Número 2 da AGU e chefe de gabinete de Dilma são indiciados

Jornais destacam operação da Polícia Federal contra organização acusada de obter pareceres técnicos em benefício de interesses privados

O Estado de S. Paulo

Polícia Federal indicia número 2 da AGU e chefe de gabinete de Dilma em São Paulo

A chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Novoa de Noronha, e o advogado-geral da União adjunto, José Weber Holanda Alves, braço direito do advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, são os dois principais alvos da Operação Porto Seguro da Polícia Federal, deflagrada ontem em Brasília e São Paulo, a fim de desarticular uma organização criminosa infiltrada em sete órgãos federais para a obtenção de pareceres técnicos fraudulentos em benefício de interesses privados.

A PF apreendeu documentos do gabinete do número dois da AGU, que fica localizado no mesmo andar da sala de Adams. Desde o início da manhã, Adams reuniu-se com sua equipe para avaliar o impacto da operação na pasta. Às 6 horas, agentes da PF chegaram ao prédio da AGU, em Brasília. Foram direto ao 14.º andar e se dirigiram ao gabinete de Weber. Os policiais recolheram computador, pen drives e documentos no gabinete do ministro adjunto. Ainda pela manhã, Weber também prestou depoimento aos policiais na Superintendência da PF.

Grupo tentou corromper funcionário do TCU

Em março de 2011, um servidor do Tribunal de Contas da União (TCU) bateu à porta da Polícia Federal para revelar o esquema de compra de pareceres técnicos dentro do governo federal. Ele contou que um homem o procurou e lhe ofereceu R$ 300 mil em dinheiro para produzir um laudo de interesse de uma empresa que atua no Porto de Santos. O servidor aceitou, pegou uma primeira parcela de R$ 100 mil e redigiu o parecer, conforme a encomenda que lhe fora feita. Mas arrependeu-se, devolveu o dinheiro e foi à PF.

A investigação revela que Paulo Rodrigues Vieira, diretor de Hidrologia da Agência Nacional de Águas (ANA), conseguiu viabilizar, por meio de documento falsificado da Faculdade Reges de Dracena (SP), o adiantamento de matérias "para favorecer" o servidor do TCU, aluno da instituição, "objetivando assim corromper o funcionário público para ações futuras junto à Secretaria de Controle Externo do TCU em São Paulo".

Ação atinge aliada de Lula e preocupa Planalto

A Operação Porto Seguro caiu como uma bomba no Palácio do Planalto por causa de dois alvos atingidos: a chefe do escritório da representação da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Novoa de Noronha, nomeada diretamente pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e José Weber Holanda, braço direito do advogado-geral da União, Luís Inácio Adams.

Rose, como é conhecida, trabalhou pessoalmente pela nomeação dos irmãos Paulo Rodrigues Vieira, para a Agência Nacional de Águas (ANA), e Rubens Carlos Vieira, para a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Ambos foram presos pela Polícia Federal ontem pela manhã. Durante a operação, os computadores usados por Rose foram recolhidos para investigação. Agentes federais chegaram pela manhã ao escritório da Presidência com mandados de busca e apreensão. Até a noite de ontem, o Planalto não havia decidido afastar ou demitir Rose. Oficialmente, o governo disse apenas que obedeceu aos mandados judiciais e cumprirá todos os que chegarem a qualquer órgão público.

Irmãos cooptavam servidores, diz delegado

O superintendente regional da Polícia Federal em São Paulo, delegado Roberto Troncon, informou que os dois servidores da Agência Nacional de Águas (ANA) e da Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), Paulo Rodrigues Vieira e Rubens Rodrigues Vieira, que são irmãos, faziam o trabalho de cooptação de outros funcionários públicos para, mediante pagamento, produzirem ou facilitarem a elaboração de pareceres técnicos "em favor de interesses privados".

Segundo a PF, o empresário Marcelo Vieira, irmão dos dois servidores das agências reguladoras, era o elo com outros empresários. Os três irmãos estão presos, por ordem da Justiça Federal. A Operação Porto Seguro foi desencadeada com manifestação favorável da Procuradoria da República, pelas prisões e pelas buscas e apreensões.

