Nos jornais: Dilma afasta diretor do Dnit após novas denúncias

Os jornais destacam a nova demissão feita pela presidenta Dilma Rousseff na diretoria do Dnit. A crise no Ministério dos Transportes parece não terminar

O Estado de S. Paulo

Dilma afasta diretor executivo do Dnit após novas denúncias

O diretor executivo do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), José Henrique Sadok de Sá, foi afastado do cargo ontem por ordem da presidente Dilma Rousseff após o Estado ter publicado reportagem mostrando que a Construtora Araújo Ltda., de Ana Paula Batista Araújo, mulher dele, ganhou contratos no valor de pelo menos R$ 18 milhões para tocar obras em rodovias federais em Roraima, entre 2006 e 2011, vinculadas ao órgão.

Sadok respondia interinamente pela direção-geral do órgão, em substituição a Luiz Antônio Pagot, que saiu de férias depois de também ser ameaçado de afastamento pela presidente, em consequência de denúncias de corrupção (cobrança de propina em contratos de obras) na área, reveladas pela revista Veja. Ele ficou apenas nove dias como interino no cargo.

Além de Pagot - cuja situação legal é a de diretor-geral do Dnit, em férias, mas com afastamento determinado pela presidente Dilma Rousseff - e Sadok, caíram o ministro Alfredo Nascimento, que pediu demissão em caráter irrevogável, o diretor-geral da Valec, estatal que cuida das ferrovias, José Francisco das Neves, e os assessores da pasta Mauro Barbosa da Silva (chefe de gabinete) e Luís Tito Bonvini.

O ministério afastou também ontem Frederico Augusto de Oliveira Dias, assessor da diretoria do Dnit que atuaria como lobista de um esquema de favorecimento de empreiteiras, segundo notícia do jornal Correio Braziliense. Dias, tratado como boy e estafeta por Luiz Antonio Pagot no depoimento que prestou à Câmara dos Deputados, na quarta-feira, seria um operador a serviço do secretário-geral do PR, deputado Valdemar Costa Neto (PR-SP), que nega a acusação.

"Todo dia a gente abre o jornal e tem crise no ministério", diz Dilma

Passava um pouco das 8 horas quando a presidente Dilma Rousseff telefonou para o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos - nomeado para o cargo há apenas seis dias - e foi direto ao assunto. "Paulo Sérgio, você tem de fazer uma "limpa" nesse ministério e no Dnit", disse Dilma, numa referência ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes.

"Todo dia a gente abre o jornal e tem uma crise nesse ministério. Não tem cabimento isso!", esbravejou Dilma, na conversa com Passos. "Eu não quero mais saber de denúncia contra A, B ou C. Tem de tirar todo mundo de lá!" A presidente estava muito irritada com o novo capítulo das denúncias, desta vez envolvendo o diretor executivo do Dnit, José Henrique Sadok de Sá. Sem esconder a impaciência com o prolongamento da crise, Dilma mandou Passos afastar imediatamente Sadok após ler a reportagem publicada pelo Estado.

Governo decide retomar licitações aos poucos

Está flexibilizada a instrução normativa, editada pelo Ministério dos Transportes a mando da presidente Dilma Rousseff, que suspendeu por 30 dias as licitações, projetos, obras e serviços em rodovias e ferrovias. A partir de agora, à medida que os processos forem sendo avaliados, serão imediatamente liberados para que os trabalhos voltem à normalidade, sem necessidade de esperar o fim do prazo da moratória, em 6 de agosto. A suspensão havia alcançado também os aditivos com impactos financeiros.

O objetivo do recuo é evitar transtornos à população e prejuízos com paralisações de obras desnecessárias, disse o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, após a primeira reunião de trabalho com a presidente Dilma, ontem à tarde. Eles trataram da crise nos transportes e dos escândalos que envolvem o setor.

Lula inicia campanha de Haddad e incomoda PT

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tornou pública ontem uma posição que havia meses manifestava apenas nos bastidores em relação às eleições municipais de São Paulo em 2012: seu apoio à candidatura do ministro da Educação, Fernando Haddad, para a sucessão de Gilberto Kassab. Os sinais de que Lula já iniciou a campanha de Haddad incomodam setores do PT, que temem pelo "tratoraço" na escolha do candidato.

