Nos jornais: eleição de ex-presidente deveria ser proibida, diz Sarney

Em entrevista à Folha de S. Paulo, José Sarney sugere legislação para regular comportamento de ex-presidentes da República. Em O Globo, corregedor nacional de Justiça promete mais rigor contra juízes. Já O Estado de S. Paulo informa que só 18% da verba para a transposição do São Francisco foi liberada

Folha de S. Paulo

Eleição de ex-presidente deveria ser proibida

Um dos mais longevos políticos brasileiros, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), defende uma lei para regular o comportamento de ex-presidentes da República. "Uma legislação que não permitisse a nenhum ex-presidente da República que voltasse a qualquer cargo eletivo", sugere.

Sarney, 82, chegou à Câmara como deputado federal pelo Maranhão em 1955. Nunca mais saiu da política. Foi presidente da República de 1985 a 1990. Em seguida, fez o que agora não recomenda aos demais: disputou e venceu, pelo Amapá, três eleições para o Senado. Em 2015, quando termina seu atual mandato, completará 24 anos ininterruptos no Congresso.

'Ponho as mãos no fogo por Lula', afirma Haddad

Fernando Haddad está em período de tensão pré-posse. "Acho que só no dia 2 vou relaxar", afirmou ele à coluna na manhã de sexta, 28, ao conceder a sua "última" entrevista antes de assumir a Prefeitura de São Paulo. "É muita coisa para se pensar. Depois, melhora. Na cadeira de prefeito, a coisa deslancha." Estrela maior do PT nas eleições deste ano, Haddad diz não temer as consequências da retração na economia, admite que o partido pode estar acuado por uma "guinada conservadora" e sai em defesa de Lula: "Eu ponho as duas mãos no fogo" por ele.

SP tem projeções divergentes sobre desfalque dos royalties

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que ameaça contestar na Justiça possíveis mudanças na distribuição dos recursos do petróleo, tem em sua própria equipe projeções divergentes sobre quanto o Estado deixará de arrecadar caso haja mudança no modelo de partilha dos royalties.

Duas secretarias estaduais divulgaram neste mês estimativas diferentes de perdas de receita caso seja derrubado o veto da presidente Dilma Rousseff à lei de distribuição dos royalties, aprovada no Congresso em novembro.

Eleição de 2012 custou R$ 29 por eleitor

Entre julho e outubro, um seleto grupo de brasileiros gastou recursos equivalentes a cinco obras do estádio Itaquerão, que receberá o jogo inaugural da Copa de 2014.

Quase meio milhão de candidatos a prefeito e a vereador usaram R$ 4,1 bilhões em recursos públicos e privados, próprios ou captados, para concorrer ao direito de, a partir de amanhã, influir nos rumos de 5.565 municípios.

Em média, a eleição municipal custou aos candidatos R$ 29,44 para cada um dos 138,5 milhões de eleitores.

Doações privadas predominam nas campanhas

Embora o Brasil adote o financiamento misto de campanha, em que são permitidos recursos públicos e privados, a parte correspondente a doações de empresas e de eleitores é bem superior à do fundo partidário.

Os R$ 4,1 bilhões gastos neste ano correspondem a 14 vezes a fatia do Orçamento da União reservada aos partidos políticos -R$ 286,3 milhões. Desde 1997, as doações de pessoas físicas e jurídicas são regulamentadas.

Assalto no RS tem 16 reféns, 3 mortes e caçada cinematográfica

Um assalto a uma fábrica de joias na madrugada de ontem, em Cotiporã (RS), resultou em três mortos, 16 reféns e numa caçada aos bandidos na Serra Gaúcha.

Índia discute lei de castração química para estupradores

No mesmo dia em que foi cremado o corpo da vítima de um estupro coletivo, em Nova Déli, a Índia discutiu ontem o rascunho de uma legislação que poderá punir estupradores com 30 anos de cadeia e castração química.

Segundo o jornal "The Times of India", o projeto do Congresso deve ser encaminhado a um comitê especial. O assunto tem levantado raro debate público no país. Houve ontem manifestação de 2.000 pessoas, com embate entre a polícia e manifestantes -que afirmam que o governo indiano faz pouco para proteger as mulheres.