Dirceu corre o País para mobilizar bases do PT

O ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, condenado pelo Supremo Tribunal Federal a 10 anos e 10 meses de prisão no processo do mensalão, iniciou uma agenda de viagens pelo Brasil para mobilizar bases petistas e movimentos sociais em sua defesa.

Ainda à espera de que o PT se mobilize mais firmemente em seu favor, o deputado cassado quer recorrer a sindicatos e aos integrantes da legenda que o apoiam. O objetivo é defender, se necessário independentemente do comando partidário, sua inocência no processo e denunciar o que considera caráter político da sua condenação.

Defensores do ex-ministro avaliam que ele só deverá ser preso no fim do primeiro semestre de 2013, depois de esgotados e julgados todos os recursos possíveis. Enquanto não tiver uma resposta definitiva do Judiciário, que ainda não terminou o julgamento e deve publicar o acórdão só no ano que vem - o que permite que os advogados, a partir daí, entrem com recursos - e estiver livre, Dirceu quer percorrer o País - inicialmente, com atividades públicas no Rio de Janeiro e em São Paulo.

Mano cai e seleção deve ter novo técnico só em janeiro

O técnico Mano Menezes foi demitido ontem da seleção brasileira. A decisão foi tomada em reunião entre o presidente da CBF, José Maria Marin, o vice, Marco Polo del Nero, e o diretor de Seleções, Andrés Sanchez. “Fui voto vencido”, disse Sánchez, contrariado. Oficialmente, Mano saiu porque a cúpula da CBF chegou à conclusão de que é preciso “estabelecer nova metodologia e novo planejamento” para que a equipe tenha êxito na Copa das Confederações e na Copa do Mundo. O novo técnico deverá ser anunciado em janeiro. Luiz Felipe Scolari, Tite, Muricy Ramalho, Abel Braga e Vanderlei Luxemburgo são nomes cotados.

Pressionado, Cunha aceita alterar seu relatório

Sem chances de conseguir aprovar seu relatório na íntegra, o deputado Odair Cunha (PT-MG) está decidido a retirar pontos polêmicos do texto final com as conclusões das investigações da CPI do Cachoeira. Lideranças dos partidos aliados e de oposição já avisaram que o relatório não tem condições de ser aprovado com o pedido para que o Conselho Nacional do Ministério Público investigue o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, e com a solicitação de indiciamento do jornalista Policarpo Júnior, da revista Veja.

"Esse relatório é errático. A retirada desses dois itens é uma imposição", afirmou o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ). Hoje, a tendência da maioria dos integrantes da CPI é derrubar na totalidade o relatório, que acabou chegando a mais de cinco mil páginas. Ciente de que a derrota é praticamente inevitável, Odair Cunha tenta agora negociar um texto de consenso com os demais integrantes da comissão de inquérito. Daí ele concordar em retirar partes do documento e fazer um relatório que "espelhe o pensamento da CPI".

Três dias depois, PT divulga nota em defesa do documento

Com três dias de atraso, o PT saiu ontem em defesa do relatório do deputado Odair Cunha (PT-MG) com as conclusões da CPI do Cachoeira. Nota assinada pelo líder do partido na Câmara, Jilmar Tatto (SP), rebateu as críticas feitas ao documento de mais de 5 mil páginas, que propõe o indiciamento de 46 pessoas.

Tatto contestou as acusações feitas pelo governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, que divulgou nota anteontem com críticas pesadas ao relator. Cunha propôs o indiciamento de Perillo por seis crimes. Para Tatto, a reação do governador tucano é uma "tentativa desesperada de salvar seu mandato e seu governo, em razão dos vínculos estreitos e perigosos mantidos com a organização chefiada por Cachoeira".

TSE defende fim de doação de empresas

A ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, defendeu ontem, em São Paulo, o veto às doações de campanha por pessoas jurídicas. Para Cármen Lúcia, empresas não deveriam contribuir com recursos a políticos. A maior parte das doações de campanha no Brasil é feita por meio de pessoas jurídicas, que entretanto não aparecem porque doam por meio dos comitês de campanha e não diretamente ao candidato.

"Em primeiro lugar a ética é pessoal, é preciso sempre lembrar disso", declarou a ministra. "Ninguém pode imaginar que por ter havido um financiamento de empresas privadas, por exemplo, que isso vai gerar qualquer tipo de obrigação, ou que, principalmente, se vai fazer pagamentos em serviços da parte dos eleitos."

