Nos jornais: ‘candidato dublê’, Lula monta QG de campanha para Dilma

Liderado por Lula, grupo já começa a planejar campanha à reeleição de Dilma Rousseff. Jornais destacam ainda que a gestão da presidenta recuperou popularidade e a aprovação do governo subiu. O partido de Marina Silva tem mais uma semana para conseguir o registro junto ao TSE e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, foi lançado como candidato ao governo de SP

Folha de S. Paulo

'Candidato dublê', Lula monta QG de campanha para Dilma

A um ano das eleições, Luiz Inácio Lula da Silva designou um "destacamento avançado" para começar a estruturar a campanha de 2014 de Dilma Rousseff. Livre das restrições legais, o ex-presidente definiu que atuará como "candidato dublê", subindo aos palanques nos dias em que sua sucessora não puder cumprir agendas eleitorais em razão das atividades no governo. O PT também já monta a estratégia de internet.

Em reunião na Granja do Torto, no dia 13, Lula criou dois grupos, segundo a Folha apurou, para, de um lado, iniciar as discussões sobre a comunicação da campanha e, de outro, avançar nas negociações sobre os palanques. Trata-se, conforme definiu um interlocutor, do embrião da futura campanha. A formação foi autorizada agora, antes do prazo tradicional, dezembro. Os protestos de junho e a necessidade de alinhar apoios diante do cenário de múltiplas candidaturas rivais precipitaram a estruturação dos núcleos.

Aprovação do governo sobe seis pontos

A gestão Dilma recuperou parte da popularidade que havia perdido em junho e julho deste ano por causa da onda de protestos que tomou o país no período. A aprovação do governo subiu de 31% em julho para 37% em setembro deste ano, segundo pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem.

Evento do PT vira comício de Padilha em SP

Em evento organizado para lançar a candidatura do ex-prefeito de Osasco Emidio de Souza à presidência do PT de São Paulo, na noite de ontem, o político promovido em quase todos os discursos foi o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, nome do partido para a disputa do governo do Estado em 2014. O ato, no centro da capital paulista, contou com a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O petista disse que não poderia falar sobre eleição para não ser multado por campanha antecipada, mas encerrou seu discurso pedindo apoio ao futuro candidato.

"Quero dizer para vocês, sem ter falado de eleição, que nós precisamos eleger o Padilha para ele ajudar a Dilma", afirmou o ex-presidente. "Se ela tiver por trás o Padilha, o Mais Médicos e o Estado de São Paulo, vai ficar muito mais fácil a gente fazer muito mais pelo Brasil." Ele também disse que o PT não vai enfrentar "um qualquer" em 2014, em referência ao governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Gabinete de senador paga por notícia positiva

Cotado para o Ministério da Integração, o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) usou verba de gabinete para pagar site com notícias favoráveis a ele. De janeiro a julho, ele pagou R$ 14 mil ao site "PB Agora" em parcelas mensais de R$ 2 mil. O total foi reembolsado pelo Senado como despesa destinada à "divulgação da atividade parlamentar". No período, o PB Agora publicou dezenas de reportagens sobre o senador. O sistema de busca do site oferece 30 notícias com o nome do senador no título só em setembro. Entre elas, "Vital comemora aprovação de minirreforma eleitoral", dia 11; "Cotado para ser ministro, Vitalzinho comemora 50 anos de vida", dia 21; e "Lideranças nacionais destacam Vital", dia 22. As notícias descrevem a atuação do senador em tom elogioso. Um dos trechos afirma que ele "tem conseguido muito destaque na política e prestígio no Congresso e com seu partido, o PMDB".

Ministro pede que Dilma afaste diretor da Conab

O ministro da Agricultura, Antônio Andrade, pediu ontem à presidente Dilma Rousseff o "afastamento temporário" do diretor de política agrícola da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), Sílvio Porto. Segundo a Conab, que é ligada ao Ministério da Agricultura, cabe à Presidência da República nomear e exonerar o diretor do órgão. O pedido do ministro veio quatro dias após Porto ser indiciado pela Polícia Federal na Operação Agro-Fantasma, que investiga desvio de verbas em um dos programas do "Fome Zero". Porto é suspeito de envolvimento em crimes de estelionato, peculato e formação de quadrilha.

