Nos jornais: Dilma convoca ministro do Esporte para dar explicações

Orlando Silva é alvo de denúncias de corrupção na pasta. O Estado de S. Paulo destaca que MP da desoneração vai aumentar imposto de empresas e investidores

Folha de S. Paulo

Dilma convoca ministro do Esporte para dar explicações

O ministro do Esporte, Orlando Silva (PC do B), antecipou sua volta do México ao Brasil após ser convocado pelo Palácio do Planalto a dar explicações sobre as acusações de corrupção na pasta, que chefia desde 2006.  Ele foi chamado às pressas para reunião que ocorreu ontem à noite com a ministra Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral), na casa de Gleisi, em Brasília.

No encontro, Silva disse que "vai às últimas consequências" para provar que não compactou com nenhuma irregularidade. O ministro ouviu dos colegas que é importante para o governo que ele "se prepare e se antecipe" prestando todos os esclarecimentos. Silva é acusado de participação num esquema de desvio de recursos do programa Segundo Tempo, que dá verba a ONGs para incentivar jovens a praticar esportes.

Programa suspeito dá verba a ONGs ligadas ao PC do B

Origem do novo escândalo no Ministério do Esporte, o programa Segundo Tempo tem sido usado para transferir verbas federais a ONGs ligadas ao PC do B, que comanda a pasta desde o início do governo Lula, em 2003. Levantamento publicado pela Folha em março de 2008 mostrou que o governo já havia transferido R$ 14 milhões a entidades dirigidas por integrantes do partido.

A ONG Conam (Confederação Nacional das Associações de Moradores), que liderava os repasses em São Paulo com R$ 5,2 milhões, era presidida por Wander Geraldo da Silva, colega do ministro Orlando Silva no Comitê Central do PC do B. As suspeitas de favorecimento ao partido foram encaminhadas à CPI das ONGs no Senado, mas o governo exerceu sua maioria na Casa para travar as investigações.

Alemanha prevê um calote maior em papéis da Grécia

O perdão da dívida à Grécia deverá ser maior do que o previsto pelos credores europeus em julho passado. A estimativa é do governo alemão, que avisa: o calote grego deverá superar os 21% estimados no pacote de resgate ao país. "A crise de dívida grega não será solucionada sem um perdão da dívida, que terá de ser mais elevado do que foi acordado nesse verão [do hemisfério norte]. Os detalhes estão sendo discutidos", disse ontem o ministro alemão de Finanças, Wolfgang Schaeuble, em entrevista à televisão pública ARD.

Comissão omitiu investigação sobre Palocci

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República escondeu decisão de abrir investigação contra o ex-ministro Antonio Palocci. Dois procedimentos foram instaurados na véspera da queda do petista, em junho, e propositadamente não houve qualquer divulgação à imprensa, o que contrariou tradição do colegiado e decisão da maioria. É o que revelam duas atas da comissão nos dias 6 de junho e 1° de julho.

Palocci chefiou a Casa Civil e era o ministro mais influente do governo. Deixou o cargo após a Folha revelar que seu patrimônio aumentou 20 vezes em quatro anos e sua empresa de consultoria faturou R$ 20 milhões no ano eleitoral de 2010, fatos que não conseguiu justificar publicamente. O presidente em exercício do colegiado à época, Roberto Caldas, foi quem decidiu que não comunicaria à imprensa a respeito da abertura do procedimento preliminar contra Palocci.

Geddel diz que governo da Bahia o grampeou

O ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) afirmou no Twitter que foi grampeado ilegalmente pelo governo da Bahia. O governador Jaques Wagner (PT) nega a acusação. Ex-ministro da Integração Nacional (2007-2010) e hoje vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa, o peemedebista foi derrotado por Wagner na disputa para o governo, em 2010. Aliado do PT no plano nacional, Geddel faz oposição ao petista na Bahia.

Ao cortar juros, Brasil destoa de demais países com inflação alta

A decisão do Banco Central brasileiro de reduzir a taxa de juros em um momento de inflação ainda elevada não foi acompanhada pela maioria dos bancos centrais que trabalha com o sistema de metas de inflação.  Levantamento feito pela Folha revela que, de 27 países que seguem o mesmo regime de controle da inflação, apenas quatro -incluindo o Brasil- reduziram os juros.

Cientistas sobem o tom contra novo Código Florestal

Em sua manifestação mais dura sobre a reforma do Código Florestal, as principais sociedades científicas brasileiras adjetivam partes do texto em análise como "injustificado" e "inconstitucional". A SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) e a ABC (Academia Brasileira de Ciências) entregaram na semana passada a senadores propostas para embasar as mudanças na lei. Para elas, a ciência não foi levada em conta no relatório do deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP), aprovado em maio no plenário da Câmara.