Juiz vê ação 'diversa da lei' a favor de Cachoeira

O juiz federal Alderico Rocha Santos, responsável pelo processo da Operação Monte Carlo que envolve o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, afirmou em ofício que o desembargador Tourinho Neto, relator do caso no Tribunal Federal Regional da 1.ª Região (TRF1), adota "procedimento diverso da lei para o acusado" e "têm imposto constrangimento" ao magistrado da 1.ª instância.

Segundo Santos, Tourinho está "estabelecendo prazo e forma para as alegações finais e criando fases processuais não contidas no Código de Processo Penal". As afirmações estão em uma resposta enviada anteontem a um pedido de informações de Tourinho. O ofício contesta uma reclamação sobre o descumprimento de uma decisão do TRF1, de junho, que suspendeu o bloqueio de bens da Indústria Farmacêutica Vitapan, cujos sócios são a ex-mulher e o ex-cunhado de Cachoeira, Andréa Aprígio de Souza e Adriano Aprígio de Souza.

Gol anuncia fechamento da Webjet e faz 850 demissões

A Gol anunciou ontem a extinção da companhia aérea Webjet, comprada em julho do ano passado, e a dispensa de 850 de seus 1.500 funcionários. Os passageiros serão atendidos pela equipe da Gol, que vai devolver a frota de 20 jatos Boeing 737-300 da Webjet às empresas de leasing.

Família deixa comando do banco BMG

A família Pentagna Guimarães deixará o comando do BMG, banco envolvido no escândalo do mensalão. Alcides Tápias assume a presidência do conselho de administração e Antonio Hermann, a presidência executiva.

Reclamação

Consumidores disputam TV durante Black Friday; Procon notificou sete empresas que não teriam dado desconto prometido.

Egípcios lotam a Praça Tahrir contra presidente

A Praça Tahrir foi ocupada por milhares de pessoas que protestavam contra o presidente do Egito, Mohamed Morsi. Ele aumentou seus poderes por meio de decretos. Houve confrontos entre ativistas seculares e islâmicos.

Folha de S. Paulo

PF indicia chefe do escritório da Presidência em São Paulo

A Polícia Federal apreendeu ontem documentos no escritório da Presidência da República em São Paulo e indiciou a chefe de gabinete regional Rosemary Novoa de Noronha, 57. Conhecida como Rose, ela é investigada na Operação Porto Seguro, como revelou a Folha ontem em seu site.

A apuração se refere a grupo formado por funcionários públicos e advogados suspeitos de tráfico de influência e pagamento de propina em órgãos federais. Rose foi nomeada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e mantida no cargo por Dilma Rousseff. Antes disso, trabalhou no PT por quase quase 12 anos com o ex-ministro José Dirceu.

A função de seu atual cargo é prestar "apoio administrativo e operacional ao presidente da República, ministros de Estado, secretários especiais e membros do gabinete pessoal do presidente da República" em São Paulo.

Também houve apreensão de documentos na Advocacia-Geral da União. O alvo é José Weber Holanda, braço direito de Luís Inácio Adams, que comanda a pasta. Segundo o superintendente da PF em São Paulo, delegado Roberto Troncon Filho, a suposta quadrilha exercia tráfico de influência em órgãos como ANA, AGU, Tribunal de Contas da União, Secretaria de Patrimônio da União, Anac e Antaq (portos) e Ministério da Educação.

Operação aponta que ex-senador comprou parecer para ficar em ilha

Interceptações telefônicas e de e-mails levaram a Polícia Federal a desmantelar o esquema de venda de pareceres públicos que pode ter sido utilizado por um ex-senador para manter o direito de permanecer em uma ilha no litoral de São Paulo. A operação Porto Seguro tem indícios de que o ex-senador Gilberto Miranda (PMDB-AM) pode ter obtido pareceres que o autorizam a não desocupar a ilha das Cabras, em Ilhabela, litoral norte do Estado.

O negócio levou a suspeitas de participação no esquema de funcionários do alto escalão da AGU (Advocacia-Geral da União), órgão que defende a União em processos judiciais. A investigação envolve o ex-senador e empresário, que queria regularizar a situação da ilha das Cabras, onde construiu uma mansão e um heliporto. Sendo um bem da União, cabe à AGU oferecer parecer a favor ou contra à operação.