Gastei o que tinha na sigla, diz dono do Pros

Dono de um campo de grama sintética, de uma van, de uma casa simples e de uma ideia fixa há dez anos: ser dono de um partido político. Esse é o perfil resumido de Eurípedes Júnior, 38, criador e presidente nacional do Pros, a mais nova legenda do país e que já atrai nomes como o governador do Ceará, Cid Gomes, de saída do PSB. O sonho de Júnior, como é conhecido em Planaltina, cidade com 82 mil habitantes a 60 km de Brasília, foi realizado semana passada. "Muitos riam dele. Diziam que não tinha capacidade para isso", diz Regina das Chagas, secretária-geral da Câmara de Planaltina, presidida por Eurípedes de 2009 a 2010.

O sonho começou em 2003, segundo sua mulher, Sandra Caparrosa, 37, com quem é casado há 14 anos e tem uma filha. "Estou muito surpresa com tudo", diz Sandra, sentada no bar e restaurante que mantém em Planaltina, o "Biroska", a cerca de 500 metros da casa de muro sem acabamento onde vive com o marido, num bairro simples.

Desigualdade e analfabetismo param de cair

A pesquisa anual que investiga as características socioeconômicas dos brasileiros detectou que a queda do analfabetismo e a desigualdade, conquistas marcantes nas últimas duas décadas, foi interrompida em 2012. Segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), a melhora na distribuição de renda foi estancada porque a remuneração dos mais ricos cresceu num ritmo superior à dos mais pobres. Alguns analistas interpretaram o dado como um sinal de que as políticas de transferência de renda estejam próximas do esgotamento, tese refutada pelo governo.

Também chamou a atenção a constatação de que a diferença entre os salários de homens e mulheres voltou a crescer no país. O levantamento, feito pelo IBGE, também mostrou que a taxa de analfabetismo parou de cair após 15 anos. Isso aconteceu principalmente entre os brasileiros com mais de 40 anos. O envelhecimento da população, segundo especialistas, deve tornar a redução dos analfabetos uma tarefa mais difícil. A boa notícia é que essa taxa é cada vez mais baixa entre jovens. Outros dado positivo foi aumento dos anos de estudo desse mesmo grupo.

Marina afirma não temer rigor do TSE em julgamento da Rede

A poucos dias de o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) decidir se a Rede Sustentabilidade poderá disputar as eleições de 2014, a ex-senadora Marina Silva disse ontem não temer eventual rigor dos ministros da corte na análise do registro do partido. Para que ela consiga disputar o Palácio do Planalto no ano que vem, o TSE precisa aprovar a sigla até sábado da semana que vem. O julgamento está previsto para quarta ou quinta-feira. Ontem, a ex-senadora visitou a ministra Luciana Lóssio. Trata-se do sexto integrante do tribunal que Marina procura nos últimos dias para apresentar seus argumentos. Ao todo, sete ministros julgarão o pedido.

Em crise, Comissão da Verdade encerra grupo investigativo

A crise instalada na Comissão Nacional da Verdade levou à interrupção, há mais de quatro meses, de uma equipe de investigação responsável por apurar crimes e omissões das Forças Armadas na ditadura, buscar documentos militares e informações sobre o financiamento da repressão por empresários. Formado por historiadores e jornalistas, o grupo era conhecido internamente como "equipe ninja", já que o objetivo era realizar investigações e tomar depoimentos de militares e ex-agentes da repressão sem fazer alarde.

Os temas são considerados sensíveis por causa da resistência do empresariado e de militares. O trabalho foi desarticulado após a apresentação do relatório do primeiro ano da comissão, em maio. O grupo era coordenado pela historiadora Heloísa Starling, da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), que ainda hoje assessora a comissão. "O trabalho foi desativado em maio e desde então não foi mais retomado", confirmou Starling. A "equipe ninja", formada por 24 pessoas, entre jornalistas e historiadores, gerou desconfianças e provocou discussões entre comissários.

Procuradoria decide investigar Renan por compra de casa no DF

O Ministério Público Federal abriu inquérito para apurar a suspeita de irregularidades na compra de uma casa em bairro nobre de Brasília pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), por R$ 2 milhões. O despacho é da procuradora Anna Carolina Resende Maia Garcia. A procuradora resumiu o objeto do inquérito como "possível irregularidade na aquisição pelo senador Renan Calheiros de imóvel no Lago Sul por valor muito abaixo do praticado no mercado e incompatível com os seus rendimentos".

O inquérito é baseado em uma reportagem do jornal "O Estado de S. Paulo". Segundo o texto, a casa de Renan --que possui 404 m²-- custa no mercado pelo menos R$ 3 milhões, 50% mais que o valor registrado na escritura. Procurado por meio da assessoria, o senador disse que não iria comentar o caso.

