além de greves, ao longo desses cinco anos foram e continuam frequentes alguns poucos motivos que levaram a atrasos nas grandes obras. São eles: questionamentos no processo de licenciamento ambiental — o mais notório foi o da hidrelétrica Belo Monte —, gastos não previstos no projeto executivo que causaram questionamento do Tribunal de Contas da União (TCU), atrasos em desapropriações ou falta de interesse da iniciativa privada em tocar ou acelerar as obras, caso do trem-bala.

Rebeldes da Síria terão salários

Partidários de Bashar al-Assad participam de um protesto, em Istambul, contra a decisão do grupo "Amigos da Síria” de reconhecer os rebeldes e lhes conceder um salário.

Rocinha tem a oitava morte em 50 dias

Um homem foi executado ontem na Rocinha. É a 8ª morte em 50 dias na comunidade. A Secretaria de Segurança confirmou que investiga denúncias de que PMs estariam recebendo suborno de traficantes da favela.

DEM já fala em expulsar Demóstenes

O destino político do senador Demóstenes Torres (DEM-GO), envolvido com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, começa a ser definido. O DEM deu prazo até amanhã para que ele se explique. Do contrário, partirá para a expulsão. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Ophir Cavalcante, pediu a renúncia.

BC reduz juro, mas bancos ganham mais

Apesar da queda na taxa básica de juros, a Selic, nos últimos anos, os bancos estão aumentando suas margens de lucro nas operações de crédito. Levantamento da consultoria Austin Rating mostra que o ganho já chega a 33%.

Cruzamento de dados já gira US$ 70 bi

Tecnologia que combina cruzamento com análise avançada de dados - a chamada Big Data - vem ganhando espaço em empresas e governo. No Brasil, ela está no mapeamento do pré-sal.

Malvinas: mais perto do Brasil

O governador das Malvinas, o inglês Nigel Haywood, afirma que a Argentina atrapalha as relações do Reino Unido com o Brasil, que poderiam ser ainda melhores, e que seu país não tem interesse em elevar a tensão na região. Segundo ele, o povo das Malvinas deve ter direito à autodeterminação.

Folha de S. Paulo

Todos os homens de Cachoeira

As escutas telefônicas da Operação Monte Carlo revelam que o empresário Carlinhos Cachoeira conta com com ampla rede de relacionamentos no tabuleiro político. Acusado de comandar um esquema de exploração de jogos ilegais e denunciado pelo Ministério Público por corrupção, Cachoeira -preso desde 29 de fevereiro- demonstra ter penetração no governo de Goiás e no Congresso, onde conta com um time de interlocutores.

Entre eles, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), o líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO), o deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ) e o deputado Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO). Além das relações políticas, os ramos de atividade de Cachoeira parecem ser mais amplos do que se supunha.

Em grampos feitos pela Polícia Federal, ele indica que uma das 11 empresas do seu grupo não pode ser vendida por menos de R$ 100 milhões", enquanto apenas um de seus nove imóveis "vale uns R$ 4,5 milhões".

Demóstenes estuda licença ou renúncia a mandato no Senado

O senador Demóstenes Torres (DEM-GO) se reuniu na noite de ontem com os advogados para avaliar a hipótese de renúncia ou licença ao mandato. Escutas telefônicas da Polícia Federal revelaram que Demóstenes atuava no Congresso em favor do empresário Carlos Cachoeira, que está preso sob acusação de exploração de jogos ilegais.

De acordo com seu advogado, Carlos Almeida Castro, Demóstenes dedicou o fim de semana à leitura do inquérito da Polícia Federal para tomar sua decisão. Ele terá novas reuniões hoje. As opções não serão apenas jurídicas. Procurador licenciado, Demóstenes manifestou a aliados preferência para que seu caso fosse julgado pelo STF (Supremo Tribunal Federal).

Em crise, DEM vê derrocada no Congresso

Protagonista do cenário político no passado, o DEM (extinto PFL) perdeu seus principais quadros e hoje tem uma representação reduzida no Congresso. As denúncias contra o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), que era um dos principais nomes do partido, reforçam a crise iniciada em 2007, com a morte de Antônio Carlos Magalhães e a mudança de PFL para Democratas.

A bancada no Senado tem cinco senadores, um deles suplente. Em 2006, o partido chegou a ser a maior bancada da Casa, com 18 senadores. Na Câmara, a situação não é diferente. São 27 deputados. Até o ano passado, antes da criação do PSD, eram 43. Além disso, em pouco mais de um ano, o partido perdeu a Prefeitura de São Paulo e os governos de Santa Catarina e Distrito Federal. Sua única governadora hoje é Rosalba Ciarlini, no Rio Grande do Norte.

