Nos jornais: presidente da CNBB ataca uso da religião na busca por voto

Cardeal Raymundo Damasceno disse ao Estado de S. Paulo que "não se pode instrumentalizar a religião para angariar votos". Folha de S. Paulo destaca que condenações no mensalão complicam situação de réus na primeira instância. O Globo mostra que Banco Rural é protaganista de fraudes

O Estado de S. Paulo

Presidente da CNBB ataca uso da religião na busca por voto

O presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), cardeal Raymundo Damasceno, afirmou na sexta-feira, 14,em entrevista ao Estado que "não se pode instrumentalizar a religião para angariar votos". O cardeal disse ainda que "no mundo democrático não cabe à igreja assumir papel político-partidário". As declarações do presidente da CNBB e arcebispo de Aparecida ocorrem um dia após a divulgação de uma nota da Arquidiocese de São Paulo com ataques ao PRB, partido de Celso Russomanno, líder nas pesquisas.

O texto, redigido a pedido do arcebispo d. Odilo Scherer, acusa diretamente o presidente do partido e coordenador da campanha de Russomanno, Marcos Pereira, pastor licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus. Diz que ele, em artigo publicado em maio de 2011, fomentou a discórdia e fez críticas destemperadas aos católicos – texto publicado no blog de Pereira vinculava a Igreja Católica ao chamado "kit gay", material que se propunha a combater a homofobia. "Se já fomentam a discórdia, ataques e ofensas sem o poder, o que esperar se o conquistarem pelo voto?", disse a nota da Arquidiocese de São Paulo.

Dirigente do PRB questiona uso de texto antigo por Arquidiocese

O presidente do PRB e coordenador da campanha de Celso Russomanno, Marcos Pereira, usou ontem seu blog para rebater a nota da Arquidiocese de São Paulo que o acusou de fomentar "discórdia, ataques e ofensas". Ele disse lamentar o fato de a instituição católica ter replicado agora, no meio do processo eleitoral, um artigo que ele publicou em 18 de maio de 2011.

"Lamento que tal exercício de pensamento, publicado há um ano e quatro meses, seja usado de maneira indevida às vésperas da eleição para a Prefeitura de São Paulo", afirmou. Ainda segundo Pereira, o texto, com o título Qual o Futuro da Educação no Brasil?, trazia uma análise de fatos sob o contexto da época. "Manifestei, naquele momento, minha liberdade de expressão e livre pensamento, sem nenhuma conotação política ou eleitoral."

Lula faz almoço para pacificar petistas e PSB

Disposto a curar as feridas abertas na relação com o PSB, mostrar unidade e atrair votos para Fernando Haddad (PT) em São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva selará amanhã a trégua com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Lula reunirá Campos, Haddad e outros três governadores do Nordeste, do PT e do PSB, para um almoço no Centro de Tradições Nordestinas, na capital paulista.

O encontro foi planejado para desfazer o mal-estar na relação depois que o PSB e o PT romperam a aliança em capitais importantes, como Recife, Belo Horizonte Fortaleza. Além de Campos, que também comanda o PSB, os governadores Jaques Wagner (PT), da Bahia, Marcelo Déda (PT), de Sergipe, e Cid Gomes (PSB), do Ceará, participarão da conversa com Lula e gravarão mensagem de apoio para Haddad usar no programa eleitoral de rádio e TV.

Lula diz que volta dos Magalhães é retrocesso

Em comício ao lado do candidato do PT à prefeitura de Salvador, Nelson Pelegrino, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez duros ataques ao principal adversário do companheiro de partido, o deputado ACM Neto, do DEM, e disse fazer questão de voltar à capital baiana para "comemorar a derrota dos adversários".

"Se ele teve coragem de dizer que queria bater no presidente da República, imagina o que não vai fazer com camelô na cidade de Salvador", disse Lula. Em 2005, durante um discurso na Câmara, o então deputado ACM Neto disse que daria uma "surra" no presidente ou em "qualquer um dos seus que tiver coragem de se meter" na sua frente. Na ocasião, o deputado acusava a Abin de monitorá-lo desde que assumiu a sub-relatoria da CPI dos Correios.