Justiça de MG só analisará mensalão tucano em 2015

O processo sobre o mensalão tucano que abriga a maioria dos políticos e publicitários envolvidos deverá se arrastar por todo o ano de 2014 na Justiça de Minas Gerais com depoimentos de testemunhas e dos dez réus. Somente em 2015 o processo poderá ter chances de ser julgado, afirma o promotor João Medeiros. Ainda precisam ser ouvidas de 25 a 30 testemunhas.

Além desse processo, outros dois tramitam no Supremo Tribunal Federal e não têm data para serem julgados. São os processos dos políticos com foro privilegiado: o deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e o senador Clésio Andrade (PMDB-MG). Nesta semana foi condenado pela Justiça Federal em Minas um ex-diretor do Banco Rural, liquidado pelo Banco Central, supostamente envolvida no desvio de R$ 3,5 milhões de empresas públicas.

Agnelo vê rivais políticos de volta à cena para 2014

Às vésperas do término do prazo para mudanças de partidos, o governador Agnelo Queiroz (PT) vê ressurgirem seus principais adversários para a disputa de 2014. Quando foi eleito em 2010, Agnelo era o quinto governador de Brasília em dois anos (um saiu preso, outro renunciou e outros dois foram temporários) e fez uma ampla aliança para se eleger. Viu os ex-governadores José Roberto Arruda e Joaquim Roriz fora da disputa e, mesmo assim, acabou indo ao segundo turno contra a mulher de Roriz, Weslian.

O petista afinou o discurso com seu vice, Tadeu Filippelli (PMDB), e a chapa vitoriosa em 2010 deve ser reeditada no ano que vem. O governador, aliás, usou a estrutura do governo ao anunciar, por meio da Secretaria de Comunicação do Distrito Federal que a aliança será mantida. A notícia foi publicada no site oficial da administração.

Juiz já afastado por adoções ilegais é investigado por grilagem de terras

O CNJ (Conselho Nacional de Justiça) vai apurar a suspeita de prática de grilagem de terras pelo juiz Vitor Manoel Sabino Xavier Bizerra, titular da Vara Criminal do município de Barra (BA). Na última segunda-feira, o juiz foi afastado do cargo pelo CNJ por suposto envolvimento com adoções ilegais de cinco crianças. Elas foram retiradas de seus pais biológicos, no interior da Bahia, e entregues para famílias que moram em São Paulo.

Bizerra sustenta que houve cerceamento de defesa. Em entrevista à Folha, ele diz que as acusações de grilagem são "vazias e falsas". Ele nega que tenha havido adoção ilegal. "Apenas deferi uma medida de urgência para retirar as crianças de risco. Faria tudo novamente só por saber que as crianças se mantiveram vivas", diz. "O fato de ser visto como um juiz linha dura' para não ceder ou transigir com quem quer que seja, fez com que eu desagradasse quem se acha acima da lei", afirma.

Magistrado diz que nunca foi ouvido pelo CNJ

O juiz Vitor Bizerra diz que nunca foi ouvido pela Corregedoria do CNJ sobre as suspeitas de grilagem. "Postulei a produção de provas, pedi a juntada de documentos, e nada foi apreciado", disse. "É muito perigoso o caminho trilhado pela condenação antecipada baseada apenas em uma acusação vazia e com interesses não amparados na lei", declarou. Bizerra diz que a representação contra ele foi feita por uma empresa que responde a processos por grilagem e por ter tentar usurpar áreas de proprietários privados.

"Por decisão da Corregedoria do TJ-BA as matrículas desta empresa já foram bloqueadas. Fui um calo' para eles, pois conheço profundamente a região e o proceder de grileiros na área", disse. "Se o corregedor disse ter identificado várias irregularidades em diversos processos de adoção por vários juízes, por que abrir procedimento apenas contra mim?"

Telefonema sela aproximação de EUA e Irã

Os presidentes Barack Obama e Hasan Rowhani conversaram por telefone na tarde de ontem, o primeiro contato direto entre dirigentes de EUA e Irã desde a Revolução Islâmica, em 1979. A histórica ligação, de cerca de 15 minutos, foi o ápice de semanas de um esforço de reaproximação que já havia reunido anteontem os chanceleres dos dois países, outro acontecimento inédito. "Só o fato de essa ter sido a primeira comunicação entre um presidente americano e um iraniano desde 1979 já mostra a profunda desconfiança que há entre os nossos países, mas também indica a expectativa de seguir adiante", disse Obama.

Conforme a Casa Branca, a delegação iraniana informou ontem que Rowhani gostaria de falar com Obama pelo telefone, antes de deixar Nova York, e daí houve contato. O iraniano estava dentro de seu carro indo para o aeroporto quando recebeu a ligação. Os dois já haviam trocado cartas. Chegou-se a cogitar que se encontrassem pessoalmente, em paralelo à Assembleia-Geral da ONU, o que os iranianos rejeitaram.

