Nível de reservatório chega a menos de 20%, mas racionamento segue descartado

Barragem do Descoberto atingiu 19,99% da capacidade nesta quinta-feira (10). Chuvas não estão sendo suficientes para a recuperação dos reservatórios, mas racionamento ainda não está previsto

 

O nível da Barragem do Rio Descoberto, maior reservatório de água do Distrito Federal, chegou a 19,99% nesta quinta-feira (10). O reservatório é responsável pelo abastecimento de cerca de 60% da população. A aplicação de medidas de restrição do consumo já estão autorizadas pela Agência Reguladora de Águas, energia e Saneamento Básico do DF (Adasa) e podem atingir 2,5 milhões de moradores, 86% dos brasilienses.

Em nota, a Caesb informou que o racionamento “só será executado quando a Companhia julgar ser o momento mais oportuno. Para isso, levará em consideração três fatores: o ritmo de queda dos reservatórios, as previsões de chuva para o Distrito Federal, e o nível de consumo de água pela população”.

Por enquanto, apesar do aumento nas chuvas, a quantidade ainda não é o suficiente para repor no nível dos reservatórios. Se decidir pelo racionamento, a Caesb deve avisar os moradores com 24 horas de antecedência. A pausa no fornecimento, por enquanto, não pode passar de 24 horas. Não pode ocorrer, ainda, racionamento em todas as cidades ao mesmo tempo.

Como medida de contenção, a Adasa realizou no fim de semana o plantio de várias mudas de espécies nativas junto ao reservatório, na intenção de reter a umidade no local e ajudar na preservação da área. Distante dos 60% ideais, o volume útil do Descoberto pode ter a queda desacelerada caso se confirmem os 75 mm de chuva previstos para cair sobre a região esta semana pelo Climatempo. A última chuva volumosa sobre a área aconteceu no dia 2 de novembro.

Apesar do racionamento não estar em vigor, os consumidores já estão pagando tarifa dinâmica. Todas as residências e comércios que consomem mais de 10 mil litros de água por mês receberão uma cobrança extra de 20% na tarifa a partir de dezembro por conta da crise hídrica.

Veja a íntegra da nota da Caesb:

“A Caesb informa que o Plano de Racionamento da Água, cuja autorização foi publicada dia 08/11, pela ADASA, será amplamente divulgado tão logo a Empresa decida pela sua aplicação. A Caesb está autorizada a implantar o racionamento, mas ele só será executado quando a Companhia julgar ser o momento mais oportuno. Para isso, levará em consideração três fatores: o ritmo de queda dos reservatórios, as previsões de chuva para o Distrito Federal, e o nível de consumo de água pela população. Ao decidir pelo racionamento, a Caesb irá convocar os meios de comunicação para anunciar, detalhar e divulgar amplamente o plano a ser executado, dando oportunidade para que a população seja devidamente informada.”

Mais sobre meio ambiente

Mais sobre Brasília

Continuar lendo