PF prende prefeito e vice por extorsão em Santa Catarina

O prefeito de Governador Celso Ramos, Anísio Soares, seu vice Manoel Marcelo Cunha, e o vereador Alcemir Alves, todos do PMDB de Santa Catarina, foram transferidos ontem para uma unidade prisional de Biguaçu, na grande Florianópolis. Eles foram presos na quinta-feira pela Polícia Federal durante encontro num shopping em São José, após denúncia de extorsão feita por um empresário ao Ministério Público.

Segundo o empresário, os três estariam exigindo dinheiro para facilitar a liberação de licenças para a construção de um empreendimento. De acordo com a PF, foram encontrados com os acusados R$ 30 mil em dinheiro, e seriam negociados ainda mais dois cheques e a doação de um imóvel na praia de Palmas, avaliado em R$ 400 mil.

'Não há pressa' para julgar, diz Ayres Britto

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Carlos Ayres Britto, afirmou ontem que "não há pressa" para concluir o processo do mensalão. O magistrado ressaltou também que, apesar da possibilidade de o julgamento se estender até as eleições municipais, os ministros que integram a Corte não fizeram "conexão" do caso com o pleito. "Nunca fizemos esse tipo de conexão, de avaliação", declarou.

O STF concluiu na quinta-feira a análise do capítulo sobre lavagem de dinheiro. A partir da próxima semana deve começar a julgar o núcleo político do escândalo, que envolve réus como o ex-ministro José Dirceu (PT) e o presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, internado ontem com dores abdominais (leia ao lado).

Até o momento, o único político incluído nas partes do processo já analisadas pela corte foi o ex-presidente da Câmara dos Deputados, João Paulo Cunha (PT). Ele foi condenado por corrupção, peculato e lavagem de dinheiro e renunciou à candidatura para a prefeitura de Osasco (SP).

BC reduz compulsório e injeta R$ 30 bi na economia

O Banco Central anunciou ontem a redução dos recolhimentos compulsórios que os bancos são obrigados a fazer sobre os depósitos à vista e a prazo, o que deve injetar cerca de R$ 30 bilhões na economia nos próximos meses. Também foram dados incentivos para compra de carteiras de bancos. A medida vai impulsionar o consumo e ajudar a reduzir o juro final ao consumidor ao diminuir o spread bancário, segundo o diretor de Política Monetária do BC, Aldo Mendes. Esse é, segundo Mendes, o objetivo principal da medida. Ele afirmou que a redução dos compulsórios “não é uma medida de estabilidade financeira”, ou seja, não foi para assegurar solidez ao sistema bancário. Para analistas, a medida deve impulsionar o crédito.

Dois bancos são liquidados

O BC decretou ontem a liquidação dos bancos Cruzeiro do Sul e Prosper. O Cruzeiro do Sul tinha um rombo de R$ 3,1 bilhões.

Fúria islâmica elege novos alvos

A onda de revolta iniciada com a divulgação de vídeo que ridiculariza o profeta Maomé continuou a se alastrar ontem. Além de missões diplomáticas dos EUA, embaixadas europeias, redes de fast-food, instalações da ONU e uma escola ocidental entraram na mira dos protestos em pelo menos 15 países da África, Oriente Médio e Ásia. Ontem chegaram aos EUA os corpos dos quatro diplomatas mortos na Líbia. O enviado especial ao Cairo, Andrei Netto, informa que radicais enfrentam a polícia nas ruas.

Fogo destrói parques e áreas indígenas

Incêndios consomem os parques nacionais do Xingu e Chapada dos Guimarães e o Pantanal, em Mato Grosso. Só no município de Querência (MT), o fogo destruiu 5 mil hectares de vegetação nativa da Terra Indígena Wawi.

Em SP, visto americano já sai em uma semana

Após a inauguração dos Centros de Atendimento ao Solicitante de Visto de Pinheiros e Vila Mariana, pleitear visto americano em São Paulo está bem mais fácil. A espera, que já foi de até três meses, leva hoje, em média, uma semana.