Aquecimento segue mesmo com 'hiato' de 15 anos, diz relatório

Para os líderes do IPCC (Painel Intergovernamental de Mudança Climática), a desaceleração na subida de temperaturas terrestres nos últimos 15 anos é um fenômeno científico curioso, mas não viola a tendência de aquecimento global no longo prazo. Segundo os cientistas que compõem o painel da ONU, os modelos que a entidade usa para simular o clima só estariam errados se as temperaturas pararem de subir rápido durante mais 15 anos.

"Eu diria com grande confiança, porém, que isso não é uma hipótese com a qual lidamos, dado o nível de emissões de gases-estufa que medimos todo ano e que está atingindo níveis sem precedentes", afirmou Thomas Stocker, copresidente do Grupo de Trabalho 1 do IPCC, em entrevista coletiva.

Na opinião do climatologista, o problema em dar muito peso a esse fenômeno no curto prazo é que o aquecimento só desacelerou na medição da temperatura do ar. Os oceanos, que dominam a absorção de energia na Terra, e as geleiras, continuam a se aquecer. Não houve hiato nos mares, que, segundo o novo relatório do IPCC, absorveram mais de 90% da energia extra que a mudança climática aprisionou no planeta entre 1971 e 2010.

O Estado de S. Paulo

PT deveria se preocupar com seu governo, diz Nogueira

O presidente do PSDB de São Paulo, deputado federal Duarte Nogueira, rebateu, nesta sexta-feira, 27, as críticas feitas pelo ex-prefeito de Osasco Emídio de Souza, candidato a presidente do PT paulista, sobre o governo tucano no Estado. Durante o lançamento de sua candidatura ao comando do PT, Emídio criticou o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e, entre outras provocações, disse que fará questão de ligar para ele quando for derrotado nas eleições de 2014 pedindo que limpe as gavetas. Afirmou ainda que Alckmin era manso contra o crime organizado, enquanto reprimia de forma violenta manifestações nas ruas.

'Precisamos eleger o Padilha para ele ajudar a Dilma', diz Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta sexta-feira, 27, que os paulistas precisam eleger o ministro da Saúde, Alexandre Padilha (PT), para "ajudar" a presidente Dilma Rousseff. Foi a primeira vez que ele disse abertamente que Padilha é o candidato ao governo de São Paulo.

Lula discursou durante lançamento da candidatura do ex-prefeito de Osasco Emídio de Souza a presidente do PT paulista. Disse que não falaria sobre eleição porque já foi multado em R$ 20 mil por propaganda antecipada de outros candidatos e, segundo ele, tem pagado as multas do próprio bolso.

Descontraído, Lula criticou a espionagem os EUA em setores do governo Dilma e, em tom de brincadeira, conectou o episódio às futuras eleições: "Precisamos eleger o Padilha pra ele ajudar a Dilma a enfrentar essa situação. Se sozinha a Dilma já teve coragem de falar lá na ONU (sobre a espionagem americana), se ela tiver por detrás o Padilha e o Mais Médicos no Estado de São Paulo, certamente a gente vai ter condições de fazer muito mais pelo Brasil".

'Muito tempo' para a eleição, pouco para a Rede

Diante das dificuldades para obter o registro do Rede Sustentabilidade no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a ex-ministra Marina Silva, provável candidata à Presidência, evitou comentar a pesquisa Ibope que apontou queda de 22% para 15% nas suas intenções de voto. Em uma breve declaração, disse que a pesquisa "representa apenas o momento e há muito tempo ainda para as eleições".

Não quis também comentar sobre a possibilidade de o resultado das últimas pesquisas, que a coloca em segundo lugar na disputa, poderem influenciar na decisão do TSE. "O que vai contribuir para a decisão do TSE é o fato de termos atendido os requisitos legais e termos as provas materiais de que temos as assinaturas suficientes para o registro da Rede", afirmou.

'Campos foi arbitrário ao fazer a intervenção no partido no Rio'

Afastado do comando do PSB do Rio de Janeiro para dar lugar ao deputado federal Romário, o prefeito de Duque de Caxias (na região metropolitana do Rio), Alexandre Cardoso, criticou ontem a cúpula nacional, que interveio no diretório fluminense sob a alegação de que ele estaria atuando contra os interesses do partido. Para Cardoso, o governador de Pernambuco e presidente do PSB, Eduardo Campos, atuou de forma "arbitrária" ao interferir no diretório. Em sua avaliação, a candidatura do governador pernambucano à Presidência está sendo construída "de cima para baixo".

