Nos jornais: 70% das verbas desviadas são em saúde e educação

Levantamento da CGU, segundo o Globo, mostra que maior parte dos desvios são de recursos que comprariam medicamentos, merenda escolar ou reformariam escolas e hospitais

O GLOBO

Das verbas desviadas, 70% são de Saúde e Educação

Setores que têm os maiores orçamentos da União e estão diretamente ligados aos cidadãos, Saúde e Educação são também os que mais sofrem com a corrupção no Brasil. Segundo o Departamento de Patrimônio e Probidade da Advocacia Geral da União (AGU), de 60% a 70% dos recursos públicos desviados no país são dessas duas áreas. É, por exemplo, dinheiro destinado a reformas de escolas e hospitais, compra de merenda escolar e de medicamentos, construção de quadras esportivas e procedimentos do SUS, mas que acaba indo para o ralo por causa da corrupção. Auditorias da Controladoria Geral da União (CGU) constataram, apenas entre 2007 e 2010, desvios de R$ 662,2 milhões nesses dois setores. E quase metade dos acusados de improbidade em todas as áreas da administração pública, segundo a AGU, é de prefeitos ou ex-prefeitos. Um dos problemas é a falta de fiscalização, mas também a pulverização dos recursos.

Em SP, nova obra suspeita do Dnit

O Dnit quer pagar R$ 16 milhões para recuperar uma obra concluída em 2006, em Barretos (SP), e que custou R$ 10 milhões. Para o TCU, o Dnit deveria recorrer ao termo de garantia, que obriga a construtora a fazer os reparos. Mas fez nova licitação, vencida por uma doadora do PR.

Empreiteira tem sócio balconista

Um balconista de farmácia em Teresópolis soube pelo GLOBO que seu nome aparece nas investigações da Controladoria Geral da União como sócio da empreiteira RW. A empresa tem contratados 64% dos R$ 7 milhões repassados pela União ao município, mediante o aumento de propinas de 10% para 50%, para obras de recuperação pós-tragédia.

TCU investigará as UPAs de lata

O Tribunal de Contas da União vai investigar os contratos de compra de contêineres e módulos metálicos usados pelo governo do estado e pela prefeitura para a instalação de Unidades de Pronto Atendimento e Clínicas da Família. Como mostrou o GLOBO, esses equipamentos custam mais caro do que obras de alvenaria.

Assalto 5 estrelas nas barbas da UPP

O assalto ao Hotel Santa Teresa, onde 15 hóspedes foram saqueados, acendeu o alerta no setor de hospedagem e turismo da cidade, prestes a receber eventos internacionais de grande porte. O caso foi noticiado na capa do site do jornal espanhol "El País". O hotel fica em área de UPP e a menos de 500 metros de uma delegacia. No hotel, que cobra diárias a partir de R$ 690, estavam funcionários da Nike e, supostamente, integrantes de comitivas dos Jogos Mundiais Militares.

Chile: protestos mudam oito ministérios

O presidente Sebastián Piñera, com o pior índice de aprovação de um chefe de Estado chileno em 40 anos, fez mudanças em oito ministérios, mas foi criticado por só remanejar os titulares. Abalado por protestos estudantis, o ministro da Educação comandará agora o Planejamento Social.

 

O ESTADO DE S.PAULO

Contrariando Carvalho, Dilma demitirá diretor do Dnit

A ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, foi encarregada pela presidente Dilma Rousseff de anunciar que o diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Luiz Antonio Pagot, atualmente em férias, não retornará mais ao cargo, em meio a escândalo de corrupção. O vice Michel Temer e ministros ligados ao ex-presidente Lula defendiam a permanência de Pagot. Numa reunião no Planalto, o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral da Presidência) tentou introduzir na conversa a necessidade de manter Pagot. Dilma afirmou que, se fosse para traze-lo de volta, teria de reconduzir outros seis que ela tinha demitido e isso não vai acontecer. Dilma orientou ainda o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, a finalizar rapidamente a "limpeza" no setor.

Crise da dívida de Europa e EUA volta a derrubar bolsas

As principais bolsas do mundo voltaram a fechar em baixa, devido às preocupações com a crise da dívida na Europa e nos EUA. Houve queda de 3,06% em Milão, de 2,04% em Paris e de 1,55% em Londres e Frankfurt. A baixa teve relação com as análises sobre o teste de estresse realizado pela Autoridade Bancária Europeia, que reprovou oito bancos.