Folha de S. Paulo

Condenações complicam situação de réus nas Justiças do DF e de MG

Procuradores da República no Distrito Federal e em Minas Gerais usarão as decisões do Supremo Tribunal Federal contra acusados do mensalão em processos de primeira instância nos quais eles são réus ou investigados. No DF, são sete ações de improbidade administrativa em que os fatos são os mesmos do mensalão, mas nesses processos não há foro privilegiado para os políticos.

As causas têm natureza civil e as penas são a devolução de valores, multa e suspensão de direitos políticos. Em Minas há 23 processos ligados ao mensalão, que envolvem crimes não incluídos na ação que está no STF.

STF começa a julgar 1ª acusação contra Dirceu na segunda

Se o relator do processo do mensalão mantiver a mesma estrutura do voto pelo qual aceitou a denúncia em 2007, os ministros do Supremo Tribunal Federal começarão a julgar na segunda o capítulo em que consta a primeira acusação contra o ex-ministro José Dirceu (PT-SP). Será o quarto, dos sete itens da denúncia, que trata da compra do apoio de parlamentares em benefício do governo Lula, entre 2003 e 2004.

Neste item, Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e o ex-presidente da sigla José Genoino são acusados de corrupção ativa, cuja pena prevista oscila de dois a 12 anos de reclusão. Dirceu é ainda acusado de formação de quadrilha, que deve ser o último tópico do julgamento. Na semana passada, o relator do processo do mensalão, Joaquim Barbosa confirmou que fará a leitura do capítulo sobre a compra de parlamentares de uma única vez.

Após ataques, Russomanno diz que é alvo de 'jogo sujo'

Um dia depois de ser alvo de um duro ataque da Igreja Católica, o candidato do PRB a prefeito de São Paulo, Celso Russomanno, alterou o tom de sua propaganda na televisão e adotou o discurso de que tem sido vítima de um "jogo sujo" pelo poder.

No programa que foi ao ar ontem, um narrador diz que Russomanno sofre "os ataques mais baixos" depois de ter virado líder nas pesquisas. Nos programas anteriores, o candidato costumava exibir queixas de eleitores a serviços públicos municipais.

Segundo pesquisa Datafolha, Russomanno lidera com 32% das intenções de voto e é seguido por José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT), tecnicamente empatados em segundo, com 20% e 17%.

Dirceu é o organizador, guru e ideólogo de Haddad e do PT

José Serra (PSDB) fez ontem nova investida para vincular Fernando Haddad (PT), seu rival na eleição paulistana, ao escândalo do mensalão. Em sabatina Folha/UOL, chamou o ex-ministro José Dirceu, principal réu do processo, de "guru" do petista.

"José Dirceu é o orientador da campanha do Haddad. Ele é o verdadeiro dirigente, organizador, guru, ideólogo de todo esse pessoal, inclusive do Haddad", afirmou Serra.

Ao falar sobre o prefeito Gilberto Kassab (PSD), que tem alto índice de reprovação, negou ser padrinho do aliado e ter responsabilidade no resultado de sua gestão. No entanto, disse que ela é "boa" e melhor do que a avaliação da população.

Igrejas evangélicas ignoram lei e doam dinheiro para candidatos

Igrejas evangélicas ignoram a lei eleitoral e estão fazendo doações diretas em dinheiro a candidatos. A segunda parcial da prestação de contas divulgada pelo Tribunal Superior Eleitoral na semana passada mostra cinco igrejas na lista de doadores em quatro Estados.

Um dos doadores é a Assembleia de Deus de Serra (ES), que contribuiu com R$ 1.250 para um pastor candidato a vereador pelo PT. A Igreja do Evangelho Quadrangular aparece como doadora de outro pastor que concorre à Câmara Municipal de Alvorada (RS) pelo PP.

Haddad usa homem com catarata para atacar Serra na TV

O programa eleitoral do candidato à Prefeitura de São Paulo Fernando Haddad (PT) retomou a história de um homem que disse esperar há dois anos por uma cirurgia de catarata para investir contra o tucano José Serra (PSDB), acusado pelos petistas de tentar "desmoralizar a vítima".

A propaganda voltou a mostrar um depoimento do caminhoneiro José Machado. Ele havia aparecido na TV no dia 24 de agosto afirmando não ter conseguido realizar, via sistema municipal de saúde, a operação que a cura da doença requer.

