Moção de censura aos EUA é retirada de pauta

Oposição força adiamento de votação de mensagem de repúdio à denúncia de que o governo norte-americano espionou Dilma e outras autoridades brasileiras

 

O 2º secretário da Câmara, deputado Simão Sessim (PP-RJ), decidiu retirar de pauta do Plenário o pedido de moção de censura ao governo americano por suposta espionagem de autoridades do primeiro escalão do governo brasileiro. Sessim atendeu ao pedido de deputados que reclamaram que a sessão extraordinária foi convocada principalmente para votar a MP 615/13. 

 

O deputado Mendonça Filho (DEM-PE) havia apresentado requerimento para retirada de pauta da moção de repúdio aos EUA. Mendonça Filho disse que é favorável à proposta, mas entende que ela deve ser votada juntamente com outra moção, a de apoio ao ex-embaixador brasileiro na Bolívia, Eduardo Saboia, que foi responsável pela operação que trouxe o senador boliviano Roger Pinto Molina ao Brasil. Molina, condenado pela justiça boliviana, se diz perseguido político do governo Evo Morales.

Os deputados Leonardo Picciani (PMDB-RJ) e Ronaldo Caiado (GO-DEM) defenderam que a prioridade de hoje é a votação da MP 615/13.

O texto original da MP 615 concede benefícios para produtores de cana-de-açúcar e etanol, mas a comissão mista que analisou a proposta incluiu vários temas, como a reabertura dos prazos do Refis da Crise (programa de renegociação de dívidas tributárias de 2009), a desoneração de vários setores, a retomada da discussão sobre a transferência de licenças de taxistas, entre outros.

Leia mais sobre espionagem

Outros textos sobre política externa

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!