No rádio, candidatos estreiam propaganda com homenagem a Eduardo Campos

Além das homenagens: tucano se apresenta como "alternativa de mudança" e programa da coligação encabeçada por petista propõe comparação com administrações anteriores

No primeiro programa eleitoral de rádio, veiculado na manhã desta terça-feira (19), os principais presidenciáveis prestaram homenagem a Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco e candidato à presidência da República que morreu no último dia 13 em um acidente aéreo, em Santos (SP).

Além de lamentar a morte, o candidato tucano Aécio Neves ressaltou a relação de amizade que tinha com Eduardo Campos.

“Colocar em prática as ideias e os ideais que tínhamos em comum será a melhor forma de celebrar a vida do grande governador, do pai, do marido, do amigo, do brasileiro Eduardo Campos”, disse Aécio, enfatizando que, mesmo em coligações diferentes, os dois tinham sonhos semelhantes.

O tucano foi apresentado, no programa, como uma alternativa de mudança. “Hoje, o Brasil está pior que há quatro anos. O Brasil, que vinha bem, vinha avançando, perdeu o rumo, mas é importante que fique claro: o problema não é o Brasil, o problema é a forma como o Brasil está sendo governado”, disse Aécio.

Candidata à reeleição pelo PT, a presidenta da República Dilma Rousseff afirmou que pretende fazer “uma campanha de alto nível, positiva e com discussão de ideias”. O programa da coligação encabeçada pelo PT propôs uma comparação entre as gestões petistas e as anteriores e destacou feitos em relação ao emprego, moradia, obras de infraestrutura e saúde.

O ex-presidente Lula participou do programa pedindo votos para Dilma. Em relação a Eduardo Campos, Lula declarou que “sua luta sempre foi e continuará sendo a nossa luta”. Acrescentou que “as últimas palavras [de Eduardo] precisam ser incorporadas pelo povo brasileiro: 'jamais desistir do Brasil'”.

PSB

“O Brasil perdeu Eduardo Campos, um presidente em quem os brasileiros queriam, mas não puderam votar. Eduardo se foi, mas seus valores e ideais ficaram. Dentre eles, a esperança para seguir em frente”, destacou o programa da coligação “Unidos pelo Brasil”, que era encabeçada pelo próprio Eduardo.

O PSB usou uma declaração do próprio Eduardo Campos: “Vamos precisar unir o Brasil e as boas pessoas do Brasil. O Brasil tem jeito, quem vai dar jeito ao Brasil é o povo brasileiro. Eu e Marina [Silva] estamos prontos para fazer a mudança para o futuro do Brasil”. Marina Silva era candidata a vice na chapa e deve substituir Eduardo.

 

Mais sobre Eduardo Campos

Mais sobre as eleições de 2014

Assine a Revista Congresso em Foco em versão digital ou impressa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!