Número de estrangeiros barrados no país é recorde

O número de estrangeiros barrados ao tentar entrar no Brasil aumentou mais de 1.000% entre 2008 e 2011, de acordo com a Polícia Federal. No mesmo período, o fluxo de turistas internacionais no país cresceu só 7% -de 5 milhões para 5,4 milhões-, e as autorizações de trabalho para estrangeiros, 60,3%.

Em 2011, 10.218 viajantes foram impedidos de entrar em território nacional -uma média de 28 por dia. Em 2008, o total de barrados foi de 884. Principal porta de entrada do Brasil, o aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, barrou cinco estrangeiros ao dia no ano passado. Entre 2008 e 2011, o número saltou 258% -foi de 544 para 1.950.

Dilma prepara pacote de medidas à indústria

A presidente Dilma quer fazer do evento de amanhã, quando divulgará um pacote de medidas, o momento simbólico para tentar virar o ritmo da economia no segundo ano de seu mandato. Por isso, a Palácio do Planalto convidou cerca de 400 pessoas, entre empresários e sindicalistas, de vinte segmentos.

A indústria, o setor da economia mais afetado por causa da valorização do real frente ao dólar, será o foco principal das medidas. O governo vai desonerar a folha de pagamento de setores da indústria como têxtil, moveleiro, plásticos, aeroespacial, fabricantes de ônibus, eletroeletrônicos, autopeças e bens de capital.

Justiça proíbe carteirada que 'dava' trânsito livre a políticos

A Justiça de São Paulo determinou a suspensão das atividades de uma entidade que distribuía carteirinhas com o objetivo de conceder facilidades a seus portadores. O papel, que tem brasão e aparência de documento oficial, traz uma solicitação a autoridades civis e militares para que seja concedido "trânsito livre" aos que o possuem.

A decisão judicial mandou ainda recolher todas as carteirinhas, que eram fornecidas pela OPB (Ordem dos Parlamentares do Brasil). A entidade, criada em 1976, reúne em sua maioria políticos de pouca expressão e é apontada pelo Ministério Público como "mera associação civil de direito privado, sem nenhuma ligação direta ou indireta" com o Legislativo.

Países anunciam ajuda a rebeldes sírios

m meio à descrença de que a mediação da ONU será capaz de parar a violência na Síria, potências ocidentais e países do golfo Pérsico prometeram aumentar a ajuda à oposição contra o regime do ditador Bashar Assad.

A segunda conferência internacional dos Amigos do Povo Sírio reuniu ontem em Istambul representantes de 83 países com líderes da oposição síria. O Brasil participou como observador.

O Estado de S. Paulo

Dilma vai anunciar mais R$ 18 bilhões de incentivos à indústria

A presidente Dilma Rousseff vai anunciar amanhã uma reformulação nas linhas de financiamento para investimento e capital de giro do BNDES com redução nas taxas de juro, ampliação do prazo de pagamento e mais setores beneficiados. O governo aumentará em R$ 18 bilhões os recursos com taxas subsidiadas pelo Tesouro, que chegarão a R$ 227 bilhões, informa Renata Veríssimo. Será criada uma nova linha para projetos estratégicos de R$ 8 bilhões, com juros de 5% ao ano. Haverá ainda redução de juros para ônibus e caminhões e bens de capital. O financiamento para exportação sobe para 100% com prazo de 36 meses.

Direto da Fonte Especial

Em entrevista a Sonia Racy e Paula Bonelli, José Serra e Fernando Haddad revelam suas inspirações e aspirações à prefeitura de São Paulo e comentam a volta de Lula a um cenário de campanha que promete aprofundar a polarização entre PSDB e PT.

José Serra

“Lula apoiou a Marta em 2004 e 2008, perdeu. Apoiou o Mercadante em 2010, perdeu. A tradição do Lula é não ganhar em São Paulo"

Fernando Haddad

"Estou muito confiante na recuperação do presidente. O tumor desapareceu. Ele vai se recuperar muito rapidamente agora"

Demóstenes avalia renunciar ao mandato

Em um esforço para evitar a cassação - e a consequente perda dos direitos políticos -, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) convocou uma reunião com seu advogado, Antonio Carlos de Almeida Castro, para avaliar a possibilidade de renunciar ao mandato. A renúncia imediata foi cobrada ontem pelo presidente da Ordem dos Advogados do Brasil.

Alvo de grampos telefônicos em que demonstra intimidade com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, a quem chegou a chamar de "professor", Demóstenes complicou-se ao tentar explicar as relações com o chefe de esquema de jogos de azar investigado pela Polícia Federal na Operação Monte Carlo.

A reunião entre o senador e o advogado ocorreu ontem à noite. Nenhum dos dois se manifestou após o encontro. À tarde, o presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, pediu uma "medida extrema". "O teor das conversas telefônicas mantidas com o empresário, divulgadas pela imprensa, evidenciam uma situação mortal para qualquer político", afirmou, ao defender a renúncia.

