Na briga por prêmio, políticos de 18 estados e do DF

Dos 26 estados brasileiros, oito não tiveram quaisquer de seus representantes congressistas votados por jornalistas na primeira fase do Prêmio Congresso em Foco; DF é o campeão de menções, proporcionalmente

Há duas maneiras de saber quais foram os estados com mais representantes candidatos aptos a serem laureados no Prêmio Congresso em Foco, segundo a escolha prévia de 186 jornalistas especializados na cobertura política. Pode ser pelo critério de números absolutos de parlamentares mencionados – nesse caso, ganha São Paulo, com 12 votados em um universo de 73 congressistas paulistas. E também proporcionalmente, considerado o tamanho de cada bancada estadual – neste quesito ganha o Distrito Federal, com três citações em uma bancada de 11 integrantes (três senadores e oito deputados), ou 27,2% do total.

 

Suplicy próximo de Cristovam na disputa pelo prêmio

Veja, estado por estado, quem são os finalistas

Não votou ainda? O que está esperando? Entre aqui para votar no Prêmio Congresso em Foco 2012!

Ao todo, congressistas de 18 estados e do Distrito Federal receberam menções em 2012. Em números absolutos, além de São Paulo, figuram entre os estados com mais representantes mencionados o Rio de Janeiro, com oito votados (e bancada de 49 congressistas); o Rio Grande do Sul, com seis escolhas (bancada de 34); Pernambuco, com quatro (28 representantes); e o próprio Distrito Federal, com três nomes citados.

Os demais 14 estados tiveram entre um e dois representantes lembrados pelos jornalistas. Acre, Alagoas, Espírito Santo, Piauí, Rondônia, Roraima, Santa Catarina e Tocantins não tiveram qualquer parlamentar escolhido nessa fase de votação, quando os profissionais da notícia fazem uma “peneira” para a escolha do internauta.

Já no quesito de proporcionalidade, que considera a relação entre parlamentares citados e o tamanho da bancada, a lista encabeçada pelo Distrito Federal (27,2% dos membros da bancada distrital) registra, em seguida, a bancada do Amazonas, com dois nomes mencionados em um grupo de 11 parlamentares (18%); a bancada do Rio Grande do Sul, com seis votos entre 34 integrantes (17,6%); a do Rio de Janeiro, com oito escolhas entre 49 membros (16,3%); a de São Paulo, com 11 entre 73 representantes (15%); e a de Pernambuco, com quatro votos entre 28 congressistas pernambucanos (14,2%).

Por fim, 13 bancadas estaduais registram votação com menos de 10 pontos percentuais referentes à proporção entre votos recebidos e a quantidade de representantes. Na sequência desse quesito aparecem Amapá, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte e Sergipe, os cinco entes com apenas um integrante mencionado entre 11 congressistas de suas respectivas bancadas (9%); Paraíba, também com um nome lembrado, mas com uma bancada maior, de 15 congressistas (6,6%); Paraná, com dois votos entre 33 membros (6%); Goiás e Pará, ambos com uma menção entre 20 representantes (5%); Ceará, um voto entre 25 nomes (4%); e Minas Geais, a segunda maior bancada do Congresso (56), com apenas uma citação (1,8%).

Perdas e ganhos

O número de menções individuais de cada estado aumentou em relação à votação do ano passado, quando parlamentares de 13 entes federativos receberam ao menos um voto. Piauí e Roraima, que receberam duas e uma menções cada, respectivamente, não tiveram representantes lembrados neste ano. Na via oposta, oito estados cujos representantes não foram lembrados em 2011 figuram na votação de 2012. São eles Amazonas, Ceará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Rio Grande do Norte e Sergipe.

De 2011 para este ano, 11 estados aumentaram seus registros de representantes votados, enquanto cinco diminuíram o número de votos recebidos. Outros cinco mantiveram o número de parlamentares mencionados (Amapá, Goiás, Maranhão, Mato Grosso e Rio de Janeiro). O estado que mais perdeu menções em relação a 2011 foi o Rio Grande do Sul: quatro votos (dez no ano passado; seis neste ano).