Fux rouba cena e toca guitarra na festa de Barbosa

Despida de togas, becas e dos tradicionais protocolos, a comunidade jurídica de Brasília participou anteontem à noite da posse do mais novo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa. Quem, de fato, roubou a cena foi seu colega Luiz Fux, que subiu ao palco, catou uma guitarra e soltou a voz. O ministro Marco Aurélio Mello acompanhou o show na boca do palco.

Barbosa não viu a performance. Para ele, a noite foi de pop star. Não conseguiu sentar, comer e beber, ao menos em público. Do momento em que chegou, por volta das 21h, até ir embora, já depois das 2h, era cercado pelos convidados, abraçado, beijado. O assédio era tanto que, perto das 22h, ele não aguentou e, protegido por seguranças e assessores, deixou o salão da festa e foi tomar um ar.

Dirceu convoca PT para ir às ruas contra julgamento

O ex-ministro José Dirceu, condenado a dez anos e dez meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal, convocou ontem o PT e os movimentos sociais a irem as ruas "fazer o julgamento do julgamento" do mensalão. Eles discursou em ato do deputado João Paulo Cunha, condenado por corrupção e peculato, em Osasco.

O ex-presidente do PT José Genoino, sentenciado a seis aos e oito meses, também participou da manifestação. "'É preciso ir as ruas, discutir, debater o que esta acontecendo. Não aceitamos. Estamos revoltados e indignados e somos vitimas de um julgamento injusto", disse Dirceu, que completou: "Nós, antes de sermos condenados, fomos linchados. Quem jogou o principal papel na articulação foram os meios de comunicação, não todos, mas determinados meios".

Juiz acusa desembargador de beneficiar Cachoeira

O processo envolvendo o esquema de Carlinhos Cachoeira virou palco de ataques entre o juiz que cuida do caso em primeira instância e o desembargador que analisa o tema no TRF (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região.

Na última quinta-feira, o juiz Alderico Rocha Santos, da 11ª Vara Federal de Goiânia, enviou ofício ao desembargador Tourinho Neto, do TRF-1. Nele, critica decisões em segunda instância favoráveis a Cachoeira e seu grupo.

Foi Tourinho quem concedeu habeas corpus para soltar Cachoeira em relação à Operação Monte Carlo. Ele só ficou preso, até a última terça-feira, por causa de outra operação, a Saint-Michel, um desdobramento da primeira.

No ofício, o juiz Alderico Santos reclamou de expressões usadas por Tourinho numa decisão em relação aos sigilos bancários do laboratório Vitapan, ligado a Cachoeira. A Justiça de Goiânia determinou o bloqueio das contas, mas Cachoeira contestou, alegando que Tourinho havia determinado o contrário.

Polícia Federal indicia mulher de Cachoeira

A Polícia Federal indiciou Andressa Mendonça, mulher de Carlinhos Cachoeira, sob suspeita de corrupção ativa. É o primeiro envolvimento formal direto dela com o esquema Cachoeira. A Folha teve acesso ao relatório do inquérito que investigou Andressa e ao despacho de indiciamento, que ocorreu em setembro.

De acordo com o documento, "o ato criminoso tinha como objetivo favorecer Carlos Augusto de Almeida Ramos mediante a sua soltura". Trata-se do caso de suposta chantagem feita por Andressa sobre o juiz Alderico Rocha dos Santos, o responsável pela ação penal decorrente da Operação Monte Carlo, que prendeu Cachoeira em 29 de fevereiro.

'Povo de Goiás terá orgulho de mim', afirma Cachoeira

Em sua primeira declaração após deixar a prisão, o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, afirmou ontem que "o povo de Goiás vai ter orgulho de mim. Pode ter certeza disso". O empresário se pronunciou ao chegar em Anápolis (GO). Ele estava em Goiânia desde a sua soltura e foi proibido pela Justiça de deixar a cidade, mas recebeu autorização para visitar o túmulo da mãe no interior.

"É muito difícil para mim esse momento", disse. "Perdi minha mãe, estava preso." Cachoeira visitou o túmulo da mãe por volta das 16h45. Rezou e ficou durante dez minutos em frente ao jazigo, de cabeça baixa. Ele estava acompanhado da mulher, Andressa Mendonça. Cachoeira disse ter perdido 13 quilos na prisão. "Nove meses segregado, preso. Em uma tese maliciosa da Procuradoria", afirmou.

