Nos jornais: Valério disse que mandou dinheiro para Santo André

Jornais repercutem reportagem da revista Veja desta semana. O Estado de S. Paulo informa que Valério disse em depoimento ter repassado dinheiro para chantagens cessarem. Já a Folha de S. Paulo relata que ministros do STF defendem proteção ao empresário

O Estado de S. Paulo

Valério disse que mandou dinheiro para Santo André

No depoimento prestado em setembro ao Ministério Público Federal, o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, condenado no Supremo por operar o mensalão, relatou que recursos do esquema foram enviados a Santo André após o assassinato do prefeito Celso Daniel (PT), ocorrido em janeiro de 2002. Valério disse, segundo investigadores que tiveram acesso ao depoimento sigiloso, que o dinheiro serviu para estancar supostas ameaças e chantagens a petistas.

Em sua edição desta semana, a revista Veja informa que Valério foi procurado em 2003 pelo então secretário-geral do PT, Silvio Pereira, a fim de que desse dinheiro ao empresário de ônibus Ronan Maria Pinto. Ronan, como é conhecido, estaria, segundo o petista, ameaçando dizer em público que o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu principal assessor, o hoje ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, seriam os beneficiários do esquema de desvio de dinheiro público da prefeitura de Santo André.

O dinheiro do valerioduto, portanto, serviria para calar Ronan num momento em que o Ministério Público Estadual ligava o esquema de propina ao assassinato de Daniel, ocorrido um ano antes. Os promotores alegavam que o prefeito tentou acabar com o esquema de desvios de verba pública na cidade do ABC e, por isso, acabou assassinado. "Nisso aí eu não me meto", teria dito Valério a Silvo Pereira, ainda segundo o relato da revista.

Porém, no depoimento espontâneo prestado em setembro, Valério afirmou, conforme investigadores ligados ao caso, que repassou o dinheiro para que pessoas cessassem as ameaças e as chantagens a integrantes do PT.

Veja: Marcos Valério narra chantagem por silêncio sobre assassinato
Tudo sobre o mensalão

Ministro nega que tenha sido chantageado; instituto não comenta

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, negou ontem ter sido vítima de chantagem de pessoas que ameaçavam revelar seu suposto envolvimento com o esquema de desvio de verbas públicas da prefeitura de Santo André na gestão do prefeito Celso Daniel.

O ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira também negou que o empresário Marcos Valério o tenha procurado para levantar o dinheiro necessário a fim de "calar" o empresário Ronan Maria Pinto, que seria o responsável pela ameaça de ligar Lula e Carvalho ao esquema de propinas no município do Grande ABC.

O advogado que dita os passos do 'jogador'

Ao pedir cautela quando novas declarações atribuídas a Marcos Valério começaram a surgir na imprensa durante o julgamento do mensalão, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, classificou o empresário mineiro como "um jogador". Reservadamente, ministros do Supremo concordam com Gurgel e compartilham a opinião de quem acompanha de perto o escândalo desde o seu início: Valério não dá um passo sem consultar seu advogado, o respeitado criminalista Marcelo Leonardo.

Desde que assumiu como defensor do "operador" em 2005, no auge do caso, Leonardo impôs seu estilo, sempre sóbrio e direto, às vezes sisudo. A primeira ordem que impôs para abraçar a causa vigora oficialmente até hoje: Valério não deveria dar entrevistas.

Mas nos anos que se seguiram e mesmo durante o julgamento, várias declarações em tom de ameaças publicadas na imprensa são atribuídas ao empresário mineiro. O alvo é geralmente o PT, mas, mais recentemente, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou na mira.

Campos se une a Aécio por 'pacto federativo'

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), dois nomes cotados para a eleição presidencial de 2014, já estão afinados no discurso da necessidade de um novo pacto federativo no País. A desconcentração das receitas que estão com a União e o fortalecimento dos Estados e municípios são uma bandeira antiga do senador tucano - herdada de Itamar Franco -, que foi adotada mais recentemente por Campos, na esteira das eleições municipais.