Para Temer, País assiste "incólume" à crise europeia

O vice-presidente da República, Michel Temer, disse ontem no Rio que, enquanto os Estados Unidos e países europeus enfrentam sérios desafios na economia, nessa área "o Brasil ainda pode comemorar". "Temos notícias do que acontece hoje na Europa e até, de maneira preocupante, nos Estados Unidos. Mas nós aqui estamos incólumes", comparou Temer, ao chegar à Associação Comercial do Rio de Janeiro, que comemorava seus 202 anos de vida.

Sob pressão, Obama dá ultimato ao Congresso

Pressionado pela China e pelas agências de classificação de risco, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, deu ao Congresso prazo de 36 horas para um acordo sobre a elevação do teto da dívida pública e a redução de quase um terço de seu valor em dez anos.

Cai migração entre regiões do Brasil, aponta IBGE

Entre 2000 e 2009, houve queda de 37,5% no número de pessoas que migraram de um Estado para outro, segundo o IBGE. Rio e São Paulo deixaram de ser "importadores" e passaram a “exportar" moradores. Já o Espírito Santo despontou como foco de atração de novos habitantes.

Folha de S. Paulo

Crise leva governo a afastar mais dois nos Transportes

O surgimento de novas suspeitas de corrupção e tráfico de influência aprofundou a crise no Ministério dos Transportes, iniciada há duas semanas, e obrigou o governo a demitir mais dois no Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). A presidente Dilma Rousseff trabalha para manter o episódio restrito à pasta dos Transportes, tentando afastar a crise do Planalto. Até agora, seis pessoas foram afastadas, entre elas o então ministro Alfredo Nascimento. O diretor-geral do Dnit, Luiz Antonio Pagot, está formalmente de férias, mas também deve ser afastado ao retornar.

Entre os afastados ontem está o "boy" Frederico Augusto de Oliveira Dias, conhecido por Fred. Filiado ao PR e indicado pelo deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP), Dias despachava desde 2008 no Dnit. Também foi afastado o diretor-executivo do Dnit, José Henrique Sadok de Sá. A empresa de sua mulher assinou contratos de pelo menos R$ 18 milhões para obras em rodovias federais em Roraima entre 2006 e 2011, segundo mostrou o jornal "O Estado de S. Paulo". Todas as obras foram feitos no Estado por meio de convênios com o órgão.

Dilma diz que nomes para o Dnit agora são escolha dela

A presidente Dilma Rousseff avisou ontem a assessores que, depois de mais um afastamento de diretor do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) sob suspeita de irregularidades, não aceitará mais indicações políticas para o órgão. A partir de agora, ela vai decidir pessoalmente a escolha dos novos nomes do comando do departamento e optará por técnicos para a nova diretoria. O atual colegiado era comandado por indicados principalmente pelo PR e pelo PT. Dilma já estava decidida a dar preferência a técnicos, mas ontem reforçou essa disposição e informou sua equipe que irá compor uma diretoria técnica para o órgão, sem vinculações políticas. A decisão vale para a direção do órgão em Brasília, formada por sete diretores.

Recursos do Brasil sem Miséria esperam aprovação no Congresso

Lançado há mais de um mês como principal aposta do governo Dilma Rousseff, o programa Brasil sem Miséria tem slogan e página na internet, mas os recursos para tirá-lo do papel não foram aprovados no Congresso. O crédito extra de R$ 1,2 bilhão para as primeiras ações de erradicação da pobreza extrema ainda não tem data para ser liberado. Acordo entre governistas e oposição deixou a votação de verbas dos programas sociais para depois do recesso parlamentar, a partir de agosto.

Também dependem da aprovação dos congressistas R$ 755 milhões para o reajuste do Bolsa Família anunciado no início de março e R$ 88,3 milhões para manutenção de 475 creches. Criticado por senadores do próprio PT por não conseguir emplacar a área social como marca de Dilma, o governo esperava assegurar a verba neste mês.

