Nos jornais: Justiça de SP afasta do TCE ex-secretário do PSDB

Após seis anos de investigação, a Justiça determinou o afastamento de Robson Marinho do cargo de conselheiro do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo em razão da suspeita de que ele tenha recebido propina da multinacional francesa Alstom

Folha de S. Paulo

Justiça de SP decide afastar Robson Marinho do TCE

Após seis anos de investigação, a Justiça determinou o afastamento de Robson Marinho do cargo de conselheiro do TCE-SP (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) em razão da suspeita de que ele tenha recebido propina da multinacional francesa Alstom.

A juíza Maria Gabriella Pavlópoulos Spaolonzi, da 13ª Vara da Fazenda Pública da capital, concedeu medida liminar para tirar imediatamente Marinho do posto após o Ministério Público apontar que ele ajudou a Alstom a conseguir um contrato sem licitação com estatais do setor de energia de São Paulo em 1998, no governo de Mário Covas (PSDB).

Marinho é o acusado mais graduado no caso Alstom. Ele foi um dos fundadores do PSDB e foi o principal secretário de Covas de janeiro de 1995 a abril de 1997, ao ocupar a chefia da Casa Civil. Ele deixou o governo para assumir o cargo no TCE.

A defesa de Marinho apresentou manifestação na qual rebate as acusações da Promotoria, mas a magistrada considerou que os argumentos não derrubam as provas vindas da Suíça e da França sobre as movimentações do conselheiro no exterior.

Próximo mandato deverá ter PIB fraco

Durante os próximos quatro anos, o Brasil deve crescer abaixo da média da última década, com inflação superior à meta de 4,5% e juros acima de 10%. O próximo presidente terminará o período de governo, no entanto, com números melhores do que os verificados em 2014.

Essas previsões fazem parte da pesquisa semanal Focus, do Banco Central, que reúne as projeções para a economia de cerca de cem analistas de instituições do setor público e privado.

Essas previsões olham, desde 2001, para um cenário de até quatro anos. Em seu relatório mais conhecido, o BC só divulga estimativa para o ano atual e o seguinte, mas as projeções de longo prazo podem ser obtidas no site da instituição.

Nesta segunda-feira (11), as projeções de crescimento para 2014 e 2015 foram reduzidas novamente, para 0,81% e 1,2% --uma semana antes, elas eram de, respectivamente, 0,86% e 1,50%.

Dilma concentra campanha em São Paulo

Com a agenda atrelada ao dia a dia do Planalto, a presidente Dilma Rousseff deu sinais nos últimos dias de que dedicará grande parte de seu tempo livre a São Paulo, Estado que concentra quase um quarto dos eleitores.

Desde o último dia 31, ela passou seis dias em eventos na capital paulista e no interior, incluindo esta segunda, quando se encontrou com estudantes duma universidade.

A estratégia do comitê presidencial é parte de uma operação para "reduzir danos" no Estado, onde a petista sofre com uma alta rejeição.

Aécio diz no 'JN' que uso de aeroporto não o constrange

O candidato do PSDB à Presidência, senador Aécio Neves (MG), disse não ter nenhum constrangimento ético por ter usado o aeródromo de Cláudio (MG), construído em terreno de seu tio-avô que foi desapropriado pelo Estado.

Os questionamentos a respeito da obra dominaram a entrevista do tucano, ao vivo, no "Jornal Nacional", da TV Globo, nesta segunda (11).

Diversos temas polêmicos para Aécio e o seu partido foram abordados --como o caso do cartel no metrô de São Paulo e o mensalão mineiro-- mas a obra em Cláudio, patrocinada pelo tucano quando governador, ocupou quase um terço do tempo que ele tinha para expor suas ideias. O caso foi revelado pela Folha no dia 20 de julho.

Leia mais no Congresso em Foco

Campos defende fusão de tributos federais e taxação de fortunas

Candidato do PSB ao Planalto, Eduardo Campos disse nesta segunda (11) que a presidente Dilma Rousseff (PT) não aprovou uma reforma tributária no Brasil porque "atendeu a pedidos pontuais no balcão e nada deu certo". Para o ex-governador de Pernambuco, a petista "nem tentou fazer reforma" durante seu primeiro mandato.

Em entrevista ao portal G1, Campos reafirmou o compromisso de apresentar um projeto para alterar os impostos do país nos primeiros dias de seu governo. Entre as medidas para desonerar a carga tributária, defendeu a fusão do PIS (Programa de Integração Social) e da Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social).

Aécio tenta reduzir folga de Dilma no NE

O candidato à Presidência pelo PSDB, senador Aécio Neves (MG), inicia nesta terça-feira (12) uma ofensiva de campanha no Nordeste para tentar reduzir a vantagem da presidente Dilma Rousseff (PT) na região.

As viagens deverão se estender por duas semanas, passando por ao menos 12 municípios, com foco em cidades médias como Itabuna (BA), Itabaiana (SE), Arapiraca (AL), Petrolina (PE), Patos (PB) e Maracanaú (CE).