Ontem, foram encaminhados ao Tribunal Regional Eleitoral os documentos sobre o afastamento de Cardoso e a composição da nova diretoria do partido. A primeira reunião sob comando de Romário será segunda-feira às 16h. O PSB fluminense espera a presença de Campos - um ato político está sendo preparado.

Presidente quer manter ministro da cota de Cid

A presidente Dilma Rousseff quer manter o ministro Leônidas Cristino no comando da Secretaria dos Portos, pasta que tem status de ministério e que representa a cota do governador do Ceará, Cid Gomes, no primeiro escalão. Com o desembarque do governo federal, o PSB decidiu devolver os dois ministérios que possuía já que apoiará a candidatura presidencial do governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Integração Nacional será repassada ao senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), como revelou o Estado. Mas, se depender da vontade de Dilma, Leônidas Cristino ficará no cargo.

Como seu grupo político, liderado por Cid, decidiu deixar o PSB e manter o apoio à reeleição de Dilma, a presidente não vê motivos para trocar o ministro. Em conversa por telefone, feita depois que retornou dos Estados Unidos, a presidente disse isso a Cid, afirmando que prefere não mexer na pasta.

PF recorre ao Planalto para tentar obter dados do Trabalho

A Polícia Federal apelou ao Planalto para conseguir do gabinete do ministro Manoel Dias (PDT) informações de convênio firmado com uma entidade ligada ao partido dele e investigada por irregularidades. Sem resposta a ofícios enviados à pasta, a delegacia da PF em Itajaí (SC) cobra agora da Secretaria-Geral da Presidência dados sobre a prestação de contas de parceria firmada com a Agência de Desenvolvimento do Vale do Rio Tijucas e Rio Itajaí Mirim (ADRVale), de Santa Catarina. Ontem encaminhou fax ao Planalto com novo pedido.

A ADRVale é alvo de inquérito que apura suspeita de desvio e malversação de recursos repassados pelo Ministério do Trabalho por meio de convênio de 2007. As informações da prestação de contas, segundo a PF, são "imprescindíveis" para as investigações. A entidade tem como dirigentes dois ex-filiados ao PDT, que se desvincularam do partido em julho.

Para opositores, exposição baixa limita desempenho

Apesar de oscilarem negativamente na pesquisa Ibope divulgada anteontem, os presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) confiam que poderão alcançar patamares mais elevados de intenção de voto quando se tornarem mais conhecidos do eleitorado. No entorno de Aécio e Campos, a avaliação comum é que ambos ainda possuem poucos instrumentos de visibilidade e este cenário deve ser mantido até julho de 2014, quando a disputa de fato começará.

Nesse sentido, tucanos avaliam que falta muito tempo até a campanha e no mesmo período em 2009 o então futuro candidato da legenda, José Serra, tinha o dobro das intenções de voto de Dilma Rousseff (PT) - que acabou sendo eleita.

Ayres Britto prega 'sensatez' para juiz lidar com críticas

Conhecido por seu notório discurso de defesa da liberdade plena de imprensa, o ex-ministro do Supremo Tribunal Federal Carlos Ayres Britto avalia que a mídia é um espaço para o debate aberto e para as críticas, inclusive ao Judiciário. "Cada autoridade pública que se dote de fortaleza psicológica para administrar com sensatez e serenidade o que lhe possa parecer assédio da imprensa", disse o ex-ministro ao Broadcast Político, serviço de informação em tempo real da Agência Estado.

A declaração marca um contraponto à afirmação feita por um colega de Corte, ministro Celso de Mello, para quem houve "tentativa de subjugação midiática da consciência crítica do juiz" durante a análise dos embargos infringentes no julgamento do mensalão. "O que não se pode é tolher o trabalho da imprensa", disse Ayres Britto.

O Globo

Rede de Marina demorou a iniciar coleta de assinaturas para criação de legenda

Enquanto os criadores do PROS e do Partido Solidariedade esqueceram a ideologia e, agindo com o regulamento debaixo do braço, garantiram a oficialização de suas legendas nesta semana, a ex-senadora Marina Silva passou os dois últimos anos rodando o país, mobilizando milhares de apoiadores em amplos debates sobre a política nacional e o meio ambiente, mas corre o risco de ficar sem sua Rede Sustentabilidade a tempo de disputar as eleições de 2014. O motivo, segundo vários juristas e até um ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é a demora em iniciar a coleta de assinaturas.