Sem acordo, 'abismo fiscal' ainda ameaça

Democratas e republicanos não conseguiram chegar a um acordo nas negociações de um pacto fiscal ontem no Senado dos EUA. As diversas isenções fiscais e reduções de alíquotas criadas ainda no governo de George W. Bush valem só até hoje. A junção do aumento dos impostos e do corte de gastos do governo, que podem reverter a frágil recuperação da economia americana, foi apelidada de "abismo fiscal".

Qualquer acordo no Senado, por menor que seja, precisaria ser aprovado ainda hoje pela Câmara para evitar o tal abismo. O presidente Barack Obama afirmou ontem que a intransigência dos republicanos provocou a crise do abismo fiscal. Em entrevista ao programa "Meet the Press", da rede NBC, Obama disse que foi muito difícil para os republicanos aceitarem que os impostos para os americanos mais ricos deveriam aumentar.

O Globo

Corregedor será mais rigoroso com juízes

O corregedor nacional de Justiça, ministro Francisco Falcão, decidiu aumentar a fiscalização sobre o expediente dos magistrados e combater os chamados juízes TQQ – que aparecem nas comarcas para trabalhar apenas às terças, quartas e quintas-feiras. Ele também apresentará ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) uma resolução proibindo o patrocínio de empresas privadas a eventos do Judiciário, prática comum em congressos da magistratura. Falcão vai ainda acelerar o julgamento de juízes acusados de desvio de conduta.

Ladrões explodem fábrica de joias e fogem com 7 reféns

Bandidos fortemente armados usaram bombas para atacar, na madrugada de ontem, uma fábrica de joias em Cotiporã, na Serra Gaúcha. A polícia trocou tiros com os criminosos. Três deles morreram. Na fuga, outros cinco invadiram uma casa de agricultores e levaram sete reféns, todos da mesma família, inclusive uma criança. A Brigada Militar montou barreiras nas principais estradas, mas até o fim da noite não tinha encontrado os reféns.

O que eles disseram em 2012
“A compra de apoio político no Congresso pôs em risco o regime democrático, a independência dos poderes e o sistema republicano”.
Joaquim Barbosa, presidente do STF e relator do mensalão

“Vou manter o sistema tributário vigente. O IPTU uai ficar exatamente do jeito que está. Se puder fazer alguma coisa para abaixar, eu faço”.
Eduardo Paes, prefeito, em campanha. Reeleito, anunciou aumento de IPTU

“O dia em que falarem para vocês que caiu raio (e, por isso, o sistema elétrico falhou), gargalhem. (...) Acho ridículo dizer que vamos ter risco de racionamento”.
Dilma Rousseff, presidente da República

“Não vou fingir que o caminho que estou oferecendo seja fácil ou rápido. Vocês não me elegeram para dizer o que queriam ouvir. Vocês me elegeram para dizer a verdade”.
Barack Obama, presidente reeleito dos EUA

“Se não tiver (sic) pressão, vai trabalhar no Banco do Brasil, senta no escritório e não faz nada”.
Luiz Felipe Scolari, técnico da seleção brasileira, ao assumir a função no lugar de Mano Menezes

“Hoje você tem de competir com um bocado de gente, achar seu espaço, ter oportunidade, palco. Ou se profissionaliza para valer ou... desaparece”.
Gilberto Gil, cantor e ex-ministro da Cultura

Um réveillon de recordes no Rio

O réveillon carioca está batendo todos os recordes, a começar pelo público esperado na festa de Copacabana: 2,3 milhões de pessoas, segundo a prefeitura. No mar, serão 13 transatlânticos com 45 mil turistas, contra os 30 mil em 12 navios na queima de fogos do ano passado. A multidão de turistas formando filas nos cartões-postais – só o Pão de Açúcar recebeu 10 mil ontem – se comprova nos números: os 752 mil visitantes (5,6% a mais) devem deixar na cidade US$ 557 milhões (5,8% a mais). Os preços também estão nas alturas. Um coco já não sai por menos de R$ 5, e o tradicional biscoito de polvilho acompanhado de um copo de mate passou a custar R$ 8. Com a previsão de tempo bom na virada, famílias já estão montando acampamento nas areias de Copacabana.

O Estado de S. Paulo

Governo só libera 18% da verba para o São Francisco

O Ministério da Integração Nacional só desembolsou, até 20 de dezembro, 18% do orçamento de 2012 para a transposição do Rio São Francisco, maior obra do PAC no Nordeste. Com isso, o cronograma começou a ser afetado. O trecho piloto, previsto para entrar em funcionamento este mês, pode ficar para 2014. O ministério atribui o fato a contratos que tiveram de ser rescindidos, criando a necessidade de abertura de novas licitações, algumas das quais só devem ficar prontas em março. Dos R$ 940 milhões previstos para este ano, o governo gastou somente R$ 173 milhões.