O percurso começa hoje, com visitas a Imperatriz (MA) e Teresina (PI), e termina no próximo dia 23, na Bahia, com o lançamento do programa "Nordeste Forte" --aposta tucana para impulsionar o candidato na região.

Serra é 'quase novo amigo de infância', afirma tucano

O candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves, disse nesta segunda-feira (11) que o ex-governador José Serra (PSDB-SP) é hoje "quase" seu "mais novo amigo de infância".

Durante anos, os dois travaram uma batalha pelo controle interno do partido. Desde 2013, Aécio passou a dominar a sigla, obrigando Serra a recuar da ideia de concorrer pela terceira vez ao Planalto na chapa tucana --neste ano, ele concorrerá ao Senado.

"Hoje, por incrível que alguns possam achar, ele [Serra] é dos interlocutores mais próximos", disse Aécio em entrevista exibida nesta segunda (11) na Band. "Poderia até dizer que é quase que o meu mais novo amigo de infância", arrematou.

Serra e Aécio deixaram a troca de rusgas e passaram a trocar impressões sobre a campanha. O presidenciável tucano já sinalizou que o aliado terá um papel no governo federal caso vença a eleição.

Página de ministra de Dilma na Wikipédia também foi alterada

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, foi alvo de mudanças em sua página na Wikipédia em 2011.

Na época, inserções negativas foram incluídas no verbete sobre a ministra no site, que é uma enciclopédia virtual cujos textos podem ser editados de forma anônima.

De acordo com a assessoria de imprensa da pasta, Izabella pediu que a Polícia Federal investigasse de onde tinha partido a iniciativa.

A conclusão da PF foi de que as modificações foram feitas a partir de um dispositivo móvel que utilizou a rede sem fio do prédio em que funciona o ministério. O prédio também é ocupado pelo Ministério da Cultura.

Firma de doleiro foi subcontratada em obras de navios da Petrobras

Um consórcio que trabalha para a Petrobras na construção de seis navios, ao valor de cerca de R$ 400 milhões, subcontratou uma empreiteira que é do doleiro Alberto Youssef e tem como sócio informal o deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA).

A Malga Engenharia foi subcontratada há dois anos pelo consórcio MGT para fornecer máquinas, como rolo compressor, para um estaleiro em construção no porto de Itajaí, em Santa Catarina.

A informação de que o doleiro e o deputado são sócios na Malga foi dada pela contadora Meire Baza, que trabalhou para o doleiro por três anos e resolveu colaborar com a Operação Lava Jato.

Faltam recursos para investigar estatal, diz ministro da CGU

O ministro-chefe da CGU (Controladoria-Geral da União), Jorge Hage, afirma que o órgão responsável por fiscalizar o governo está com sua capacidade comprometida e cita o "volume de denúncias envolvendo a Petrobras" como um problema.

É a primeira vez que a CGU admite, de forma clara e inequívoca, o esvaziamento da sua capacidade de investigação, ao mesmo tempo em que chama a atenção para a quantidade de denúncias envolvendo a Petrobras.

O governo, sempre que é cobrado a se manifestar sobre suspeitas de corrupção, cita a CGU como prova de que tem disposição de investigar.

Contadora diz que MA furou fila de precatório

O governo do Maranhão recebeu R$ 6 milhões em propina para furar a fila de pagamento de precatórios e antecipar um pagamento de cerca de R$ 120 milhões para a empreiteira UTC/Constran, segundo a contadora Meire Poza, que trabalhou com o doleiro Alberto Youssef.

Segundo ela, um funcionário de Youssef que foi entregar R$ 300 mil na sede do governo do Maranhão foi questionado por um assessor do governo. O assessor "teria dito que o valor era pouco e que teria de consultar a governadora para saber se ela aceitava apenas esse recurso", disse a contadora, referindo""se a Roseana Sarney (PMDB).

Os detalhes sobre o pagamento do precatório foram revelados nesta segunda (11) pelo "Jornal Nacional".

O Globo

No Jornal Nacional, Aécio diz que vai realinhar tarifas de energia e gasolina em eventual governo

O candidato do PSDB à Presidência, senador Aécio Neves (MG), admitiu nesta segunda-feira a necessidade de fazer, se eleito, o “realinhamento” dos preços das tarifas de energia e da gasolina. Aécio foi o primeiro presidenciável a participar da rodada de entrevistas do “Jornal Nacional", da TV Globo. Ele também afirmou que haverá “previsibilidade” sobre essas tarifas e descartou pacotes ou “planos mirabolantes” em seu eventual governo.

Aécio voltou a dizer que vai tomar as “medidas necessárias” para controlar a inflação. Confrontado sobre a possibilidade de ajustar os preços, após evitar responder diretamente sobre o assunto, o tucano foi enfático:

— No meu governo, vai haver previsibilidade em relação a essas tarifas e em todas as medidas. Ninguém espere no governo Aécio Neves um pacote A, PAC disso, PAC daquilo ou algum plano mirabolante. Nós vamos tomar as medidas necessárias. É óbvio que nós vamos ter que viver um processo de realinhamento desses preços. Obviamente, quando você tiver os dados sobre a realidade do governo é que você vai estabelecer isso. Eu não vou temer fazer aquilo que seja necessário, as medidas necessárias para controlar a inflação, retomar o crescimento e principalmente, Patrícia (Poeta) e (William) Bonner, a confiança perdida no Brasil — disse.