Embora no plano federal participem de bases distintas, PSDB e PSB são aliados no âmbito estadual e caminharam juntos, nas eleições de outubro, na disputa por cidades importantes como Belo Horizonte e Campinas - onde a aliança derrotou candidatos apoiados pelo ex-presidente Lula e a presidente Dilma.

40% dos prefeitos eleitos já ocuparam o cargo antes

Quatro entre dez eleitos para comandar as prefeituras a partir de 2013 vão voltar para a cadeira que um dia ocuparam. Três desses quatro são os atuais prefeitos, que concorreram à reeleição e venceram. O quarto é um ex-prefeito que já comandou a prefeitura em pelo menos um mandato desde 1996. Os outros seis novos prefeitos vão governar a cidade pela primeira vez nos últimos 16 anos, pelo menos.

Em porcentagem, a taxa de retorno dos quadros é de 38%. O índice é alto, considerando que as eleições de 2012 são o fim de um ciclo de reeleição. Isso ocorre porque no pleito de 2000, quando a reeleição para prefeito passou a valer, todos poderiam candidatar-se novamente, marcando o início de um ciclo. Assim, na eleição seguinte, menos prefeitos puderam concorrer. No total, 1.515 foram reeleitos este ano, 205 a mais que no último fim de ciclo, em 2004. Outros 615 ex-prefeitos voltarão ao cargo.

Setor avalia perda de 70% da receita com novas tarifas

Anunciadas no Diário Oficial da União na última quinta-feira, as novas tarifas de energia elétrica foram consideradas muito baixas pelo mercado. Os novos patamares afetam a receita de 81 usinas em operação no País, cujos contratos de concessão vencem entre 2015 e 2017. Com a perda de receita, algumas empresas poderão não renovar os contratos.

Megatemplo lotado

Padre Marcelo Rossi inaugurou com uma missa, em Interlagos, o Santuário Mãe de Deus, ainda em obras, com capacidade para 20 mil fiéis no seu interior e 80 mil na parte externa.

Comandante da PM dispensa tropa federal

Um dia após o governo federal e o de São Paulo admitirem ação conjunta no combate ao crime, o comandante da Polícia Militar, Roberval Ferreira França, disse ontem que é desnecessária a ajuda do Exército. “O general Adhemar, comandante militar do Sudeste, tem total confiança na Polícia Militar de São Paulo”, afirmou França.

Madrugada violenta

Na Grande São Paulo, a madrugada violenta deixou 9 mortos. Um PM foi assassinado, elevando para 89 as baixas na guerra com o PCC.

Obama e Romney trocam acusações

Na reta final da eleição dos EUA, o candidato democrata e o candidato republicano acusam um ao outro de incapacidade de recuperar a economia do país.

Folha de S. Paulo

Ministros do STF falam em proteção a Marcos Valério

Ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) ouvidos pela Folha defendem que o empresário Marcos Valério Fernandes de Souza, operador do mensalão e condenado pelo tribunal a mais de 40 anos de prisão, receba algum tipo de proteção do Estado.

Para eles, se Valério afirma temer pela sua vida, isso não pode ser subestimado. O empresário se diz disposto a revelar ao Ministério Público detalhes inéditos sobre o esquema que ajudou a organizar durante o governo Lula. Novos depoimentos não terão interferência no julgamento do mensalão, que está na fase final. Mas podem resultar em novas investigações ou contribuir para outros inquéritos em curso.

Os ministros do STF não descartam a possibilidade de que Valério esteja apenas tentando tumultuar o julgamento. Um deles, que pediu reserva, afirmou que não há mais espaço para suas promessas. Já o ministro Marco Aurélio Mello afirma que está na hora de o operador do mensalão "desembuchar, não falar em doses homeopáticas".