Marco Maia avaliará denúncias amanhã

É esperado para amanhã o primeiro passo para a eventual perda de mandato de cinco deputados investigados no inquérito em andamento no Supremo Tribunal Federal por ligações com o contraventor Carlinhos Cachoeira. Até agora, estão envolvidos com o chefe do esquema de exploração ilegal de jogos os deputados Carlos Alberto Leréia (PSDB), Jovair Arantes (PTB), Rubens Otoni (PT ) e Sandes Júnior (PP), todos de Goiás, além de Stepan Nercessian (PPS-RJ).

O presidente da Frente Parlamentar de Combate à Corrupção, deputado Francisco Praciano (PT-AM), e o líder do PSOL, Chico Alencar (RJ), reúnem-se amanhã com o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), para avaliar as denúncias contra os deputados. "As águas sujas da cachoeira respingaram na Câmara", disse Chico Alencar. Integrante da frente, ele diz que, se houver indícios de quebra de decoro, é dever dos partidos apresentar representação contra os parlamentares no Conselho de Ética.

Dilma nega interferência em eleições no Congresso

Diante das cobranças da base aliada em relação às movimentações da presidente Dilma Rousseff, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) procurou os partidos para dizer que o Executivo não fará nenhuma intervenção na eleição para as presidências da Câmara e do Senado. No Congresso, houve temor, por parte de alguns líderes, de que Dilma interferisse para tentar impor candidatos mais próximos a ela.

No Senado, o nome em gestação para substituir o presidente José Sarney (PMDB-AP) seria o do ministro Edison Lobão (Minas e Energia). Na Câmara, Dilma estaria preparando a candidatura do ministro Mendes Ribeiro (Agricultura). A ideia, de acordo com informações de bastidores, seria garantir que o comando das duas Casas ficasse sob os cuidados de políticos aliados da presidente nos dois últimos anos de seu mandato.

Com Serra preso a SP, Aécio alça voo

Bastou o ex-governador José Serra ganhar a prévia do PSDB para prefeito de São Paulo, com perspectiva de vitória que, ao menos em tese, o amarra à Prefeitura pelos próximos quatro anos, para o senador Aécio Neves (PSDB-MG) ocupar o espaço de pré-candidato tucano à Presidência da República em 2014.

Aconselhado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a "esquecer o Serra" e viajar pelo Brasil, Aécio marcou o início desta nova fase na quarta-feira, com um discurso de críticas e cobranças duras à presidente Dilma Rousseff.

Ele promete não dar sossego ao Palácio do Planalto, intensificando os ataques mais diretos ao desempenho da presidente. "Estamos fazendo alertas claros. Vamos visitar obras inacabadas e vamos, sim, mensalmente, apresentar um balanço das obras do PAC", disse o senador, decidido a aumentar a vigilância sobre o governo para apontar casos de má gestão, obras paradas e desperdício do dinheiro público.

Saída de líder chinês expõe divisão do PC

Um dos favoritos ao grupo dos nove do Comitê Permanente do Politburo, Bo Xilai foi afastado do cargo de líder do Partido Comunista em Chongqing, centro industrial da China. O expurgo põe em xeque os métodos de Bo contra o crime organizado, que lembram os anos de terror no país.

Correio Braziliense

Bancos elevam tarifas em 78% e ampliam lucro

Com os juros dos títulos públicos em baixa, as instituições pesam a mão nas taxas cobradas aos clientes para garantir a lucratividade. O aumento nos últimos dois anos está bem acima da inflação medida no período, de 17,65%. No acumulado de 2011, a renda com tarifas bancárias e cartões de crédito somou R$ 39,1 bilhões, o equivalente a 66% do lucro obtido do setor. A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor alerta que o brasileiro também tem sido punido com a cobrança de anuidades elevadas do cartão.

Número de motos em Brasília cresce 320% em 10 anos

O aumento foi quatro vezes maior que o da frota de carros no período. Os índices vêm acompanhados de uma outra estatística preocupante: a cada 10 acidentes envolvendo motociclistas, em média sete condutores precisam de cuidados médicos. No caso dos motoristas, em apenas três colisões há ferimentos mais graves.

Faixa repaginada

Novos pontos de travessia de pedestres, motivo de orgulho para os brasilienses, estão em fase de teste em cinco locais do DF. Inspirados em modelo londrino, eles têm cores e tamanhos diferenciados. Se for comprovada a eficácia, a nova faixa poderá ser adotada em outros estados brasileiros.

Educação abre portas da indústria para jovens

Cada vez mais, os cursos profissionalizantes atraem moças e rapazes para a sala de aula. Nos últimos dois anos, o total de alunos matriculados no Senai-DF cresceu 9,7%. Em 2011, 27.193 estudantes apostaram na força do ensino técnico, em 20 diferentes áreas, como trampolim para conseguir um bom emprego.

Continuar lendo