Dias depois, a Secretaria Municipal de Saúde questionou em nota o testemunho dele, apontando como "notoriamente inverídicos" o tempo de espera e o tratamento relatados pelo paciente -o que suscitou acusações do PT de quebra de sigilo médico.

Lula ataca ACM Neto em palanque da campanha petista em Salvador

Após o PT reduzir pela metade a frente do DEM na disputa pela Prefeitura de Salvador, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve ontem na capital baiana e não poupou ataques ao principal rival do partido na cidade.

Em 16 minutos, Lula centrou críticas, sem citar nomes, em ACM Neto (DEM), que lidera as pesquisas -tem 39% das intenções de voto, contra 27% do petista Nelson Pelegrino, de acordo com a pesquisa Ibope desta semana.

Lula lembrou episódio de 2005, quando ACM Neto prometeu, na Câmara dos Deputados, à época das CPIs que investigaram o esquema do mensalão, dar uma "surra" no ex-presidente.

TST define regras e amplia direitos de trabalhadores

O TST (Tribunal Superior do Trabalho) revisou vários entendimentos sobre regras trabalhistas, o que, na maioria dos casos, aumentou a segurança dos trabalhadores.

Durante toda a semana, o tribunal reviu súmulas e orientações para jurisprudência -entendimentos que norteiam as decisões de futuros conflitos. Ao todo, 43 temas foram discutidos. Em 38 houve algum tipo de alteração. Os novos entendimentos já estão valendo, segundo o TST.

Em 5 anos, SP gastou R$ 609 milhões com publicidade

Entre 2007 e 2011, o governo do Estado de São Paulo gastou R$ 608,9 milhões com publicidade. O valor equivale a cerca de 30% do total gasto pela União no período. Ou seis vezes o investimento da Secretaria da Cultura em 2011.

Os dados foram obtidos pela Folha com base na Lei de Acesso à Informação. Um conjunto de planilhas mostra, ano a ano, o quanto foi investido em cada veículo de comunicação. Os valores, corrigidos pela inflação pela reportagem, tratam apenas das secretarias. Não computam a publicidade de fundações, autarquias e estatais, como o Metrô e a Sabesp.

O auge dos foi em 2009 e 2010, quando o então governador José Serra (PSDB), que hoje disputa a prefeitura, era candidato a presidente. Em 2009, foram R$ 173 milhões em anúncios, quase o triplo de 2007, início de sua gestão.

Receita embute 'maldade' em MP e reduz o efeito da desoneração

Na mesma medida provisória em que ampliou o número de setores beneficiados pela desoneração da folha de pagamento, o governo incluiu uma mudança que pode acabar fazendo as mesmas empresas pagarem tributo maior que o esperado.

Pelo acordo, as empresas vão deixar de pagar contribuição previdenciária sobre a folha de pagamentos em troca de uma alíquota cobrada sobre o faturamento. A medida tem como objetivo reduzir custos das empresas, tornando-as mais competitivas com concorrentes estrangeiros.

Como retira encargos da folha de pagamento, também estimula a contratação de trabalhadores formais. O problema é que o texto sobreu uma modificação que aumentou a base de cálculo sobre a qual será cobrado esse percentual, o que aumenta o gasto com o tributo.

Um dirigente de entidade empresarial disse à Folha que a mudança não "anula" o efeito benéfico da desoneração da folha, mas "reduz seu efeito positivo, em alguns casos significativamente".

BC libera para os bancos R$ 30 bi que tinha retido

O Banco Central anunciou ontem uma redução dos recursos que as instituições financeiras são obrigadas a recolher ao BC, o chamado empréstimo compulsório. A medida vai injetar R$ 30 bilhões na economia nos próximos meses.

Normalmente, a redução do compulsório é feita para estimular a atividade, mas, em nota, o BC enfatizou que a medida visa aumentar os recursos disponíveis no mercado interbancário, pelo qual os bancos emprestam recursos uns aos outros.

A mudança foi feita no mesmo dia em que o BC anunciou a liquidação de dois bancos -Cruzeiro do Sul e Prosper. No mercado, havia a preocupação de que essa decisão pudesse causar problemas de liquidez para outras instituições financeiras do mesmo porte.

