Ministro defende mudanças em benefícios trabalhistas

Para Nelson Barbosa, propostas para dificultar o acesso a seguro-desemprego, pensão por morte e auxílio doença, por exemplo, estão no tamanho correto. Medidas provisórias serão analisadas pelo Congresso a partir da próxima semana

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, disse hoje (29) acreditar que as medidas propostas para direitos trabalhistas estão na medida correta e que o assunto será discutido com as centrais sindicais e o Congresso Nacional. “Vamos defender as medidas em todos os espaços. O tamanho delas é o que consideramos correto”, ressaltou, após reunião com empresários da Federação das Indústrias do Estado de São paulo (Fiesp).

No fim do ano passado, o governo anunciou as medidas provisórias (MP) 664 e 665, que alteram regras sobre pensão, auxílio-doença e seguro-desemprego. Barbosa explicou que o grupo de trabalho interministerial, criado pelo governo para acompanhar os gastos públicos e formalizado hoje, servirá para auxiliar os ministérios a atravessarem 2015, considerado período de forte restrição fiscal, e para começar a preparação do Planejamento Plurianual.

“O grupo discutirá a situação orçamentária de cada ministério para este ano e como poderão se adaptar ao contingenciamento, se houver. E tudo indica que haverá. Mas também debaterá a racionalização dos programas de ações públicas para os próximos quatro anos”.

Presidente da Fiesp, Paulo Skaf enfatizou que a entidade mostrou a preocupação com a indústria de transformação e que não há como pensar em qualquer aumento tributário. “O ajuste fiscal tem de ser feito muito mais na redução de despesas. O ministro deixou claro que os planos são esses”.

Mais sobre direitos trabalhistas

Continuar lendo

Assine e obtenha atualizações em tempo real em seu dispositivo!