Para dimensionar, o obscuro PROS iniciou a coleta de assinaturas ainda em 2010 e chegou ao TSE com mais de meio milhão delas validadas. Idealizado por um grupo de deputados e capitaneado pelo presidente da Força Sindical, deputado Paulo Pereira da Silva, o Solidariedade busca assinaturas de apoio desde outubro do ano passado. Para garantir as mais de 495.000 assinaturas validadas entregues ao TSE há um mês, contou com a coordenação de um advogado que já tinha criado outros seis partidos e a ajuda de integrantes da Força – segunda maior central sindical do país. Após mais de um ano envolvida no Movimento por uma Nova Política, Marina e seus seguidores começaram de fato a coletar apoios à Rede Sustentabilidade apenas em fevereiro deste ano.

Em São Paulo, Lula lança candidatura de Padilha ao governo do estado

O ex-presidente Luiz Inácio Lula lançou nesta sexta-feira, em evento em São Paulo, a candidatura do ministro Alexandre Padilha (Saúde) ao governo de São Paulo para o próximo ano. Em discurso, o dirigente petista ressaltou a necessidade de eleger o ministro no ano que vem para ajudar a presidente Dilma Rousseff a governar o país. O ex-presidente petista pediu voto ao ministro quando criticava as denúncias de espionagem dos Estados Unidos ao governo brasileiro. Segundo ele, em seu discurso na Organização das Nações Unidas (ONU), a presidente disse que o país "não tem complexo de vira-lata".

- Nós precisamos eleger o Alexandre Padilha para ele ajudar a presidenta Dilma Rousseff a enfrentar essa situação. Se sozinha a presidenta já teve coragem de falar na ONU, com o Alexandre Padilha e com São Paulo vai ficar muito mais fácil para fazer muito mais pelo país - disse o dirigente petista.

Marina Silva: ‘queremos que os fins estejam alinhados com os meios’

A ex-senadora Marina Silva visitou nesta sexta-feira a ministra Luciana Lóssio, na última conversa de seu périplo nos gabinetes dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral que devem participar na próxima semana do julgamento da criação de seu partido, o Rede Sustentabilidade. Ao ser indagada sobre o rigor que a ministra demonstrou em relação à criação do PROS e do Partido Solidariedade - em ambos os casos Lóssio votou contra a legalização das legendas -, Marina disse não estar preocupada:

- Foi uma conversa atenciosa e respeitosa. Obviamente que não nos preocupamos com aqueles que estão dizendo que são rigorosos. Isso é inteiramente compatível e vem ao encontro do mesmo rigor que tivemos. Afinal de contas, descartamos de moto próprio 220.000 assinaturas e encaminhamos o nome de todas as pessoas que apoiaram a Rede Sustentabilidade para evitar a duplicidade. O rigor que os ministros têm, e não pode ser diferente, nós também o tivemos exatamente porque queremos que os fins estejam inteiramente alinhados com os meios - afirmou.

PDT vai pedir na Justiça suspensão da criação do Solidariedade

O PDT deve ingressar na segunda-feira com um mandado de segurança pedindo que a Justiça suste a criação do Partido Solidariedade. Ao longo do fim de semana, três advogados da legenda devem reunir as provas de que as fraudes nas assinaturas de apoiamento à criação do partido atingiram documentos que foram considerados legais pelo Tribunal Superior Eleitoral para legalizar a legenda na última terça-feira. Durante o julgamento de terça-feira, o tribunal afirmou que as denúncias envolviam apenas assinaturas não validadas pelos cartórios. Os advogados ainda não decidiram, no entanto, se ingressarão com o processo no próprio TSE ou no Supremo Tribunal Federal (STF).

- Tem suspeita e indícios de fraudes nas listas de apoiamento que foram validadas pelos cartórios e usadas pelo tribunal. Por isso vamos pedir liminarmente que se suste a criação do Solidariedade para que possam ser feitas as diligências sobre essas listas. A checagem dos cartórios é feita por amostragem, que vê se ela confere ou se está próxima. Estamos recuperando mais casos de indícios e suspeitas de falsificação e ingressaremos com o mandado na segunda-feira - explicou o advogado Ian Dias, assessor jurídico do PDT na Câmara.

Aécio acusa Dilma de ‘exagerar na marquetagem’ e ser candidata o tempo todo

O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, disse nesta sexta-feira que o candidato que disputar um eventual segundo turno com a presidente Dilma Rousseff vencerá as eleições em 2014. Ao comentar a pesquisa Ibope/Estadão divulgada na última quinta-feira, que aponta Dilma (PT) com 38% das intenções de voto, Marina Silva (sem partido) com 22%, Aécio Neves (PSDB) com 11% e Eduardo Campos (PSB) com 4%, Aécio declarou que o fato mais relevante da pesquisa é que a maioria dos brasileiros não votaria em Dilma.