 

Morte de Celso Daniel ainda assombra novo prefeito de Mauá

Em março de 2006, o deputado estadual Donisete Braga (PT-SP) respirou aliviado com a decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo de arquivar, por falta de provas, o inquérito criminal que o investigava por suposto envolvimento na morte do ex-prefeito de Santo André, Celso Daniel, em janeiro de 2002.

Ele havia sido alvo das apurações porque ao menos 15 ligações de seu telefone foram captadas por antenas próximas do cativeiro da vítima. Com a decisão do TJ, achava que acabaria ali um desgastante processo de acusações públicas. Ledo engano.

Em outubro de 2012, Donisete voltou a ser vinculado à morte de Daniel durante a campanha pela Prefeitura de Mauá, na Grande São Paulo. O caso estampou panfletos distribuídos pela cidade e foi explorado pela adversária e colega de Assembleia Legislativa, Vanessa Damo. Para a peemedebista, seria a "bala de prata" para vencer no segundo turno. Outro engano.

Quase metade dos eleitores de SP não votaria se fosse possível

Se o voto não fosse obrigatório, 44% dos eleitores que foram às urnas escolher o prefeito de São Paulo no domingo passado afirmam que não teriam comparecido à votação, mostra o Datafolha.

O cenário não favoreceria nem Fernando Haddad (PT), que saiu vencedor com 56% dos votos válidos, nem seu adversário, José Serra (PSDB). Isso porque o percentual dos que deixariam de votar é semelhante entre eleitores dos dois: 40% dos que declaram voto no petista e 39% dos que votam no tucano.

Entre os que afirmam ter votado branco ou nulo, o índice dos que não teriam comparecido é bem maior: 77%. A pesquisa foi realizada no dia seguinte à eleição.

Padre Marcelo abre santuário com missa para 50 mil pessoas

O padre Marcelo Rossi inaugurou ontem o Santuário Mãe de Deus, maior templo católico do país, com uma missa para 50 mil pessoas, segundo estimativa da Guarda Civil Metropolitana. Esse número só leva em conta os espectadores que estavam na área do templo. A GCM não considerou os fiéis que não conseguiram entrar no local.

A avenida Interlagos, que foi fechada durante a missa, estava tomada por pessoas. O número de presentes ficou bem acima do previsto. A Prefeitura de São Paulo havia concedido uma autorização parcial para o funcionamento com lotação máxima de 20 mil espectadores.

"A prefeitura já sabia que poderia ser [um número superior] porque era inauguração. Depois volta-se ao normal", afirmou Marcelo Rossi. Estiveram presentes o governador Geraldo Alckmin e sua mulher, Lu, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o ministro Alexandre Padilha (Saúde), o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), o deputado federal Jilmar Tatto (PT-SP) e o ex-governador Luiz Antônio Fleury Filho.

Brasileiro está entre mortos da tempestade Sandy nos EUA

Tiago Ferreira Neto, 54, está entre os mortos nos EUA em consequência da tempestade Sandy. O mineiro vivia no país havia 13 anos e era entregador de pizza.

Secretário quer assassinos de PM em prisão federal

O secretário da Segurança Pública de São Paulo, Antonio Ferreira Pinto, quer propor à União que assassinos de policiais sejam enviados para um dos quatro presídios federais.

Escola usa chip para controlar presença de aluno

Uma escola de Samambaia (DF) adotou chips costurados ao uniforme para controlar a presença dos estudantes. Para a diretora, é um modo de envolver os pais.

O Globo

 

Crime Organizado - SP vai ampliar ocuparão de áreas violentas

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou ontem a ampliação da Operação Saturação, que desde quinta resultou na prisão de 34 pessoas na favela de Paraisópolis e nos bairros de Campo Limpo e Capão Redondo. A operação consiste em ocupar as comunidades com um grande número de PMs e montar pontos de bloqueio para combater o crime organizado. O comandante-geral da PM, Roberval França, disse não ser necessário o envio de tropas do Exército para a cidade. Levantamento da Associação Brasileira de Transporte de Valores mostra que, só em São Paulo, R$ 107 milhões foram roubados de carros-fortes por quadrilhas.