Receita Federal investiga negócio suspeito de ex-diretor da Petrobras

O ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, preso pela Polícia Federal na Operação Lava-Jato, recebeu em 2013, supostamente a título de empréstimo, R$ 1,9 milhão pagos por Marcelo Barboza, presidente da Pragmática Consultoria, empresa que tinha recebido R$ 2,5 milhões da Petrobras nos dois anos anteriores.

Documentos da Receita Federal obtidos pelo GLOBO mostram que o órgão vê indícios de irregularidade tributária na consultoria. Os auditores ressaltam que o empréstimo depende de comprovação da efetiva transferência financeira.

Contadora ligada a Youssef diz que doleiro negociou propina com governo do Maranhão

A contadora Meire Bonfim Poza, suspeita de integrar o núcleo duro da quadrilha do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato, afirmou em depoimento à Polícia Federal (PF), segundo o "Jornal Nacional", da TV Globo, que Youssef participou de um esquema de suborno envolvendo pagamentos judiciais, uma construtora e integrantes do governo do Maranhão. Segundo ela, a construtora Constran pediu que Youssef subornasse servidores públicos do estado oferecendo propina no valor de R$ 6 milhões. Em troca, segundo o depoimento, a construtora furaria a fila do pagamento de precatórios judiciais recebendo antecipadamente R$ 120 milhões. A comissão do doleiro seria de R$ 12 milhões.

Depois da suposta combinação, segundo o "Jornal Nacional", o governo do Maranhão começou a liberar as parcelas do precatório, no valor de R$ 4,7 milhões, cada. Até o momento foram pagos R$ 33 milhões, com última parcela, segundo o portal da transparência do governo maranhense, paga no último dia 6.

Para Dilma, crise do Brasil na era FH era maior que a da Argentina hoje

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta segunda-feira que a situação econômica durante o governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002) era pior do que a que os argentinos vivem hoje, com o calote da dívida. Seguindo a linha de campanha eleitoral de tentar desqualificar a gestão tucana, a presidente, que concorre à reeleição, afirmou a estudantes reunidos em São Paulo que o governo estava "completamente endividado", com uma política de juros altos, e que "por isso é que dizemos que o Brasil quebrou três vezes naquela época".

- A situação que hoje nos jornais ficam falando na Argentina, a situação, naquele momento, era mais grave. A Argentina deposita os pagamentos (da dívida), mas está sendo objeto de uma coisa terrível, que são os fundos abutres. O governo ralou muito para poder sair da situação em que nos encontrávamos. Mas nós conseguimos. E, a partir do segundo governo Lula, fizemos um grande processo de desenvolvimento.

Juíza vê fraude em prestação de contas de candidatos do Rio

A coordenadora de Fiscalização da Propaganda, juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza, disse nesta segunda-feira que, inicialmente, vê indícios de fraude na prestação de contas de campanha, crime fiscal, abuso de poder econômico e político, além de propaganda política irregular, no caso da CSPS Signs Painéis, nome comercial da High Level Signs, gráfica lacrada pela Justiça Eleitoral na sexta-feira. A empresa era fornecedora de materiais impressos e placas para candidatos da coligação “O Rio em 1º lugar”, entre os quais o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que disputa a reeleição.

A magistrada informou, em nota divulgada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio (TRE-RJ), que a grande quantidade de material apreendido, incluindo notas fiscais e extratos bancários, exige uma análise aprofundada, e o relatório completo ficará pronto até sexta-feira.

— Só então poderemos determinar se não há também indícios da prática de outros ilícitos — disse.

Casa Civil designa comissão para apurar alterações em perfis de jornalistas na Wikipédia

O ministro da Casa Civil Aloizio Mercadante designou nesta segunda-feira os quatro integrantes da comissão de sindicância criada pela presidente Dilma Rousseff para apurar o uso da rede de internet do Palácio do Planalto para modificar os perfis dos jornalistas Míriam Leitão e Carlos Alberto Sardenberg na enciclopédia virtual Wikipédia. A comissão terá 30 dias para apurar a denúncia e será presidida pelo secretário-executivo da Casa Civil, Valdir Simão.

Também integrarão a comissão o diretor-presidente do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (ITI), Renato da Silveira Martini; o diretor de Tecnologia da Secretaria Geral, Maurício Marques; e o assessor especial do Ministério da Justiça Márcio de Freitas Filho. A portaria será publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira.

O Estado de S. Paulo

Justiça afasta Robson Marinho do Tribunal de Contas de São Paulo

Graça Foster pode escapar de ter bens indisponíveis

Contadora liga doleiro ao governo de Roseana Sarney

Aécio diz não ver problema ético por aeroporto em MG

Para Dilma, Brasil de FHC era pior que risco argentino

Correio Braziliense

O Brasil que produz...e o Brasil que só gasta

Congresso das faltas e da gastança milionária

Verba para "intercâmbio parlamentar"

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!