Protestos chegam a 19 países e incluem escola e lanchonetes

Protestos e violência se espalharam ontem pelo mundo islâmico, deixando ao menos sete mortos no quarto dia de fúria contra um filme produzido nos EUA que denigre o profeta Maomé. Desta vez, os ataques contra os EUA não se limitaram a embaixadas e consulados.

Estenderam-se a outros alvos americanos, como uma escola na Tunísia e duas lanchonetes no Líbano. Houve atos pacíficos e violentos em 19 países islâmicos, não apenas no Oriente Médio. Foram registrados atos em locais tão distantes como Indonésia e Nigéria. Na capital do Sudão, Cartum, milhares de manifestantes atacaram a embaixada americana, e três foram mortos pela polícia.

O Globo

Banco Rural é protagonista das maiores fraudes dos últimos anos

A condenação dos principais dirigentes do Banco Rural por gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro no Supremo Tribunal Federal (STF) é o capítulo derradeiro de trajetória marcada por uma série de fraudes contra o sistema financeiro nacional e ocultação de recursos de grupos criminosos.

Condenados por crimes cujas penas mínimas somam seis anos de reclusão, Kátia Rabello, dona do banco; Vinicius Samarane, o atual vice-presidente; e o ex-vice-presidente José Roberto Salgado ainda terão conduta analisada pelos ministros em função dos crimes de evasão de divisas e formação de quadrilha. Mas a decisão do STF já é a mais dura pena aplicada até agora ao banco mineiro, fundado há 47 anos oficialmente como especialista “no mercado de crédito para pequenas e médias empresas”.

Os tentáculos do Rural aparecem em alguns dos principais escândalos políticos dos últimos 20 anos, das CPIs dos Precatórios e dos Bancos aos mensalões tucano e petista. Do escândalo do Banestado à ocultação de transações para tesoureiros de ex-presidentes (Collor e Lula).

Planalto sinaliza apoio a Renan Calheiros no Senado

A sucessão na presidência do Senado já está pacificada no PMDB e no Palácio do Planalto. Embora seu preferido fosse o ministro Edison Lobão (Minas e Energia), a presidente Dilma Rousseff enviou recados para o líder do PMDB, senador Renan Calheiros (AL), por meio do vice-presidente Michel Temer e do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), de que não tem objeção a sua candidatura.

A ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) também conversou com o próprio Renan e afirmou que o governo não vai interferir. O que o Palácio do Planalto quer é a garantia de que não haverá crise institucional e que o Senado continuará votando os projetos de interesse do Executivo.

Um dos temores do governo é que a candidatura de Renan ressuscite antigas denúncias contra ele e cause instabilidade no Legislativo. Acusado de ter despesas pessoais pagas por um lobista de uma empreiteira, Renan teve que deixar a presidência do Senado em 2007 para evitar a cassação de seu mandato.

País ainda tem 1/3 vivendo em rua de terra

Quase um terço das moradias brasileiras (31,1%) está em ruas sem qualquer pavimentação, de chão batido. Os dados, que deixam em evidência as más condições de infraestrutura urbana ainda existentes no Brasil, são da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) de 2008/2009, divulgada nesta sexta-feira pelo IBGE. Pela primeira vez o levantamento, que analisa os gastos das famílias, pesquisou informações sobre os domicílios e seu entorno.

Os números que apontam a situação precária de vida de muitos brasileiros não param por aí. Há proximidade das estradas de grande circulação em 31,8% dos domicílios e 7,2% das moradias não têm água canalizada. O esgoto a céu aberto ou valão, por sua vez, é uma realidade para 8,9% dos domicílios no país. Já 10,6% dos domicílios estão próximos de rio, baía, lago, açude ou represa poluídos.

Mais R$ 30 bi para ativar a economia

O Banco Central anunciou a liberação de R$ 30 bilhões em depósitos compulsórios nos bancos para ajudar a ativar a economia neste fim de ano. Parte desse dinheiro deve ser usada para empréstimos nos bancos, o que pode estimular consumo. Ontem, o BC precisou agir para conter a valorização excessiva do real e comprou dólares.