 

O Estado de S. Paulo

MP da desoneração vai aumentar imposto

O governo quer aumentar a cobrança de impostos de empresas e investidores. O pacote tributário foi incluído, às escondidas, na medida provisória que desonera a folha de pagamento de quatro setores industriais, em análise no Congresso. Com a bênção do Palácio do Planalto, a Receita Federal incluiu no texto da MP artigos prevendo desde um maior controle sobre a transferência de ações até a cobrança inédita de mais um tributo sobre a divisão de lucro entre sócios de uma companhia.

O Estado teve acesso à nova versão da Medida Provisória, que passou a contar com 31 artigos, e não mais os 24 originais. Uma das mudanças de maior alcance permite à Receita arbitrar o valor de ações ou títulos, usados para elevar o capital social de uma empresa, em um período de até dez anos. Dessa forma, o Fisco poderia arrecadar mais.

Votação da MP na Câmara está marcada para a semana que vem

A pressa do governo em anunciar o Plano Brasil Maior, a política industrial da presidente Dilma Rousseff, produziu como resultado a mudança em um dos pilares do programa: a desoneração da folha de pagamento. A Câmara deve votar a MP entre 25 e 27 de outubro.

Relator da medida provisória que institui o benefício, o deputado Renato Molling (PP-RS) vai cortar de 1,5% para 1% o imposto sobre o faturamento que substitui a contribuição patronal das indústrias têxtil, calçadista, moveleira e de software.

Denúncias colocam em risco cargo do ministro do Esporte

A denúncia de que teria recebido dinheiro de propina na garagem do Ministério do Esporte aumentou a situação de fragilidade do titular da pasta, Orlando Silva (PC do B). Já envolvido em denúncias anteriores de desvios no Programa Segundo Tempo, carro-chefe da pasta, Orlando era visto como alvo da reforma ministerial que a presidente Dilma Rousseff pretende fazer em janeiro de 2012. Agora, poderá deixar a função antes deste prazo caso venham à tona novas acusações ou não consiga demonstrar inocência nos esclarecimento que prestará ao Congresso nesta semana.

Entidades ligadas a ex-militante devem R$ 4 milhões

As entidades investigadas na operação que levou à prisão o policial João Dias Ferreira, autor das denúncias de pagamento de propina ao ministro Orlando Silva, são cobradas a devolver aos cofres públicos R$ 4 milhões. O dinheiro - em valores já corrigidos - foi repassado pelo Ministério do Esporte entre 2005 e 2007 à Federação Brasiliense de Kung Fu (Febrak) e à Associação João Dias de Kung Fu, localizadas em Sobradinho (DF).

Fifa e CBF pretendem isolar Orlando Silva

A Federação Internacional de Futebol Associado (Fifa) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) usam a crise que assola o Ministério do Esporte por conta das acusações contra o ministro Orlando Silva para reconquistar espaço que havia sido ocupado pelo governo na definição de leis da Copa do Mundo de 2014 e impor suas exigências.

Na semana considerada como a mais crítica para a definição do Mundial no Brasil, o governo não foi sequer convidado a participar dos encontros em Zurique que começam hoje. O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, ainda levará propostas que driblam a posição do governo e a situação fragilizada de Orlando Silva já abre espaço para que as posturas defendidas pelo governo enfrentem uma dura resistência.

Por aliança com PSDB, Kassab admite negociar cabeça de chapa na capital

Após o governador Geraldo Alckmin ter defendido a aliança PSD-PSDB na eleição para a Prefeitura em 2012, o prefeito Gilberto Kassab negou que a indicação do candidato seja a condição para um acordo. Os tucanos querem selar a união com o PSD, mas colocam na mesa o tempo de TV da sigla para barganhar a cabeça de chapa. "É natural que todos tenham suas expectativas. Mas quando um partido coloca condições para fazer uma aliança é um mau começo", disse o prefeito ao Estado, ao ser questionado se o PSD insistirá na cabeça de chapa. Kassab quer que em 2012 o PSDB apoie o seu candidato - o vice governador Guilherme Afif Domingos ou o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles - em troca de uma aliança pela reeleição de Alckmin em 2014.

Fifa define hoje São Paulo como abertura da Copa

Na semana decisiva para a Copa, a Fifa fechou as portas ao governo brasileiro e o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, irá apresentar alternativa à propostas defendida pela presidente Dilma Rousseff e que são rejeitadas pela Fifa.  A reunião de hoje é a primeira de uma série de encontros que ocorrem nesta semana em Zurique e que serão fundamentais para a Copa de 2014. A esperança da Fifa é de que, com a agenda da Copa finalmente estabelecida, as obras possam avançar sem atrasos e com cronograma orçamentário mais claro. Conforme o Estado revelou ontem, até agora o Brasil não sabe quanto custará a Copa.