Justiça barra negócio em nome da Copa

A Justiça mandou suspender um acordo que o governador Agnelo Queiroz (PT) quer fechar com construtoras do Distrito Federal. Ele pretende transformar área de 85 mil metros quadrados, em região tombada, numa quadra de hotéis e flats. Avaliado em R$ 700 milhões, o terreno foi oferecido ao mercado imobiliário para financiar as obras do estádio Mané Garrincha.

A cada 3 dias, 1 bebê é deixado para adoção

Em crise, presidente do Chile troca 8 ministros

 

FOLHA  DE SÃO PAULO

Acidentes com moto na Rebouças dobram em 4 anos

O número de acidentes de motos com vítimas na avenida Rebouças, em São Paulo, subiu 110% em quatro anos. Saltou de 62, em 2006, quando foi adotada a faixa preferencial de motociclistas, para 130, em 2010. Nesse período, a expansão da frota foi de 65%.

Irmão de chefe do Dnit em MT tem contratos dos Transportes

A empreiteira do irmão do superintendente do Dnit em Mato Grosso fechou contratos de R$ 26 milhões com o órgão, braço do Ministério dos Transportes responsável por obras em rodovias. Para o dono da empreiteira, o cargo do irmão só atrapalha. “Se fosse me locupletar com isso, eu deveria ter uns R$ 100 milhões de contrato", afirmou.

Dona do Magazine Luiza é cotada para novo ministério

Pré-natal no SUS não checa hipertensão, aponta estudo

A maioria das grávidas não controla a pressão arterial nos exames do pré-natal feitos no SUS do Rio de Janeiro, aponta estudo da Fiocruz com 1.974 gestantes. A hipertensão na gravidez é uma das principais causas de mortalidade materna. O Ministério da Saúde reconhece problemas, mas rejeita generalizar as conclusões da pesquisa.

Presidente do Chile substitui 8 dos 22 ministros

Pressionado por protestos e mal avaliado pelos chilenos, o presidente Sebástian Piñera substituiu 8 de seus 22 ministros. A reforma atingiu a pasta de Educação - alvo dos atos iniciados há dois meses.

Após falhas, Eletropaulo leva multa de R$ 26 milhões

A Eletropaulo foi multada pela Arsesp (agência estadual que fiscaliza o setor) em R$ 26 milhões por causa dos problemas de fornecimento de energia no período entre 2009 e maio de 2010. É a maior autuação da hist6ria da companhia. A empresa ainda pode recorrer da decisão e está analisando a multa "administrativamente"

 

CORREIO BRAZILIENSE

Governo nega aumento de R$ 40 bi a servidores

Sindicalistas apresentaram a fatura ao Ministério do Planejamento. No total, as reivindicações que esperam ver atendidas no ano que vem vão custar R$ 40 bilhões aos cofres públicos. Mas se depender da proposta do Orçamento da União de 2012 que o Planalto está prestes a concluir, os servidores federais não vão ver a cor desse dinheiro. Preocupado em cumprir a meta de ajuste fiscal, o Executivo fez cálculos preliminares e chegou ao seguinte resultado: mesmo sem qualquer aumento ao funcionalismo, já faltarão R$ 25 bilhões para fechar as contas em 2012. A razão é simples: o governo terá de arcar com um rombo de R$ 23 bilhões maior nos cofres da Previdência Social para bancar a correção de 14% do salário mínimo a partir de janeiro próximo. Por isso, já avisou aos sindicatos que, na melhor das hipóteses, atenderá apenas a algumas demandas pontuais. Reajuste linear, nem pensar.

Ninguém escapa no DNIT

Os três diretores que sobreviveram à onda de demissões no órgão também são citados em processos do TCU. Dilma dispensa funcionário antes mesmo de ele tomar posse.

Desconto de 5% para quem pagar o IPVA e o IPTU à vista

Estrangeiro tira dinheiro dos EUA

É sinal de que a crise começa afugentar investidores estrangeiros. Retirada líquida foi de US$ 67,5 bilhões em maio.