Nove deputados são suspeitos de desviar R$ 150 mi no Piauí

A Polícia Federal investiga nove deputados estaduais do Piauí suspeitos de envolvimento em esquema de desvios de recursos da Assembleia Legislativa do Estado. Estima-se que eles podem ter causado prejuízo de R$ 150 milhões de 2008 a 2010. O orçamento anual da Assembleia é de cerca de R$ 100 milhões. A Folha apurou que a Polícia Federal investiga o suposto esquema a partir de três fontes: desvios de verbas da folha de pagamento (com laranjas e funcionários fantasmas), verba de gabinete (com a utilização de notas frias) e fraudes em licitações. Um dos gastos refere-se a implantes de silicone para os seios da então mulher de Robert Rios (PC do B), deputado estadual que participaria do esquema.

Republicanos fazem ameaça em resposta a ultimato de Obama

Com o prazo para um acordo sobre o aumento do teto da dívida dos EUA aproximando-se do fim, o presidente Barack Obama exortou ontem os republicanos a "evitarem o Armageddon". Mas os legisladores da oposição mantiveram-se inflexíveis, anunciando que, na semana que vem, votarão na Câmara (onde têm maioria) projeto que prevê corte de US$ 2,4 trilhões em dez anos no deficit americano, sem aumento de impostos. O prazo para elevar o teto do endividamento do país, hoje em US$ 14,3 trilhões, é 2 de agosto. Caso não haja acordo entre democratas e republicanos até lá, os EUA terão de dar calote em algumas de suas obrigações. Se isso acontecer, "as taxas de juros podem acabar subindo para todos no país, como se fosse um aumento de impostos, para quem quer financiar um carro, ou tomar um empréstimo para pagar a faculdade", advertiu Obama.

Governo assume mais risco do trem-bala

Depois de as empreiteiras boicotarem o leilão do trem-bala, o governo decidiu adotar um novo modelo de licitação em três fases em que pretende acirrar a competição, mas vai assumir o risco pela demanda do serviço. Pelas novas regras, o governo vai proibir que um grupo participe de mais de uma das três etapas do leilão, forçando maior concorrência. Por outro lado, a União vai funcionar como "amortecedor" do sistema. Se o trem-bala der prejuízo, banca a conta. Se ele for superavitário, fica com o lucro.

Juiz aceita denúncia contra Anac e TAM por tragédia de 2007

A Justiça Federal aceitou ontem a denúncia contra a ex-diretora da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) Denise Abreu e dois ex-diretores da TAM. Eles são acusados pelo Ministério Público Federal de falhas que contribuíram para o acidente com um Airbus da TAM no aeroporto de Congonhas, no qual 199 pessoas morreram. A tragédia, em 17 de julho de 2007, completará quatro anos amanhã. O juiz Márcio Guardia, substituto da 8ª Vara Federal Criminal de São Paulo, deu dez dias para os réus apresentarem defesa. O prazo começa a contar a partir da data em que forem notificados.

O Globo

Dilma afasta outro diretor do Dnit e fará faxina ampla

Uma nova denúncia provocou a queda de mais um indicado do PR no Ministério dos Transportes e levou a presidente Dilma a determinar uma mudança geral nos cargos da pasta e de estatais ligadas a ela. Ontem, foi afastado temporariamente José Henrique Sadok de Sá dos cargos de diretor-executivo e diretor-geral interino, após a acusação de que a construtora da mulher dele tinha contratos de R$ 18 milhões com o Dnit. A faxina que a presidente Dilma vai fazer no ministério - e que incluirá também a Valec, que cuida de ferrovias - será gradual, para evitar o agravamento da crise. O diretor-geral afastado do Dnit, Luiz Antônio Pagot, não vai ficar no cargo quando voltar das férias.

