Moro telefonou para Bolsonaro para explicar reação em encontro: “Não tive intenção de ofendê-lo”

Reação do juiz ao ser cumprimentado pelo deputado repercutiu nas redes sociais no final de abril. Dias depois, magistrado ligou para o pré-candidato para dizer que não queria ofendê-lo nem que o episódio fosse explorado politicamente, informa a Gazeta do Povo

O juiz Sérgio Moro telefonou para o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) para se explicar sobre sua reação ao cumprimentá-lo no Aeroporto Internacional de Brasília, no último dia 30 de março. As imagens do encontro viralizaram na internet devido à “frieza” demonstrada pelo juiz da Operação Lava Jato ao gesto de continência feito pelo pré-candidato à Presidência.

Segundo o jornal Gazeta do Povo, de Curitiba, poucos dias depois do episódio, Bolsonaro foi surpreendido pela ligação de Moro quando participava de um evento em Parnaíba (PI). Moro afirmou ao deputado que não teve a intenção de ofendê-lo e que não queria que o gesto tivesse sido explorado politicamente. A informação foi confirmada pelas duas partes ao jornal.

“De fato, contatei o sr. deputado a fim de esclarecer, em vista da repercussão do episódio no aeroporto, que não era minha intenção ofendê-lo ou que o ocorrido fosse explorado politicamente. Somente isso”, disse o juiz à Gazeta do Povo, por meio da sua assessoria de imprensa da Justiça Federal do Paraná.

Bolsonaro confirmou a conversa, que, de acordo com ele, durou dez minutos, mas evitou dar detalhes sobre o diálogo. O encontro se deu no aeroporto de Brasília no dia em que Sérgio Moro participou de uma audiência na comissão especial da Câmara que discute o Código de Processo Penal (CPP). A presença do juiz transformou o colegiado em palco de disputa política entre os parlamentares do PT e de outros partidos.

Críticos do parlamentar fizeram uma montagem ao final do vídeo, com direito a pagode do Raça Negra como trilha sonora. “Você jogou fora o amor que eu te dei, o sonho que sonhei. Isso não se faz. Você jogou fora a minha ilusão”, disse o trecho destacado da música “É tarde demais”, sucesso do grupo nos anos 90.

Veja o vídeo:

Na ocasião, dois dos filhos de Bolsonaro foram às redes sociais defender o pai. E criticaram a imprensa:

“A imprensa doida p Moro abraçar Bolsonaro e poder gritar ‘sabia que o Moro agia com cunho político’  Moro, toca a Lava Jato que está 10!”, escreveu o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSC-SP) no Twitter. “Um parlamentar q acredita no país cumprimenta e juiz é imparcial e educado… o q a mídia faz? Mais um estardalhaço negativo boçal!”, rebateu o deputado estadual Carlos Bolsonaro (PSC-RJ).

 

Veja a matéria da Gazeta do Povo

“Gelo” de Moro em Bolsonaro viraliza nas redes sociais; filhos defendem o deputado

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!