Relatório critica abusos contra a imprensa no Brasil

Documento apresentado ontem na 67ª Assembleia-Geral da Sociedad Interamericana de Imprensa, em Lima, no Peru, destacou os recorrentes casos de censura judicial e assassinato de jornalistas. (Págs. 1 e Nacional A7)

 

O Globo

Bombeiros intensificarão blitzes em restaurantes

Depois da explosão do restaurante Tiradentes, que funcionava há três anos no Centro do Rio com autorização provisória da prefeitura, mas sem nunca ter sido vistoriado pelo Corpo de Bombeiros, o comandante da corporação, coronel Sergio Simões, garantiu que vai intensificar a fiscalização. Segundo ele, serão realizadas operações nos estabelecimentos que não têm alvará definitivo e nunca foram inspecionados pelo órgão, como o Filé Carioca. O delegado Antônio Bonfim, que investiga o acidente, disse que o advogada do dono do restaurante mentiu ao afirmar que os cilindros de gás eram armazenados em lugar ventilado. Eles estariam perto do vestiário.

Câmaras aumentam vereadores e custos

A despeito da choradeira de prefeitos que marcham todos os anos em Brasília reclamando da falta de recursos para Saúde e Educação, as câmaras municipais do país podem receber ano que vem um contingente adicional de 7.710 vereadores em relação ao total eleito há quatro anos.

Estimativas preliminares indicam que o custo desses novos vereadores atinja R$ 214 milhões ao ano, comprometendo 3,61% da receita líquida dos municípios. O aumento do número de vereadores, permitido por emenda constitucional, não é automático nem obrigatório. Mas a grande maioria das câmaras, inclusive as de estados pobres,optou por aumentar a conta que será paga pelo contribuinte.

Apenas dez parlamentares votaram em 2009 contra a polêmica PEC dos vereadores, posteriormente regulamentada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que deu a 2.153 municípios com alteração habitacional o direito de aumentarem o número de vereadores em 2012.

ONG apoiada pelo Ministério do Esporte é suspeita de desvio de verbas

O Ministério Público de São Paulo suspeita que uma organização não-governamental que recebeu R$ 28 milhões do Ministério do Esporte para o programa Segundo Tempo esteja envolvida em desvio de dinheiro público e beneficiando políticos do PCdoB.

Segundo denúncia do programa "Fantástico", da TV Globo, há indícios de que a ONG Pra Frente Brasil, gerenciada pela ex-jogadora de basquete Karina Valéria Rodrigues, tenha contratado empresas de fachada para fornecer lanches e material esportivo, com participação de "laranjas".  A reportagem do "Fantástico" levantou suspeitas de que os programas da ONG podem estar envolvendo menos alunos do que o devido.

Presente de grego

O ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schauble, disse que os bancos e investidores quem têm títulos do governo da Grécia devem aceitar perdas maiores a fim de alcançar "uma solução sustentável" para a crise da dívida europeia. O premier George Papandreou pediu paciência aos gregos, dizendo que luta para evitar uma "catástrofe financeira”.

 

Correio Braziliense

Por que a alta do dólar afeta tanto a sua vida

Mesmo quem não consome importados começará a sentir o impacto da valorização da moeda norte-americana. Depois de três anos com a cotação baixa, o dólar alto vai pesar no bolso do brasileiro. Isso porque os produtos agropecuários, chamados commodities, e as tarifas públicas, além de serviços que dependem de insumos estrangeiros, como os médicos e os odontológicos, são influenciados pelo câmbio. Veja como fica o seu orçamento.

Copa 2014: Fifa quer plenos poderes

A Federação Internacional de Futebol espera que assembleias estaduais e municipais das 12 cidades sedes aprovem projetos que dão à entidade autonomia para decidir até a mudança do nome dos estádios.

Escola e cadeia, lado a lado

Sem a menor ideia do perigo que correm, crianças brincam nas piscinas da Escola Sonho Encantado. Do outro lado do muro estão os presidiários da Cadeia Pública de Planaltina de Goiás. O excepcional crescimento demográfico, os altos índices de violência e a falta de investimentos no sistema penitenciário compõem o cenário explosivo que se repete em todo o Entorno do DF. A presidente Dilma Rousseff já mostrou interesse em conhecer a real dimensão do problema.

Continuar lendo