MP diz que houve propina; tesoureiro, caixa dois

Eduardo Militão

As primeiras denúncias sobre a existência do mensalão surgiram no final de 2004, no Jornal do Brasil, quando deputados afirmavam que uma mesada era paga pelo Palácio do Planalto. Em 2005, pressionado pela descoberta de um esquema de corrupção nos Correios, área de influência do PTB, o então deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) deu uma entrevista à Folha de S. Paulo em que acusou, abertamente, o governo de comprar parlamentares. O então ministro da Casa Civil, José Dirceu, foi apontado por ele como chefe do esquema.


Como resultado, duas CPIs foram abertas no Congresso, assim como uma investigação na Polícia Federal. Dirceu perdeu o cargo de ministro e, de volta à Câmara, foi cassado pelos colegas, assim como Jefferson. Em 2006, o procurador geral da República à época, Antônio Fernando de Souza, apresentou denúncia contra 40 acusados.


Segundo ele, todas as denúncias de Jefferson foram confirmadas. Antônio Fernando diz que o Palácio do Planalto pagou dinheiro aos parlamentares para votarem a favor da reforma da Previdência, analisada em 2003 pelos congressistas. Em 2005, durante a crise, o tesoureiro do PT, Delúbio Soares, dizia que o mensalão não existia e que tudo se tratava de caixa 2 para pagar dívidas de campanhas eleitorais em 2002 e 2004.


A denúncia do procurador geral foi recebida apenas em agosto de 2007 pelos ministros do Supremo Tribunal Federal. Em janeiro de 2008, o ex-secretário geral do PT Sílvio Pereira fez um acordo com o Ministério Público e foi excluído do processo após prestar serviços comunitários.


Em dezembro do ano passado, o ministro Joaquim Barbosa terminou de receber os depoimentos das testemunhas de acusação. Agora, aguarda as manifestações da defesa dos 39 réus.


As acusações
1. José Dirceu - Formação de quadrilha e corrupção ativa (9x)
2. José Genoíno - Formação de quadrilha e corrupção ativa (9x)
3. Delúbio Soares (ex-tesoureiro do PT) - Formação de quadrilha e corrupção ativa (9x)
4. Marcos Valério Fernandes de Souza (publicitário) - Formação de quadrilha, corrupção ativa (11x), peculato (6x), lavagem de dinheiro (65x), evasão de divisas (53x)
5. Ramon Hollerbach Cardoso (sócio de Valério) - Formação de quadrilha, corrupção ativa (11x), peculato (6x), lavagem de dinheiro (65x), evasão de divisas (53x)
6. Cristiano de Mello Paz (sócio de Valério) - Formação de quadrilha, corrupção ativa (11x), peculato (6x), lavagem de dinheiro (65x), evasão de divisas (53x)
7. Rogério Lanza Tolentino (sócio de Valério) - Formação de quadrilha, corrupção ativa (11x), lavagem de dinheiro (65x)
8. Simone Reis Lobo de Vasconcelos (funcionária de Valério)- Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro (65x), corrupção ativa (9x), evasão de divisas (53x)
9. Geiza Dias dos Santos (funcionária de Valério) - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro (65x), corrupção ativa (9x), evasão de divisas (53x)
10. Kátia Rabello (presidente do Banco Rural) - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro (65x), gestão fraudulenta, evasão de divisas (27x)
11. José Roberto Salgado - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro (65x), gestão fraudulenta, evasão de divisas (27x)
12. Vinícius Samarane - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro (65x), gestão fraudulenta, evasão de divisas (27x)
13. Ayanna Tenório Torres de Jesus - Formação de quadrilha, gestão fraudulenta
14. João Paulo Cunha (ex-presidente da Câmara, PT-SP) - Corrupção passiva, lavagem de dinheiro, peculato (2x)
15. Luiz Gushiken (ex-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência) - Peculato (4x)
16. Henrique Pizzolato - Peculato (5x), corrupção passiva, lavagem de dinheiro
17. Pedro Corrêa (ex-deputado federal, PP-PE) - Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro (15x)
18. José Janene (ex-deputado, PP-PR) - Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro (15x)
19. Pedro Henry (deputado, PP-MT)- Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro (15x)
20. João Cláudio de Carvalho Genu - Formação de quadrilha, corrupção passiva (3x), lavagem de dinheiro (15x)
21. Enivaldo Quadrado - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro (11x)
22. Breno Fischberg - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro (11x)
23. Carlos Alberto Quaglia - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro (7x)
24. Valdemar Costa Neto (deputado, PR-SP) - Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro (41x)
25. Jacinto Lamas - Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro (40x)
26. Antônio de Pádua de Souza Lamas - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro
27. Carlos Alberto Rodrigues Pinto, o Bispo Rodrigues (ex-deputado, PL-RJ) - Corrupção passiva, lavagem de dinheiro (2x)
28. Roberto Jefferson (ex-deputado e presidente nacional do PTB)- Corrupção passiva, lavagem de dinheiro (7x)
29. Emerson Palmieri - Corrupção passiva (3x), lavagem de dinheiro (10x)
30. Romeu Queiroz (ex-deputado, PTB-MG) - Corrupção passiva, lavagem de dinheiro (4x)
31. José Borba (ex-deputado, PMDB-PR) - Corrupção passiva
32. Paulo Rocha (deputado, PT-PA) - Lavagem de dinheiro (8x)
33. Anita Leocádia Pereira da Costa - Lavagem de dinheiro (7x)
34. Luiz Carlos da Silva, o professor Luizinho (ex-deputado, PT-SP) - Lavagem de dinheiro
35. João Magno (ex-deputado, PT-MG) - Lavagem de dinheiro (4x)
36. Anderson Adauto (ex-deputado, PR-MG) - Corrupção ativa (2x), lavagem de dinheiro (16x)
37. José Luiz Alves - Lavagem de dinheiro (16x)
38. Duda Mendonça (publicitário) - Lavagem de dinheiro (53x), evasão de divisas
39. Zilmar Fernandes Silva (sócia de Duda) - Lavagem de dinheiro (53x), evasão de divisas


Fonte: Procuradoria Geral da República

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!