— O que me parece mais relevante é que 60% não querem votar na atual presidente da República, mesmo sendo ela conhecida por 100% da população, com uma propaganda bilionária todos os dias nos meios de comunicação, quase uma lavagem cerebral — disse o senador, em entrevista coletiva na capital paranaense, onde participou nesta sexta-feira do encontro regional Sul do PSDB. — Nosso partido começa a construir um projeto alternativo a tudo o que está aí. Vamos organizar a agenda para os próximos 20 anos no Brasil.

Novo balanço: apenas 28% dos pedidos de registro para estrangeiros foram concedidos

Dos 647 participantes do programa Mais Médicos formados no exterior que já tiveram seu pedido de registro profissional protocolado nos conselhos regionais de medicina (CRMs), 71,9% ainda não foram atendidos. Apenas 182, ou 28,1% do total, conseguiram o registro e já podem trabalhar nos municípios. Os números são de balanço divulgado pelo Ministério da Saúde nesta sexta-feira.

A primeira etapa do programa selecionou 681 médicos de fora, dos quais 400 cubanos, 116 brasileiros formados no exterior e 165 de outras nacionalidades. Até quinta-feira, 647 deles tinham feito o pedido de registro. Em 350 casos, o prazo legal de 15 dias para expedição do registro já venceu, mas apenas 165, ou menos da metade, foram emitidos. Os outros 17 registros já expedidos se referem a pedidos cujo prazo ainda não venceu.

De volta ao PSB, Romário nega ter feito aliança com PR, de Garotinho, para governo do Rio em 2014

De volta ao PSB como presidente provisório do partido no Rio, o deputado federal Romário se organiza para sua gestão à frente da sigla. Mas, quando o assunto é quem o partido vai apoiar para o governo do Rio na eleição de 2014, o Baixinho abandona o tom assertivo e coloca em cena seu lado mais político. Ele nega ter feito um acerto de uma aliança com o PR, diz que é muito cedo para decidir sobre apoios e, com isso, acaba dando uma ponta de esperança a todos.

As conversas vão se intensificar mais a partir da próxima semana, quando termina o processo de filiação dos candidatos que vão disputar as vagas na Câmara dos Deputados e na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) no próximo ano. Até lá, a prioridade das legendas é brigar pelos quadros com promessa de ampla votação. — Não descarto apoiar ninguém lá na frente — disse Romário. — Acredito que, mesmo com a minha pouca experiência política, ainda é muito cedo começar a conversar sobre aliança — completou.

Enquanto Romário já trabalha como novo cacique do PSB no Rio, o prefeito de Duque de Caxias, Alexandre Cardoso, se reuniu ontem com parlamentares do partido. Ninguém confirmou a desfiliação, mas, se essa for a decisão, Cardoso defende que todos saiam juntos. Ele foi afastado pela Executiva Nacional do comando da legenda no Rio e enfrenta um processo disciplinar aberto pela cúpula do PSB.

Ministros do PSB continuam no governo, apesar de entregarem cargos

Venceu nesta sexta-feira o prazo pedido pela presidente Dilma Rousseff ao ministro Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional) para dispensá-lo do cargo, mas ele continua no comando da pasta, assim como o ministro Leônidas Cristino (Portos). Os dois são da cota do PSB, que saiu do governo Dilma Rousseff no último dia 18.

Bezerra Coelho entregou sua carta de demissão à presidente há oito dias e, na ocasião, Dilma pediu que ele esperasse até esta sexta-feira. Ela viajaria para os Estados Unidos no dia seguinte e precisava de um tempo para encontrar um substituto. A presidente também manifestou a intenção de conversar mais uma vez com o presidente do PSB e pré-candidato a presidente da República, o governador Eduardo Campos (PE). Dilma foi pega de surpresa com a decisão dos socialistas de sair do governo e queria melhorar o clima com Campos, de olho em uma aliança no provável segundo turno das eleições do ano que vem. O presidenciável do PSB ficou irritado com a pressão feita por PT e PSB para que Dilma tirasse Bezerra Coelho do governo. Ele é afilhado político de Campos.