Mensalão: Dilma irá à posse de Barbosa no STF

A presidente nunca cogitou deixar de ir à posse de Joaquim Barbosa na presidência do STF, informa Jorge Bastos Moreno na coluna Nhenhenhém. Segundo a "Veja", Marcos Valério acusa a cúpula do PT de ter lhe pedido dinheiro para calar empresário que relacionava Lula à morte de Celso Daniel (PT).

Deputados de mudança: Alerj vai para a Presidente Vargas

O governo do estado cedeu um terreno de 6,5 mil metros quadrados na Avenida Presidente Vargas, na Cidade Nova, para a construção da nova sede da Alerj. O Palácio Tiradentes, onde hoje são realizadas as sessões, deve ser transformado em museu. O custo do projeto ainda não foi calculado.

Golfe olímpico: Barra faz ressalva mas apoia parque

Entidades da Barra aprovaram a criação de um novo parque no bairro, mas fizeram ressalvas à proposta da prefeitura de excluir 5,8% do Parque de Marapendi para construir o campo olímpico de golfe. E pedem ainda que a área verde seja mantida e preservada.

A hora do Enem: celular e relógio são proibidos

Os candidatos que começam a fazer hoje o Enem não poderão usar celular nem relógio. Além disso, a prova deve ser feita com caneta esferográfica preta, fabricada com material transparente. O exame começa às 13h, mas os alunos devem chegar uma hora antes.

NY: Sandy causa morte de brasileiro

O entregador de pizzas Tiago Fernandes Neto, de 54 anos, morreu ao bater de carro em uma árvore em Greenburgh, no estado de Nova York, durante a passagem de Sandy. As longas filas e a escassez de gasolina acirram os ânimos de nova-iorquinos.

Sob pressão, prefeito cancela Maratona de Nova York

Pressionado pela população por causa da situação calamitosa da cidade, o prefeito Michael Bloomberg cancelou a prova, que passaria por bairros de Nova York.

Empregos em alta aliviam Obama

A quatro dias da eleição, o presidente Barack Obama respirou aliviado com a divulgação dos números de criação de empregos de outubro: 171 mil vagas, acima das expectativas. O republicano Mitt Romney, porém, ressaltou o desemprego ainda alto.

Correio Braziliense

Órfãos do apagão amargam prejuízo

Em São Sebastião e condomínios do Jardim Botânico, moradores ficaram 12 horas no escuro. No Conjunto D, no Quintas do Sol (foto), pelo menos metade da rua tem perdas a lamentar. Principalmente de eletrodomésticos queimados — como TVs, micro-ondas, geladeiras — depois do temporal da quinta-feira. No Setor Habitacional Tororó, foram 18 horas sem energia.

Cresce o número de casos de leishmaniose

O DF teve 50 cães infectados por mês este ano, 32% a mais que em 2011. Entre humanos, foram 20 diagnósticos da doença em oito meses.

Emprego acirra a disputa pela Casa Branca

Números da criação de postos de trabalho e do desemprego, que aumentou para 7,9%, acirram o debate entre Obama e Romney a quatro dias das eleições.

Brasileiro morreu na tempestade

O mineiro Tiago Neto, 54 anos, bateu com o carro numa árvore derrubada por Sandy, numa região a 28km de Nova York.

Educação: jovem agredido quer fazer Enem

Espancado na saída de uma festa, o estudante Leonardo Moreira continua no hospital, mas pediu autorização do MEC para fazer as provas, hoje e amanhã.

Justiça: consumidor tem levado a melhor

Em 70% das ações de indenização, bancos, concessionárias e teles perdem a causa. Mas os processos demoram.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!