 

VALOR ECONÔMICO

Indecisão na Europa amplia crise

A crise da dívida soberana na zona do euro agravou-se. Autoridades europeias correm contra o relógio para colocar de pé até quinta-feira um pacote de US$ 160 bilhões em ajuda adicional à Grécia que possa ser considerado resposta eficaz ao nervosismo dos mercados, que ontem voltaram a amargar grandes baixas. O ouro subiu pela primeira vez a US$ 1.600 a onça e as ações tiveram mais um dia de queda. Títulos alemães e o franco suíço estiveram entre os ativos mais procurados no dia. O Ibovespa voltou a recuar: caiu 1,08% e já perdeu 15,1% no ano. Segundo o "Financial Times", os líderes europeus se mostram indecisos e divididos em relação ao formato do pacote grego. Itália e Espanha - que, juntas, somam 28% do PIB da zona do euro - assistem à escalada perigosa dos juros cobrados por seus títulos. Os papéis da Espanha subiram para 6,39% e os da Itália, para 5,9%, aproximando-se aos poucos da marca fatídica dos 7% que levaram aos pedidos de auxílio de Grécia, Irlanda e Portugal. A persistência do impasse entre democratas e republicanos sobre o aumento do teto da dívida nos EUA contribui para piorar as expectativas.

China investe em energia e agricultura

Do total de US$ 15 bilhões dos investimentos produtivos da China na América Latina em 2010, US$ 11 bilhões ficaram no Brasil. Agricultura e energia, no topo da lista do interesse chinês, continuarão a receber a maior parte dos recursos que o país destina aos latino-americanos, segundo o vice-ministro de Relações Exteriores da China, Zhang Kunsheng. A China está na lista das nações com menos de 0,2 hectare cultivável por habitante. O desafio de continuar alimentando a população preocupa o governo. Por isso, investir na produção dos alimentos em terras distantes já virou rotina. O representante do governo chinês diz que, graças aos seguidos investimentos em infraestrutura portuária e rodoviária, o país tem condições de lidar com a complexa logística que envolve o deslocamento de produtos elaborados no exterior.

Governo retoma plano para combater abate clandestino

O governo decidiu tirar do papel um sistema criado em 1996 (Suasa) para combater o abate clandestino de gado no país. O Ministério da Agricultura estima que metade da carne bovina consumida no Brasil tenha origem em abatedouros sem inspeção ou fiscalização de autoridades sanitárias. Pela decisão, arbitrada pela presidente Dilma Rousseff, a Agricultura fará convênios com Estados e municípios para tornar mais ampla e efetiva a fiscalização do comércio de carnes. Haverá uma "equivalência sanitária", o que permitirá a venda de produtos da agricultura familiar em todo o país, não importando onde sejam fabricados. Os itens de exportação continuarão a seguir normas fixadas pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF).

Novo tributo compensará desoneração dos salários

A opção mais provável para a desoneração da folha de salários é a criação de nova contribuição previdenciária que incidirá sobre o faturamento das empresas, tal como já existe no setor da agroindústria com alíquota de 2,5%. A base dessa nova contribuição será semelhante à do Simples, o sistema de tributação das micro e pequenas empresas. O novo tributo não terá a mesma base da Cofins ou do PIS, segundo o governo. O principal argumento é que ele incidirá sobre o faturamento das empresas que declaram pelo lucro real, enquanto a Cofins e o PIS incidem sobre o valor agregado. Só recaem sobre o faturamento, com alíquota menor, para as empresas que fazem a declaração pelo lucro presumido.

Minha casa, Minha vida de novo

As contratações do programa Minha Casa, Minha Vida para a faixa de renda mais baixa - paralisadas desde o início do ano - devem ser retomadas nas próximas semanas, diz Inês Magalhães, secretária de Habitação do Ministério das Cidades.

Disputa em torno do algodão

Uma variação de preços nos últimos 12 meses, que chegou a 183% (forte alta seguida de queda), estaria levando indústrias têxteis a tentar renegociar contratos com produtores de algodão.

Efeitos do Cade na BR Foods

A diretoria da BRF Brasil Foods inicia visitas às suas unidades para comunicar os efeitos da decisão do Cade. Serão visitados Mato Grosso, Distrito Federal, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina.

Recursos externos para BNDES

O BNDES pretende captar este ano US$ 3 bilhões no mercado externo, mesmo volume obtido ao longo de 2010. Este ano, entretanto, o objetivo do banco é buscar mais recursos junto às agências multilaterais.

Real dificulta a exportação de jogadores

A grande valorização do real em comparação ao euro e à libra está ajudando a reverter um dos perfis da exportação do país - a venda de jogadores de futebol para a Europa. O real apresenta uma valorização de 35% em comparação ao euro e à libra desde 2008, o que está ajudando os clubes de futebol locais a competir com os ricos clubes europeus em guerras de lances pelos melhores jogadores do mundo.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!