MP dos Portos: para líderes, base aliada falhou na Câmara

Deputados governistas acreditam que a medida provisória poderia ter sido aprovada caso os partidos que compõem a aliança de Dilma Rousseff tivessem dado quorom. Para oposição, proposta vai perder a validade

Líderes da base e da oposição na Câmara concordam em um fato: os deputados governistas falharam em dar apoio e quorum na votação da Medida Provisória 595/12, a MP dos Portos. Por falta de quorum, às 5h desta quarta-feira (15), a sessão foi encerrada quando os parlamentares analisavam um destaque ao texto principal. A sessão será retomada às 11h.

"Parte da base falhou sim", resumiu o líder do PT na Câmara, José Guimarães (CE). Para o petista, somente a bancada do partido conseguiu se posicionar favoravelmente à proposta. Siglas que fazem parte da base, como PSB e PDT, foram apontados por deputados como responsáveis pela derrota do governo nas 18 horas de discussão.

Apesar de considerar parte da base culpada, Guimarães, que presidiu a comissão mista responsável por analisar a MP dos Portos, acredita ser possível aprova-la na Câmara e no Senado antes de perder a validade. Isso acontece amanhã. "É uma responsabilidade da Câmara que vamos honrar", disse o petista após a sessão.

Desde a semana passada, o governo aumentou a pressão nos deputados para votar a MP dos Portos. A presidenta Dilma Rousseff fez apelos à Câmara. Ministros se reuniram com líderes para convecê-los da necessidade de aprovar o texto antes de ele perder a validade. Além disso, outro componente entrou em campo. De acordo com o jornal Correio Braziliense, o Palácio do Planalto se comprometeu a liberar R$ 1 bilhão em emendas parlamentares em troca da aprovação.

Habilidade

Para oposicionistas, a queda da sessão é reflexo da falta de habilidade política da presidenta Dilma Rousseff com a sua base. O líder do DEM, Ronaldo Caiado (GO), por exemplo, acredita que a descrença da base com Dilma é grande. "A base está desunida. Somente o PT está fechado com Dilma, há divergências em outros partidos", opinou.

A sessão para retomar a votação da MP dos Portos está marcada para às 11h de hoje. A expectativa é que atinja o quorum até 14h. Com a retomada da votação dos 14 itens que faltam, Caiado acredita que os deputados da oposição conseguirão levar a sessão até 18h. Ele promete usar todos os instrumentos de obstrução possíveis para isso acontecer.

Um outro problema para o governo reside no Senado. Existe um acordo entre líderes na Casa de uma medida provisória ser votada 48 horas depois da leitura em plenário. Obedecido esse prazo, a MP dos Portos perde a validade. Ontem, o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), prometeu fazer o "possível, não o impossível" para votar a proposta.

Senado deixa MP dos Portos para quinta-feira

Tudo sobre a MP dos Portos

Continuar lendo