Paes afirma que vai manter as OSs na Saúde

Na última entrevista com candidatos a prefeito, Eduardo Paes (PMDB) diz que manterá o polêmico sistema de Organizações Sociais (OSs) na Saúde. Admite que fracassou no combate aos flanelinhas. E ataca os principais adversários, chamando-os de "um bando de encrenqueiros".

Milícia: Rio tem 25 candidatos suspeitos

A Secretaria de Segurança lista, entre o 25 apoiados por milícias, 16 PMs, dois policiais civis e um bombeiro.

Russomanno atrai Universal e malufistas

Líder na disputa em São Paulo, o candidato do PRB montou núcleo até com aliados de Geraldo Alckmin. ".

Mais um policial é morto na Rocinha

A uma semana da instalação da UPP da Rocinha, mais um PM foi morto na favela — o segundo desde abril, e na mesma área. O recruta, de 24 anos, fazia patrulhamento a pé e foi baleado por bandidos no rosto. Um menor de 16 anos foi detido, acusado do crime.

Ficar de sobreaviso dará hora extra

O Tribunal Superior do Trabalho (TST) julgou que quando um trabalhador realiza tarefas ou fica à disposição, por e-mail ou celular, fora do expediente, tem direito a adicional de 30%. Mas, para isso, é preciso que ele seja convocado a ficar de sobreaviso.

Dilma sem agenda: Fui para Porto Alegre, tchau

A presidente Dilma cancelou participação no fórum da revista “Exame” em São Paulo, e antecipou viagem a Porto Alegre, onde visitou o ex-marido Carlos Araújo, que está doente. O Planalto disse que a mudança ocorreu por "questões familiares”.

Fogo em embaixadas aliadas

Com 11 mortos, protestos de muçulmanos contra os EUA se alastraram por 20 países e chegaram a embaixadas de aliados, como a da Alemanha, no Sudão, acima incendiada, e a do Reino Unido. "O povo de Egito, Líbia, Iêmen e Tunísia não trocou a tirania de um ditador pela tirania de uma turba", disse Hillary Clinton.

Correio Braziliense

Família de servidor tem renda 73% maior

Pesquisa do IBGE sobre orçamento das famílias no Brasil aponta crescimento na renda e mudança nos hábitos de consumo. Cada vez mais, despesas com alimentação e educação perdem espaço para gastos com prestações da casa própria e do carro, enquanto viagens de lazer e produtos de higiene e limpeza ganham peso. Lares sustentados por servidores públicos estão entre os de maior renda no país. Mas são, também, os mais endividados: 3,6% do orçamento são para pagar juros. Característica que, segundo especialistas, tem a ver com a segurança propiciada pela estabilidade do emprego público. Os dados, referentes aos anos de 2008-2009, mostram que as desigualdades continuam: falta pavimentação nas regiões onde mora um terço das famílias.

Sobrou até para o Papa

A fúria islâmica contra o filme que ridiculariza o profeta Maomé se espalhou por 30 países muçulmanos. Entre eles, o Kuwait e o Líbano, onde Bento XVI foi recebido em meio a protestos. As manifestações, que causaram 11 mortes, já não se voltam apenas contra americanos. Embaixadas alemã e britânica também foram atacadas. Os EUA enviaram marines para o Sudão e o Iêmen.

Entrevista com o pastor Terry Jones

“Não tenho qualquer arrependimento”, disse, ao repórter Rodrigo Craveiro, o religioso promotor do filme que acendeu a revolta. Ele recebeu mais de 20 ameaças de morte.

Mercado: BC dá ajuda de R$ 30 bi a bancos no vermelho

No mesmo dia em que decretou a liquidação extrajudicial do Cruzeiro do Sul e do Prosper, duas instituições que estavam sob intervenção, o governo tomou medidas para socorrer pequenos e médios bancos em dificuldade. A principal delas foi a redução dos empréstimos compulsórios para injetar mais recursos no mercado financeiro.

Reajuste da mensalidade escolar pode chegar a 15%

Harry Shlaudeman reclama do preço do colégio de Helena, mas terá que se preparar para gastar mais: o índice do aumento será divulgado ainda este mês.

Pós-graduação: MEC reprova cursos no DF

Quatro especializações, uma delas na UnB, foram fechadas devido à baixa qualidade. Em todo o país foram 62.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!