'Dança das cadeiras' no Dnit deve continuar

O desmonte do comando do Dnit começou antes mesmo de estourar a atual onda de denúncias de desvios e cobrança de propinas no setor, com a exoneração, dia 14 de junho, do então diretor de Administração e Finanças, Heraldo Cosentino. Ele é ligado ao PT e alegações pessoais justificaram sua saída. Hideraldo Caron, diretor de Infraestrutura Rodoviária e também pertencente aos quadros do partido, é outro que deve cair a partir de agosto.

Tido como homem de confiança do Planalto, integrantes do PR sustentam que Caron avaliza 90% das obras rodoviárias, inclusive aditivos em obras suspeitas de irregularidades. Mas o PR de Valdemar Costa Neto (PR-SP) é o grande prejudicado com a 'dança das cadeiras', já que a maioria do comando do Dnit era de indicados do partido. Mesmo os que pertencem ao quadro técnico de carreira do órgão, acabaram sendo apadrinhados pelo PR, que está em vias de ficar completamente fora do comando do Dnit e do Ministério dos Transportes.

Lula nas asas de dirigente do PR

Enquanto a presidente Dilma Rousseff passa um aperto com o PR, legenda apontada como centro de um esquema de corrupção no Ministério dos Transportes , o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pegou carona no início da noite de quinta-feira, de Goiânia para São Paulo, num avião King Air do deputado federal Sandro Mabel, presidente do PR em Goiás.

Lula foi à capital goiana participar do congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), e depois visitou Aparecida de Goiânia. Nessa cidade, viu casas populares do programa Minha Casa, Minha Vida - em conjunto que será batizado com o seu nome - e encontrou-se com Mabel. O petista chegou a fazer um brincadeira, afirmando que iria também à fábrica do parlamentar, dono da empresa Biscoitos Mabel.

- Vou dar uma passada lá e comer um biscoito - disse Lula.

Migrantes voltam para casa

O movimento de migração de nordestinos e de moradores de outras regiões para o Sudeste já quase não existe mais, segundo relatório sobre o deslocamento populacional no Brasil feito pelo IBGE. A queda de migração para o Rio e São Paulo ultrapassa os 50%. O brasileiro prefere percorrer agora trajetos mais curtos, dentro da mesma região, ou retornar ao lugar de origem, como estão fazendo gaúchos e pernambucanos.

O primeiro teste para Olimpíadas do Rio

Com a participação de cerca de seis mil atletas de 112 países, os Jogos Mundiais Militares serão abertos hoje, no Engenhão, dando início aos testes esportivos e de organização para as Olimpíadas de 2016, no Rio.

Obras de 2016 nas mãos da Justiça

Ação do MP pede a anulação de projeto urbanístico de Vargem Grande, o que pode afetar obras olímpicas.

Correio Braziliense

Só falta Pagot

A carreira do office-boy mais poderoso da República chegou ao fim. Chamava-se Frederico Dias. Servidor terceirizado apadrinhado por Valdemar Costa Neto, cacique do PR, Fred recebia autoridades, participava da assinatura de contratos e tinha até gabinete ao lado da Diretoria-Geral do Dnit. Mesmo sem ter status para isso, conforme denunciou o Correio. Também foi mandado embora o diretor interino do órgão, José Sadok de Sá. A mulher dele é dona de uma empreiteira com contratos de R$ 18 milhões com o Dnit. Enquanto isso, Luiz Antonio Pagot segue na corda bamba. Acusado de corrupção, ele já teria sido demitido, mas esticou as férias e insiste que continua diretor-geral do instituto, mesmo contra a vontade da presidente Dilma.

Entorno sem lei

Os inquéritos acumulados nas mesas da delegacia do Jardim Ingá (GO) são o retrato da situação caótica da segurança pública e da Justiça nos municípios vizinhos ao DF. Por toda a região, mais de 10 mil processos - metade deles sobre assassinatos- estão parados. A impunidade aumenta a violência. "São 5 mil homicídios e muita gente sem ser presa", desabafa o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Goiás, Silveira Moura.

CEB agride patrimônio da 308 Sul

No dia em que as obras do artista foram tombadas pelo GDF, moradores denunciam que os azulejos da casa de força da quadra foram pintados pela empresa. O Iphan ameaça ir à Justiça e exige a restauração do prédio.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!