Em seguida figuram Piauí e São Paulo, que perderam dois votos cada – o primeiro, de uma menção para nenhuma neste ano; o segundo, de 14 para 12 citações. Já Distrito Federal e Roraima perderam um voto – o DF, de quatro para três escolhas; Roraima, sem registros em 2012.

A variação positiva de candidatos mencionados de 2011 para 2012 foi menos elástica entre os 11 estados com aumento de registro: apenas Amazonas e Pernambuco aumentaram em dois o número de parlamentares votados – os demais ganharam um voto a mais. Os pernambucanos, que eram apenas dois em 2011, chegaram a quatro neste ano; já os congressistas amazônidas, que não foram lembrados no ano passado, são dois em 2012 – a deputada Rebecca Garcia (PP), na categoria “melhor deputado (a)”, e o senador Eduardo Braga (PMDB), este figurando entre os finalistas da categoria “inovação tecnológica”.

Os nove demais estados que oscilaram positivamente, de 2011 para 2012, estes em apenas um voto, são: Bahia e Paraná, que saíram de um para dois votos; e Ceará, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Rio Grande do Norte e Sergipe, que não haviam registrado menções em 2011.

Registro negativo

Em relação aos parlamentares finalistas das nove categorias especiais, Minas Gerais voltou a apresentar um resultado pífio, considerando-se o tamanho de sua bancada (56 membros) e o fato de ser um dos mais tradicionais redutos políticos do país. Apenas o deputado Marcus Pestana (PSDB) recebeu indicações como destaque na dedicação ao setor da saúde, que reúne seis nomes na disputa.

Em 2010, quando tinha 53 deputados, a bancada mineira não conseguiu emplacar finalista. Apenas sete parlamentares mineiros foram lembrados pelos jornalistas por causa de sua atuação parlamentar naquele ano. Passados dois anos, Minas piorou ainda mais seu desempenho: consideradas as categorias geral e especiais, apenas Pestana foi citado no Prêmio Congresso em Foco 2012.

O Prêmio

Depois de finalizada a peneira dos jornalistas especializados em política, cabe agora ao internauta decidir a classificação final das duas categorias principais – a de melhor deputado e melhor senador – e das outras nove categorias especiais contempladas nesta sétima edição do Prêmio Congresso em Foco. Pela internet, o público também poderá incluir, em cada categoria, mais um nome, desde que ele não responda a acusações criminais no Supremo Tribunal Federal, nos conselhos de ética da Câmara e do Senado, nem seja alvo de denúncias de grave ofensa aos direitos humanos (racismo, trabalho escravo, homofobia etc.).

O processo de votação na internet será monitorado pela Associação Nacional dos Peritos Criminais Federais (APCF). Para ser computado, o voto do internauta será confirmado por link a ser enviado por e-mail após votação no próprio site. Não é possível votar mais de uma vez com o mesmo e-mail. O monitoramento realizado também identifica votos de origem irregular, de forma a impedir a sua contabilização.

Entre aqui para registrar seu voto

O prêmio é uma iniciativa do site Congresso em Foco apoiada por diversos parceiros. Em sua sétima edição, tem a finalidade de premiar os melhores parlamentares do Congresso Nacional e estimular a sociedade a acompanhar seus representantes de modo ativo e permanente. A edição 2012 tem, até o momento, o patrocínio da AmBev e da Souza Cruz, o apoio da Associação Nacional dos Peritos Criminais (APCF), da Associação dos Notários e Registradores do Brasil (Anoreg/BR), da Arpen Brasil, da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), da Anfip, da Anffa Sindical e da Federação Brasileira de Associações Fiscais de Tributos Estaduais (Febrafite). A iniciativa tem o apoio institucional do Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal.

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!