Correio Braziliense

Acesso à internet avança enquanto serviços de saneamento se arrastam

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) 2012 mostrou que mais de 80% das casas brasileiras contam com abastecimento de água e coleta de lixo. A iluminação elétrica está praticamente universalizada, mas os serviços ainda deixam a desejar na rede coletora de esgoto. Em contrapartida, bens como fogão e geladeira já são quase onipresentes nas residências. Até itens que eram considerados de luxo, como computadores e acesso à internet, estão se tornando cada vez mais populares e acessíveis. Nos últimos 10 anos, o percentual de domicílios com computadores subiu de 14,2% para 46,4%. O acesso à internet cresceu em ritmo semelhante. Apenas 10,3% das residências contavam com a rede em 2002. Em 2012, chegou a 40,3%. De 2011 para o ano passado, o crescimento foi de quase 4 pontos percentuais.

A estudante Vitória Aparecida, 15 anos, ilustra bem essa estatística. O acesso à rede digital desembarcou na casa em que ela vive com três irmãos, no ano passado. “Minha mãe comprou o computador para a gente ter mais facilidade de fazer os trabalhos de escola e, também, por causa das redes sociais”, conta a estudante. De acordo com ela, ficou muito mais fácil estudar e estar informada. “Com a internet, a gente tem acesso a tudo. É ótimo. Tem uma disputa pelo computador, mas eu mesma já larguei o Facebook”, diz a moradora do Gama

PR cede sala para novo partido Pros realizar reuniões políticas

O PR cedeu para o Partido Republicano da Ordem Social (Pros) a sala da liderança do partido no Senado para que o presidente da legenda novata, Eurípedes Júnior, fizesse reuniões políticas para a formação da sigla. O acerto, mantido após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) conceder o registro do Pros, foi feito por Eurípedes com o presidente nacional do PR, senador Alfredo Nascimento (AM), tendo o aval do secretário-geral do partido, Valdemar Costa Neto (SP), condenado a 7 anos e 10 meses de prisão pelo Supremo Tribunal Federal por envolvimento no escândalo do mensalão. “Eu fui conversar com o Alfredo e deixei uns cinco assessores na antessala. Ele me disse: pode usar a liderança para fazer suas reuniões”, confirmou Eurípedes ao Correio.

Interlocutores do PR afirmaram que o gesto de simpatia com a legenda embrionária é uma tentativa de seduzir José Batista Júnior, o Júnior da Friboi, a filiar-se ao partido para disputar o governo de Goiás. O empresário deixou o PSB e conversou com dirigentes de várias siglas. Mas, após uma intervenção do Palácio do Planalto e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Júnior escolheu o PMDB. O empresário foi fundamental para a criação do Pros, colaborando com a coleta de assinaturas de deputados e vereadores ligados ao grupo político do qual fazia parte. “Ele é meu irmão, me ajudou muito e nós vamos apoiá-lo na disputa em Goiás”, assegurou o presidente do Pros.

Políticos que vão para novos partidos estão acostumados a mudar de legenda

Os pelo menos 34 parlamentares que constam na lista dos dirigentes do Solidariedade e do Partido Republicano da Ordem Social (Pros) como futuros filiados somarão 80 mudanças de partido ao longo da trajetória política, caso confirmem a migração para as duas legendas mais recentes do país. Levantamento do Correio mostra que o recordista entre eles está migrando para o sétimo partido. Mas o deputado licenciado Maurício Trindade (BA) não está sozinho entre congressistas que estão acostumados ao troca-troca de siglas. Dos 34, 23 mudarão de legenda pelo menos pela terceira vez na carreira.

Na bagagem para os novos partidos, serão levadas 13 ações penais em curso no Supremo Tribunal Federal (STF) e 30 inquéritos na Corte. Os processos referem-se a crimes eleitorais, ambientais, fraude de documentos, irregularidades em licitações e corrupção. O Solidariedade — liderado pelo deputado Paulo Pereira da Silva (SP), ligado à Força Sindical — e o Pros conseguiram registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na última terça-feira. O primeiro contabiliza ao menos 23 congressistas e o segundo, 11.

De saída do PR, Maurício Trindade será o presidente do Pros na Bahia. Secretário de Promoção Social e Combate à Pobreza da Prefeitura de Salvador, ele alega que a mudança, a despeito da primeira impressão, é uma questão de coerência. “Sou secretário do prefeito Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM) e meu atual partido está com o governo estadual. Nas eleições do ano que vem, o ACM Neto fará oposição ao governador Jaques Wagner (PT)”, diz.

Também nos jornais de hoje os seguintes assuntos publicados ontem pelo Congresso em Foco:

Dilma volta ao Twitter e interage com "Dilma Bolada"

Aprovação do governo Dilma volta a subir e alcança 54%

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!