Na despedida do programa eleitoral, Marina e Aécio miram indecisos

O tom de despedida foi inevitável no último programa eleitoral da TV. Empatados na mais recente pesquisa Datafolha, candidatos da oposição buscaram conquistar o voto dos eleitores indecisos

O tom de despedida foi inevitável no último contato direto dos candidatos à presidente da República com os eleitores, no encerramento do horário eleitoral gratuito. Os dois candidatos da oposição – empatados na pesquisa Datafolha divulgada na noite desta quinta-feira – buscaram conquistar o voto dos eleitores ainda indecisos.

Aécio Neves mudou parte de seu programa inserindo uma cena em que pede o voto olhando diretamente para a câmara. “Por que eu, Aécio, deveria merecer a sua confiança e seu voto? Eu respondo. Primeiro porque o que me move na política é um enorme amor ao Brasil, uma vontade sem limites de ver as coisas melhorarem, de ver o Brasil dar certo”, diz o candidato.

Aécio Neves em seguida ataca o governo e a adversária Dilma Rousseff afirmando que o Brasil não pode ser o país do “eu não sabia”. “O Brasil, meus amigos, não pode virar o país do vale tudo, do ‘eu não sabia’ a cada novo escândalo, corrupção, imoralidade, abuso, desrespeito são inaceitáveis. Não, nós brasileiros não podemos e não vamos aceitar isso. Eu me preparei. Me preparei muito por 30 anos e uma vida pública honrada”, encerra.

Diferente do tom adotado no programa da tarde, em que partiu para um duro ataque à adversária petista, Marina Silva manteve as críticas buscando mostrar a necessidade de mudanças.

“Todo mundo sabe que o Brasil de verdade tem muitos problemas. Não é aquela ilha da fantasia que aparece na propaganda. No Brasil real falta saúde e sobra doença. Falta segurança e sobra medo. E todo mundo sabe também que a causa desses problemas é a política atrasada, mesquinha, dominada pela corrupção.  É verdade que muita coisa melhorou nos últimos 20 anos, mas é verdade também que parou de melhorar e começou a olhar para trás no governo atual”, disse a ex-senadora.

Ela criticou as alianças estabelecidas no atual governo e deixou claro aos eleitores que foi vítima da raiva do PT. “Os partidos que um dia foram a favor das boas mudanças agora estão na disputa do poder pelo poder, não consegue mais apontar o futuro. Quando aparece alguém propondo um novo caminho, eles reagem furiosamente, espalhando as mentiras, o ódio e o medo”, destacou.

Marina Silva encerrou com pedindo que os brasileiros mudança. “Eu quero chamar a todos para fazermos uma mudança na direção do nosso país. Para dar oportunidade aos jovens, para valorizar os idosos, para reconhecer os índios”, finalizou.

A presidente Dilma Rousseff (PT) não mudou seu programa noturno,  continuando com um resumo de suas propostas e um parte dedicado ao ex-presidente Lula, seu principal cabo eleitoral. Os demais candidatos também optaram por repetir o programa da tarde.

Marina parte para cima de Dilma no último dia do horário eleitoral

Assista ao horário eleitoral da tarde

Mais sobre as eleições

Assine a Revista Congresso em Foco

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!