Falta outro lado à comissão, dizem militares

Representantes dos clubes Militar e Naval, de militares da reserva do Exército e da Marinha, afirmaram ontem que falta à Comissão da Verdade "ouvir o outro lado" sobre as acusações de crimes contra os direitos humanos na ditadura militar (1964-1985). Anteontem o coordenador da Comissão da Verdade, Claudio Fonteles, tornou públicos os primeiros 11 textos produzidos por algum membro da comissão.

Os principais documentos citados por Fonteles já são conhecidos de reportagens jornalísticas, livros e trabalhos acadêmicos. Mas os textos de Fonteles antecipam pontos de vista que poderão constar do trabalho final da comissão, previsto para 2014.

Fonteles apontou envolvimento de 11 agentes da repressão na morte sob tortura de cinco militantes da esquerda. Pelo menos três estão mortos -dois generais e o delegado Sérgio Fleury. Os outros a Folha não conseguiu localizar ontem.

CBF tira Mano Menezes do comando da seleção

Após 40 partidas no comando da seleção brasileira, o técnico Mano Menezes foi demitido pelo presidente da CBF. A intenção de José Maria Marin e de seu vice, Marco Polo Del Nero, é ter um treinador contratado por eles. Mano era uma herança de Ricardo Teixeira.

Com ele, a seleção caiu nos dois torneios disputados: Copa América e Olimpíada. Mas o aproveitamento nos 40 jogos foi de 72%.

Gol anuncia o fim da Webjet e demite 850 funcionários

Com o objetivo de reduzir custos, a Gol anunciou o fim da Webjet e a demissão de 850 dos 1.500 funcionários da companhia, adquirida em julho de 2011. Os passageiros com bilhete da Webjet serão remanejados para os voos da Gol, que teve em outubro 30% dos assentos vazios. Em SP, terminal fechado confundiu passageiros.

Filha de Temer pode ocupar secretaria de SP

O PMDB de São Paulo se reunirá hoje com o prefeito eleito de São Paulo, Fernando Haddad (PT-SP), para apresentar os nomes e cargos que deseja ocupar na administração municipal. A advogada Luciana Temer, filha do vice-presidente Michel Temer, será indicada para a Secretaria de Assistência Social.

A médica Mariana Pinotti, filha do ex-deputado José Aristodemo Pinotti (1934-2009) e candidata a vice-prefeita na chapa de Gabriel Chalita, também do PMDB, será o nome sugerido para a pasta da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida.

Nota dos alunos em ciências cai no Enem 2011

O desempenho médio dos alunos nas áreas de ciências da natureza e de ciências humanas caiu no Enem 2011 em relação aos dois anos anteriores. Já em matemática e português a média subiu. Cerca de 60% dos colégios paulistanos que estavam no ranking 2010 ficaram de fora da lista.

O Globo

No coração do poder: PF vasculha escritório da Presidência em São Paulo

Rosemary Noronha, chefe de gabinete e ex-secretária de Lula, está entre os indiciados; ela é suspeita de tráfico de influência ao favorecer empresas em órgãos federais em troca de favores. A PF prendeu seis pessoas acusadas de participação em um esquema de fraudes de pareceres técnicos em agências reguladoras e órgãos federais. Entre os presos estão os irmãos Paulo Vieira, diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), Rubens Vieira, diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), e Marcelo Vieira. Foram indiciados Rosemary Noronha, ex-secretária de Lula no escritório da Presidência em SP, e José Weber Holanda Alves, o segundo na hierarquia da Advocacia Geral da União. Rosemary, que conheceu Lula quando assessorava José Dirceu, vai responder por corrupção ativa. (Págs. 1, 3 e 4)

Um STF sem firulas e salamaleques

Na festa realizada anteontem em Brasília após a posse de Joaquim Barbosa na presidência do STF, quem roubou a cena foi o ministro Luiz Fux, que subiu ao palco para cantar, em homenagem a Joaquim, “Um dia de domingo”, famosa na voz de Tim Maia. Também em Brasília, dois dias antes, José Dirceu confidenciou em jantar com advogados que ainda tem esperança de reduzir sua pena no mensalão, mas disse saber que não escapará da prisão.

