Estamos mudando o site. Participe enviando seus comentários por aqui.

MPSP denuncia Haddad por corrupção, lavagem de dinheiro e quadrilha

O Ministério Público de São Paulo (MPSP) denunciou na segunda-feira (3) o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad por corrupção, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro. Segundo o MPSP, Haddad recebeu R$ 2,6 milhões de propina da empreiteira UTC Engenharia para pagar dívida de campanha eleitoral de 2012.

Ainda conforme a denúncia, o dinheiro foi pago pelo doleiro Alberto Youssef em 2013 por meio de contratos firmados com três gráficas. Leia a íntegra da denúncia.

A denúncia foi apresentada pelo promotor de Justiça Marcelo Mendroni, do Grupo de Atuação Especial de Repressão à Formação de Cartel e à Lavagem de Dinheiro e de Recuperação de Ativos (Gedec).

Também foram denunciados o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, o doleiro Alberto Youssef, o ex-deputado estadual pelo PT-SP Francisco Carlos de Souza, o presidente da empreiteira, Ricardo Pessoa, e o diretor financeiro da empreiteira Walmir Pinheiro Santana.

Conforme o promotor, a quantia foi solicitada a Ricardo Pessoa por Vaccari em nome de Haddad. Ainda de acordo com Mendroni, havia um esquema de captação e transferências de dinheiro para dissimular a origem por meio de contratos de prestação de serviços fictícios ou superfaturados.

Terceira denúncia

Vice na chapa presidencial de Lula, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad já havia sido denunciado pelo MPSP em 27 de agosto, por improbidade administrativa. A promotoria do estado acusou o petista de se beneficiar de vantagem ilícita e de enriquecer ilicitamente por meio do pagamento de dívidas de campanha na eleição municipal de 2012.

Além das duas denúncias, Haddad é réu em processo de improbidade administrativa que tramita na Justiça de SP. O ex-prefeito é acusado por irregularidades em construção de ciclovia em São Paulo.

Em nota, a assessoria do candidato afirma que as três ações contra o ex-prefeito são fundamentadas "sem qualquer prova" na delação de Ricardo Pessoa, “rejeitada em quase uma dezena de casos”.

Segundo a nota, o empreiteiro “conta suas histórias de acordo com seus interesses”. “Também é de conhecimento público que, na condição de prefeito, Fernando Haddad contrariou no segundo mês de seu mandato o principal interesse da UTC de Ricardo Pessoa na cidade: a obra confessadamente superfaturada do túnel da avenida Roberto Marinho”, completa.

Leia abaixo a íntegra da nota:

"Surpreende que no período eleitoral , uma narrativa do empresário Ricardo Pessoa, da UTC, sem qualquer prova, fundamente três ações propostas pelo Ministério Público de São Paulo, contra o ex-prefeito e candidato a vice-presidente da República, Fernando Haddad. É notório que o empresário já teve sua delação rejeitada em quase uma dezena de casos e que ele conta suas histórias de acordo com seus interesses. Também é de conhecimento público que, na condição de prefeito, Fernando Haddad, contrariou no segundo mês de seu mandato, o principal interesse da UTC de Ricardo Pessoa na cidade: a obra confessadamente superfaturada do túnel da avenida Roberto Marinho.

Assessoria do candidato Fernando Haddad"

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!