A obra recebeu, ainda, dinheiro dos restos a pagar de anos anteriores no valor de R$ 501 milhões. Mesmo entrando 2013 com restos a pagar de R$ 1,4 bilhão, o governo federal embutiu na MP 598, editada para contornar o fato de o Orçamento ainda não ter sido votado pelo Congresso, o empenho de R$ 419,2 milhões em créditos extraordinários para serem gastos na obra a partir do início do ano.

Discurso comparado: Dilma é mais concisa do que Lula

A presidente Dilma Rousseff fez menos discursos e pronunciamentos públicos em cerimônias e eventos oficiais do governo federal que o seu antecessor, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Levantamento feito pelo Estadão Dados revela que, na comparação dos dois primeiros anos de mandato de ambos presidentes, Dilma fez 39% menos pronunciamentos. Ela é, também, mais sucinta: suas manifestações têm, em média, 16% menos palavras.

Dilma discursou publicamente, em Brasília ou em viagens pelo País ou exterior, 15 vezes por mês, em média, desde que tomou posse. Lula, em comparação, fez 24 discursos por mês nos dois primeiros anos de gestão.

A presidente é considerada uma política com perfil técnico. Quando disputou a presidência em 2010, teve de fazer treinamento para falar publicamente. Já o ex-presidente começou a carreira fazendo política no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, onde comandava greves, discursava e concedia entrevistas.

Obama piora clima para acordo sobre 'abismo fiscal'

Diante do risco de fracasso das negociações entre os líderes no Senado para evitar o “abismo fiscal”, o presidente Barack Obama criticou os republicanos, o que tornou o ambiente ainda mais corrosivo. Os negociadores democratas tentam ainda negociar uma forma de amenizar o problema, prorrogando a redução de impostos para a classe média e o seguro desemprego.

Falta de cachê deixa elite fora da São Silvestre

Atraídos por melhores prêmios, maratonistas de ponta preferem participar de outras provas e deixam a corrida paulistana para o segundo time. Africanos de segundo escalão são os favoritos na prova de hoje, em que poucos brasileiros têm chance de surpreender. A maior esperança nacional é o atleta Giovani dos Santos.

Correio Braziliense

Para o ano nascer feliz

Serão 30 minutos de luzes a colorir o céu da Esplanada dos Ministérios. Além dos 40 mil rojões, brasilienses e convidados receberão 2013 com artistas como a cantora Paula Fernandes e o grupo de rock Plebe Rude. Ellen Oléria, a vencedora do reality musical The Voice Brasil, ocupa o palco mais cedo e voa rumo ao Rio de Janeiro para animar o réveillon de Copacabana. São esperadas 200 mil pessoas na área central da capital e na Prainha, onde também haverá uma programação especial. O Correio preparou um guia completo sobre a festa.

Olha a vida de quem acertar a Mega-Sena

Até as 14h de hoje dá para apostar no concurso da Virada, com sorteio às 20h. O prêmio é o maior da história: R$ 230 milhões. Na poupança, essa fortuna rende R$ 32 mil por dia.

Congelamento de embriões é mais eficaz

Técnica garante até 50% do sucesso na gravidez com a fertilização in vitro. Segundo cientistas, a taxa cai para 38% quando utilizadas amostras recém-retiradas.

Prepare-se para uma maratona de concursos

As boas notícias para quem sonha com uma vaga no serviço público não param de chegar. No primeiro semestre de 2013 estão previstos 16 editais, com 4.332 vagas no governo federal. No GDF só a Polícia Civil abrirá 3.029 cargos.

Gasto com servidor triplica em 10 anos

A folha salarial do funcionalismo passou de R$ 75 bilhões, em 2003, para R$ 226 bilhões, orçamento previsto para 2013.

Em seis meses, 2.534 crianças sofreram quedas

Dados do Corpo de Bombeiros mostram que é grande o número de acidentes desse tipo na faixa etária de 1 a 14 anos. Casos como o do bebê que morreu ao cair do 4º andar, no Rio, não são raros: em 2010, foram 33 tragédias semelhantes a essa no país.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!