O fim da era Mano

Em decisão surpreendente, a CBF demitiu o técnico Mano Menezes. A nova comissão técnica só será anunciada em janeiro, indicando que, se conquistar o mundial de clubes pelo Corinthians, Tite será o substituto. Os outros candidatos são Muricy, preferido do presidente da CBF, José Maria Marín, e Felipão, do vice Marco Polo del Nero. Mostrando divisão na entidade, o diretor da seleção, Andrés Sanchez, disse que foi voto vencido. Mano ficou à frente da equipe durante dois anos e quatro meses (33 jogos).

Comércio é acusado de maquiagem

Na terceira edição brasileira da “Black Friday” — megapromoções do varejo na sexta-feira após o feriado americano de Ação de Graças —, os consumidores ficaram revoltados. Nas redes sociais, o evento foi logo apelidado de “Black fraude” porque preços teriam subido antes. O Procon-SP notificou sete redes de varejo.

Gol fecha Webjet e demite 850

Menos de dois meses após a aprovação da compra da Webjet pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), a Gol anunciou ontem o fim da empresa e a demissão de 850 funcionários. O Sindicato dos Aeronautas anunciou greve para dezembro.

Média dos alunos caiu no Enem

De 2010 para 2011, a média nas provas objetivas dos alunos que fizeram o Enem caiu de 511 para 495, deixando o país mais longe da meta do MEC, de 600 pontos. A piora ocorreu nas provas de ciências humanas e da natureza. Em matemática e português, as médias aumentaram.

15 anos de cadeia para Macarrão

Ex-braço direito do goleiro Bruno, Luiz Henrique Romão, o Macarrão, foi condenado a 15 anos de prisão pela morte da modelo Eliza Samudio. Ex-namorada de Bruno, Fernanda Gomes de Castro recebeu pena de cinco anos em regime aberto. Bruno será julgado em março.

Correio Braziliense

PF indicia nº 2 da AGU e chefe de gabinete da Presidência

José Weber Holanda Alves, adjunto do advogado-geral da União, e a chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo, Rosemary Nóvoa de Noronha, são acusados de integrar a quadrilha que corrompia servidores encarregados de fraudar os pareceres técnicos para acelerar processos de interesse de empresários. Em troca, os integrantes do esquema recebiam propina e outros benefícios. Segundo a PF, a quadrilha cooptou funcionários das agências reguladoras Anac, ANA e Antaq, da Secretaria do Patrimônio da União, do TCU, da Advocacia-Geral da União (AGU), dos Correios e do Ministério da Educação. Seis pessoas foram presas e 18 indiciadas. Não é a primeira vez que José Weber é suspeito de cometer irregularidades. Em 2003, ele foi exonerado do posto de procurador-geral federal após reportagem do Correio sobre suposto desvio de dinheiro público. Voltou à cúpula da AGU no fim de 2009, trazido pelo atual advogado-geral da União, Luís Inácio Adams.

Os caminhos do sucesso no Enem

Victor e Thaynara estudam no Cemi, do Gama, a melhor escola pública do DF no exame. Eles destacam o bom relacionamento com os professores. Nas particulares, o maior investimento faz a diferença.

É, Mano, sua Copa acabou

Depois de sofrer pressão durante dois anos e quatro meses, técnico é demitido quando vivia sua melhor fase. Felipão, Tite e Muricy são cotados para assumir a Seleção e prepará-la para a Copa das Confederações.

Macarrão pega 15 anos pela morte de Eliza

Justiça mineira condenou Luiz Henrique Romão à prisão pelos crimes de assassinato, sequestro e cárcere privado da então amante do goleiro Bruno. Ex-namorada do jogador, Fernanda Castro também foi punida.

Black Friday à brasileira decepciona

Lentidão dos sites e propaganda enganosa provocaram frustração. Irritados, consumidores batizaram a liquidação de “Black Fraude”. Pelo menos 500 ofertas falsas foram retiradas do ar.

Agora livre, ele ameaça contar tudo

Enquanto o PT e o PSDB não se entendem sobre o relatório final da CPI do Cachoeira, o bicheiro passeia com a mulher, Andressa, pelas ruas de Anápolis (GO) e diz que goianos ainda vão se orgulhar dele. “Vou falar a história toda”, afirma.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!